<
>

Herói da Croácia já tomou multa de R$ 453 mil por abrir cerveja em ônibus de time

Demagoj Vida foi autor de um gol que ajudou a recolocar a Croácia em uma semifinal de Copa do Mundo depois de duas décadas. Se hoje o jogador de 27 anos é um dos pilares da defesa croata, em 2012 ele causou uma enorme polêmica em seu país e pagou bem caro por isso.

Durante uma viagem para uma partida pela Copa da Croácia contra o NK Vrsar, o zagueiro resolveu abriu uma lata de cerveja dentro do ônibus do Dinamo de Zagreb.

O treinador Ante Cacic ficou revoltado com a situação e imediatamente ordenou que Vida deixasse o ônibus e não seguisse viagem com o restante da delegação da equipe croata.

Além de não ter jogado, o jogador precisou pagar uma multa de 100 mil euros (R$ 453 mil) ao Dinamo de Zagreb. O montante representava um quarto do salário anual dele à época e dava para ter comprado 50 mil garrafas de cerveja local em Zagreb.

Seu amor pela bebida foi expressada anos depois em uma entrevista ao site do Dinamo de Kiev, clube que defendeu por temporadas. Perguntado quais seriam as três coisas que levaria para uma ilha deserta, ele não titubeou: "Uma bola, minha namorada e cerveja".

Além disso, brincou sobre o polêmico episódio de 2012. "Jogando pelo Dinamo de Zagreb eu abri uma lata de cerveja no ônibus uma vez. Eu paguei 100 mil euros por isso. Pode-se abrir uma cervejaria com essa quantia de dinheiro", relatou.

ÍDOLO NA UCRÂNIA

Vida começou na base do Osijek, clube no qual se profissionalizou e permaneceu até 2010. Vendido ao Bayer Leverkusen, ele não teve oportunidades (fez apenas um jogo) e voltou para a Croácia para jogar pelo Dinamo de Zagreb, em 2011.

No principal time croata, ele venceu uma Copa da Croácia e duas Ligas Cratas antes de ser vendido do Dinamo de Kiev, da Ucránia. Na equipe ucraniana foram cinco temporadas e dois títulos da Liga Ucraniana, quebrando a hegemonia do Shakhtar Donetsk, e virou ídolo da torcida local. Neste ano, ele se transferiu para o Besiktas, da Turquia.

Ele estreou pela seleção croata em 2010 na vitória por 2 a 0 contra o País de Gales em Osijek , entrando na vaga de Darijo Srna. Desde então, ele é presença constante na equipe, tendo disputado duas vezes a Eurocopa (2012 e 2016), além de estar na sua segunda Copa do Mundo.

No sei primeiro Mundial, no Brasil, ele ficou apenas no banco de reservas e não jogou. Na Rússia, porém, ele é um dos pilares do sistema defensivo da Croácia.

Após ter ajudado seu país a conquistar a vaga nas semifinais, é bem provável que o treinador não vá esquentar caso ele resolva repetir o gesto de 2012 e abrir uma lata de cerveja na volta do jogo.