<
>

Japão perde para a Polônia, mas passa de fase no número de cartões amarelos

Podemos dizer que a disciplina japonesa foi preponderante para a classificação na Copa do Mundo. A equipe precisava apenas de um empate contra a Polônia para se garantir nas oitavas de final, mas, como perdeu por 1 a 0, contou com o baixo número de cartões amarelos para superar Senegal e garantir sua passagem na segunda posição do Grupo H.

Japão e Senegal chegaram empatados em número de pontos, gols marcados e sofridos na última rodada da primeira fase. O que dava a liderança do grupo aos japoneses era que eles tinham recebido menos cartões nos dois primeiros jogos. Como as duas equipes perderam por 1 a 0 na última rodada, isso serviu de critério de desempate. Em três jogos, os senegaleses tomaram seis cartões amarelos, contra quatro do Japão. Nos jogos desta quinta, cada um levou um cartão.

O que chamava atenção antes do início do jogo entre Japão e Polônia eram as muitas mudanças nas duas equipes. No time polonês, já eliminado, cinco jogadores do time que começou a partida contra a Colômbia foram sacados. Já no Japão, apesar da invencibilidade e das chances de classificação, o técnico Akiro Nishino decidiu tirar alguns dos principais jogadores do time, como o camisa 10 Kagawa e o centroavante Osako. No total, foram seis mudanças na equipe titular.

O JOGO

Apesar das muitas alterações no time, o Japão foi para cima da Polônia, criando três chances antes dos 15 minutos de jogo. Na melhor delas, Muto recebeu passe de cabeça e chutou forte, para boa defesa do goleiro Fabianski. Pelo lado dos poloneses, quem mais tentava era o craque Robert Lewandowski. Porém, o atacante, atuando isolado, pouco conseguia criar. A melhor chance polonesa aconteceu aos 32 minutos. Após cruzamento da direita, Grosicki cabeceou no canto e Kawashima, em cima da linha, fez uma defesa espetacular para evitar o gol.

A jogada animou a Polônia, que passou a ficar mais com a bola e procurar o gol. Aos 36, após cobrança de escanteio, Kurzawa chutou por cima da meta japonesa. Um minuto depois, Zielinski puxou contra-ataque, mas errou o passe que deixaria Lewandowski em boas condições de marcar.

Na volta para a segunda etapa, o Japão foi obrigado a fazer uma alteração logo nos primeiros minutos. Okazaki sentiu dores e foi substituído por Ozako, titular nos dois primeiros jogos. Isso fez com que a equipe passasse a explorar mais bolas na área, mas o zagueiro Glik, que fez sua estreia na Copa, tirava quase todas.

Aos 14 minutos, finalmente saiu o primeiro gol. Kurzawa bateu falta para a Polônia na área, Lewandowski passou pela bola e ela ficou livre para Bednarek completar de primeira, sem chances para Kawashima.

O gol sofrido fez o Japão ir para cima da Polônia. Aos 26, o zagueiro Yoshida quase marcou após cobrança de escanteio. Ele subiu mais que os zagueiros adversários, mas cabeceou para fora.

Tudo mudou, porém, aos 30 minutos. A Colômbia abriu o placar no outro jogo do grupo, favorecendo o Japão, que passaria de fase mesmo com a derrota. Por causa disso, os japoneses passaram a tocar mais a bola, sem se arriscar, já que um gol mudaria tudo. O técnico Akiro Nishino, inclusive, tirou o atacante Muto e colocou o volante Hasebe.

Esse panorama se manteve até o fim. Nos minutos finais, o Japão ficou cerca de três minutos tocando a bola na defesa, sem dar chances para os poloneses. A postura revoltou a torcida presente à Arena Volvogrado, que passou a vaiar os japoneses.

AGENDA

Com a classificação, o Japão volta à campo na próxima segunda-feira, às 15 horas, quando enfrenta o primeiro colocado do Grupo G. Bélgica e Inglaterra disputam a vaga.

FICHA TÉCNICA

JAPÃO 0X1 POLÔNIA

Data: 28/06/2018, quinta-feira

Horário: 11h de Brasília

Local: Arena Volvogrado, em Volvogrado (RUS)

Árbitro: Janny Sikazwe (Zimbábue)

Cartões amarelos: Makino, do Japão.

Gols: POLÔNIA: Bednarek, aos 14 minutos do segundo tempo.

Japão: Kawashima; Hiroki Sakai, Yoshida, Makino e Nagatomo; Gotoku Sakai, Shibasaki, Yamaguchi e Usami (Inui); Okazaki (Osako) e Muto (Hasebe). Técnico: Akiro Nishino.

Polônia: Fabianski; Bereszynski, Glik, Bednarek e Jedrzejczyk; Krychowiak, Goralski, Grosicki, Zielinski (Teodorczyk) e Kurzawa (Peszko); Lewandowski. Técnico: Zlatko Dalic