<
>

Com três entre as maiores transferências da janela, goleiros se tornam protagonistas do mercado europeu

A janela de transferências segue fervendo na Europa. Tirando a Inglaterra, onde o mercado já chegou ao fim, em todas as outras grandes ligas ainda é possível que novos nomes surjam nas principais equipes do continente. Porém, o que já dá para dizer com toda certeza é que esse é o mercado dos goleiros.

Posição outrora desvalorizada, hoje os camisas 1 são totais protagonistas entre as transferências. Na atual janela, três das 20 maiores compras no futebol europeu são de goleiros, com destaque para Alisson, que trocou a Roma pelo Liverpool, além de Courtois, que foi para o Real Madrid e Kepa, que, ao trocar o Athletic Bilbao pelo Chelsea se tornou o goleiro mais caro da história.

Apesar desses três nomes terem sido os protagonistas, outros nomes importantes trocaram de equipe. Na Inglaterra, por exemplo, país que mais gastou na contratação de jogadores dessa posição, ainda chegaram nomes como o do alemão Bernd Leno, que trocou o Bayer Leverkusen pelo Arsenal, Rui Patrício, que foi para o Wolverhampton, e Danny Ward, novo goleiro do Leicester.

Ainda do Leicester, aliás, veio uma das explicações do que aconteceu com o mercado dos goleiros. Kasper Schmeichel, que brilhou na Copa do Mundo, acredita que Neymar é o "grande culpado" de tudo isso.

"Acho que, em geral, as transferências estão ridiculamente altas nesse momento. Mas esse é o mercado agora. Acho que o Neymar foi o pivô disso tudo. Os preços ficaram muito inflacionados e agora atingiram a todas as posições. Vimos isso com o Virgil van Dijk (zagueiro contratado pelo Liverpool por £75 milhões em janeiro) e agora com Alisson. Os valores do mercado realmente explodiram", comentou o goleiro em entrevista exclusiva aos canais ESPN.

Nas outras ligas, outros nomes importantes trocaram de time. O Real Madrid, além da contratação de Courtois, que deve ser titular absoluto, o ucraniano Andriy Lunin, de apenas 19 anos, chegou como uma aposta.

Na Itália, a Roma contratou o sueco Robin Olsen como substituto de Alisson. Para isso, pagou 8,5 milhões de euros. Já a Juventus, que perdeu o veterano Gianluigi Buffon para o Paris Saint-Germain, apostou em Mattia Perin, reserva da seleção italiana, que deixou o Genoa por 12 milhões. Outro que chegou ao país foi Alban Lafont, contratado pela Fiorentina junto ao Toulouse.