<
>

É gol! Guia de comemorações: o que pode e o que não pode na Rússia-2018

Guia das comemorações: faça a sua festa, mas com moderação Dalton Cara/ESPN.com.br

Você é um jogador de futebol e está no auge de sua carreira: a Copa do Mundo. A bola vem, você faz o gol. Loucura, doideira, êxtase! Agora é só comemorar, extravasar toda a alegria, certo? Depende, já que o artilheiro pode ser punido pela arbitragem. E tudo depende de como será essa celebração.

A Fifa trata as comemorações na Regra 12, "Faltas e Condutas Irregulares", item 3, "Medidas Disciplinares". Ali, há uma área específica para a festa: "Comemoração de gols". Diz o Livro de Regras da Fifa:

Os jogadores podem comemorar os gols, mas as comemorações não podem ser excessivas; as comemorações “coreográficas” não devem ser estimuladas e não podem causar perda de tempo excessiva.

Deixar o campo de jogo para comemorar um gol não é uma infração passível de advertência com cartão amarelo, no entanto os jogadores devem regressar o mais rapidamente possível.

E aí vem a orientação sobre punições:

Um jogador deve ser advertido com cartão amarelo por:

- subir nos equipamentos de proteção do campo e/ou se aproximar dos espectadores de modo que cause insegurança ou fira os princípios de segurança;

- fazer gestos ou praticar ações provocativos, debochados ou inflamatórios;

- cobrir a cabeça ou o rosto com máscara ou outro artigo semelhante;

- tirar a camisa ou cobrir a cabeça com a camisa.

Não tem grande segredo, certo? Quase. O jogador é criativo, e a cada partida é possível que surja uma comemoração nunca vista. Por outro lado, existem outras celebrações que se tornaram clássicas. Mas, e aí, o que pode e o que não pode?

Pensando nisso, o ESPN.com.br consultou o comentarista de arbitragem Sálvio Spinola para saber o que, de fato, pode ou não pode na hora de comemorar. Fez gol, vai para a galera? Cuidado, é bom dar uma olhada nos exemplos abaixo para não ser surpreendido com um cartãozinho amarelo. Ou pior, um vermelhinho...

Pode tirar a camisa?

É uma das comemorações mais clássicas da história do futebol: quem nunca viu o craque de seu time fazer um gol e tirar a camisa?

Mas o que acontece se o fera da sua seleção preferida repetir o gesto na Rússia?


Pode colocar uma máscara?

Virou tradição no México e se repetiu em várias partes do planeta: assim que o com é marcado, surge uma máscara sabe-se lá de onde, e o artilheiro vira personagem em um instante.

E se rolar na Copa, o que acontece?


Pode tirar a bandeirinha?

É gol, e de repente a bandeirinha vira de escanteio vira parte da festa, seja parceira de dança do artilheiro, seja como utensílio auxiliar na comemoração.

Mas pode ou não pode?


Pode festejar com a torcida?

Fez gol na Rússia-2018, correu para fora do gramado, ou até atrás das placas de publicidade para comemorar em frente ao seus torcedores insanos.

Pode, Sálvio?


Pode fazer o "matador"?

Pode não ser lá muito politicamente correto nos tempos atuais, mas artilheiro "matador" é uma expressão comum no futebol.

Tão comum que virou tema de comemoração. A dúvida é: pode?


Pode imitar animal, à la Viola?

A imitação de porco do então atacante corintiano Viola ao marcar no clássico contra o Palmeiras, uma alusão ao mascote da torcida rival, está na eternidade.

E se acontecer na Rússia?