<
>

Chateado, M. Guilherme desabafa por possível adeus ao São Paulo

Marcos Guilherme desabafou à imprensa após a vitória do São Paulo por 1 a 0 sobre o Paraná nesta segunda-feira, na estreia da equipe no Campeonato Brasileiro. Sem saber até quando permanecerá no Tricolor, o atacante garantiu que não está com a “cabeça boa”, mas tenta deixar as questões contratuais com o clube do Morumbi de lado para seguir desempenhando bem a sua função dentro da equipe.

“Saiu na imprensa, o contrato certo é até junho e mais seis meses que ficou acordado entre os clubes [São Paulo e Atlético-PR] e fiquei sabendo lá na Croácia ainda. Sinceramente, minha cabeça não está boa, mas tenho que seguir. Até quando não tinha saído essa situação contratual sempre deixei bem claro meu carinho pelo São Paulo. Fico um pouquinho chateado, com a cabeça um pouquinho pesada, mas tenho que fazer o meu papel”, disse Marcos Guilherme.

Emprestado pelo Atlético-PR ao Dínamo Zagreb, da Croácia, Marcos Guilherme acabou não ganhando muito espaço por lá e, com a situação, chamou o interesse do São Paulo. O Tricolor, por sua vez, acertou o empréstimo do atacante até 30 de junho de 2018, contudo, teria feito um ‘acordo de cavalheiros’ com o Furacão para manter o atleta até o final da atual temporada, sem formalizá-lo. Recentemente, o clube do Morumbi entrou em contato com os detentores dos direitos econômicos do camisa 23, que disseram que irão querer o retorno de Marcos Guilherme no segundo semestre, ignorando a negociação feita no ano passado.

São-paulino de coração, o jogador não esconde sua vontade em permanecer no São Paulo. Desde que chegou, Marcos Guilherme foi titular na maioria das partidas e se tornado peça fundamental no setor ofensivo tricolor.

“Minha vontade eu já passei para todos. Conversei com o presidente, com outros dirigentes do São Paulo. Agora vai da vontade deles, sempre quando entrei em campo dei meu melhor. Sei que não sou nenhum craque, mas quando entro ali dentro do campo não tem bola perdida. Às vezes falta técnica, mas raça, vontade, nunca vai faltar de mim”, concluiu Marcos Guilherme.