<
>

Antes da estreia da Copa do Mundo, conheça os 5 melhores e os 5 piores mascotes da história do torneio

Até hoje a função das mascotes da Copa do Mundo permanece um mistério. Qual seu propósito? Quem teve a brilhante ideia de associar a imagem do maior torneio do mundo a desenhos curiosos e fantasias inusitadas? O que sabemos é que, quando nosso time vence, eles estão lá para festejar e , quando acabamos derrotados, servem também como lembrança dolorosa.

Durante o mês da Copa eles aparecem em diversos comerciais, nas mais diversas situações. Cada país elege um pedaço importante de sua cultura e tenta transformar isso em um personagem símbolo, algo que nem sempre ocorre como planejado, mas que normalmente produz um elemento esquecível, sem qualquer brilho próprio.

Em desacordo com a existência de algo tão diabólico, o ESPN.com reconhece que algumas mascotes são dignos de respeito e até de admiração nesses mais de 80 anos de Copa. Outros, nem tanto. Já avisamos: Zabivaka não cumpriu os requisitos para integrar nenhum dos lados dessa lista.

Por isso, montamos uma lista com as 5 melhores e as 5 piores mascotes da história das Copas.

OS CINCO MELHORES

5. FOOTIX - FRANÇA 1998

O galo é um dos grandes símbolos da França, então não havia como eleger um elemento muito diferente deste. Existe certa originalidade no fato de que, nunca uma ave doméstica havia sido eleita para tal 'honra'. O nome do personagem também é inspirado pelas populares tirinhas de Asterix.


4. WILLIE - INGLATERRA 1966

O leão Willie tem o mérito de ser a primeira mascote da história dos mundiais. A mascote representava a nobreza (hipotética e literal) dos ingleses, assim como homenageia o futebol como o 'Esporte Rei'. O personagem tinha uma aparência extremamente 'boleira', algo que foi se perdendo com a passagem dos anos.


3. NARANJITO - ESPANHA 1982

A laranja é um fruto típico de algumas regiões da Espanha. Em 1982, o Naranjito, uma laranja vestida com a camisa da seleção espanhola e com uma bola debaixo do braço, se tornou um símbolo do povo espanhol graças a Copa do Mundo. Foi também a primeira mascote a fugir do esteriótipo de animais ou pessoas. Após críticas inicias, a mascote cai nas graças do público e inclusive tornou-se protagonista de alguns desenhos animados.


2. CIAO - ITÁLIA 1990

O personagem não sorri, não tem rosto, mas é a mascote mais boleira da história, e por isso merece um lugar de destaque nesse ranking. O Mundial da Itália foi muito triste, com um nível de futebol baixo, talvez o pior de todos os tempos. O personagem é composto por quadrados com a cor da bandeira italiana. e possui uma bola no lugar da cabeça, elemento este que, para nós, a torna a segundo melhor mascote da história.


1. PIQUE - MÉXICO 1986

Uma escolha polêmica, mas é hora de premiar a originalidade. Uma pimenta, vestida de mariachi, com um sombreiro foi o símbolo máximo da Copa do México. Essa é definitivamente a mascote mais picante dos Mundiais e o melhor de todas as Copas, ou alguém pensa diferente?


OS CINCO PIORES

5. STRIKER - ESTADOS UNIDOS 1994

Os Estados Unidos tinham tudo para criar o personagem perfeito para o Mundial. Todos esperavam algo impactante e representativo dos americanos, que sempre foram especialistas em fazer campanhas de alta qualidade. Mas as grandes pensadores do marketing e do americanismo se juntaram e trouxeram à tona um personagem sem graça e desinteressante para o público. No fim, escolheram um cachorro, o melhor amigo do homem e o pior inimigo da originalidade.


4. GOLEO - ALEMANHA 2006

Para fugir de meros desenhos, os alemães projetaram sua mascote, um leão fora de forma que tentava joga futebol, para ser uma marionete gigante. Poderiam ter feito algo melhor, já que é difícil pensar que uma nação tida como tão 'dura' como a alemã queira se identificar o um animal tão fofo como era este leão. O pior é sua companheira, uma bola virtual risonha. E imaginem, se a bola sorri, nós também rimos disso.


3. GAUCHITO - ARGENTINA 1978 / JUANITO - MÉXICO 1970

Este caso, que na verdade são dois, representa o momento em que a representatividade se confunde com comprada pelos estrangeiros quando pensam em um determinado país. O Gauchito argentino e o pequeno gordo mexicano com o sombreiro. E, se no México pelo menos houve uma exibição histórica da seleção brasileira, na Argentina o que ocorreu no campo serviu a uma feroz ditadura.


2. TIP Y TAP - ALEMANHA 1974

Os desenhistas alemães estão sendo colocados em xeque nesta lista. Em 1974, quiseram mostrar que o país permanecia unido, mesmo com a divisão entre a Alemanha capitalista e a comunista. Ou talvez pretendiam mostrar que todas as diferenças poderiam ser com um abraço esportivo. Independente do significado que tentaram dar, o resultado foi um desenho digno de tirinhas cômicas.


1. SPHERIKS - CORÉIA & JAPÃO 2002

Se existe um elemento que pode deixar claro as diferenças culturais entre Oriente e Ocidente, este elemento é o mascote da Copa de 2002. Bem, as mascotes. Três alienígenas, ou Spheriks, nomeados: Kaz, Ato e Nik. Eles impõem medo e não o espirito esportivo. E o temor fica maior ainda maior quando dão 'poderes mágicos' para essas criaturas (um deles tem uma bola de cristal). Bem, eles não parecem transmitir nenhuma paixão pelo mundial, que querendo ou não, foi inventado e é popular no ocidente.