<
>

Parreira relembra desejo por Guardiola e nega técnico estrangeiro na seleção: 'É uma religião'

play
Zé Elias diz que Tite 'sentiu a Copa' e André Luiz avalia Gabriel Jesus: 'Estava sentindo o peso' (1:32)

'Fez errado na hora errada'; completou o ex-lateral esquerdo no Resenha (1:32)

Em coletiva nesta quinta-feira, no Estádio Luzhniki, em Moscou, o ex-treinador Carlos Alberto Parreira, atualmente chefe do Departamento de Estudos Técnicos da Fifa, se mostrou contrário à seleção brasileira ser comandada por um treinador estrangeiro.

O campeão do mundo de 1994 afirmou que não tem nada contra o fato de estrangeiros chefiarem seleções de outros países, e inclusive lembrou diversos exemplos de sucesso pelo mundo. No entanto, Parreira garantiu que a ideia não seria aceita em seu país natal.

“Nós, no Brasil, não temos nada contra técnicos estrangeiros, mas nós, brasileiros, somos muito orgulhosos de nossos técnicos”, garantiu.

“Chegou-se até a falar do (Josep) Guardiola assumir a seleção brasileira... Mas não dá. É como uma religião para nós. Não seria aceitável ter um técnico estrangeiro na seleção brasileira”, acrescentou.

“Novamente: nada contra técnicos estrangeiros, mas nós somos orgulhosos dos nossos técnicos. Pensamos que eles fizeram grandes trabalhos ao longo dos anos”, complementou.

Atualmente, o Brasil é comandado por Tite, que está no cargo desde 2016.

No momento, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) tenta renovar o contrato do comandante até a próxima Copa do Mundo, em 2022, no Catar.