<
>

Justiça volta a negar liberação de Scarpa e adia fim de disputa com o Fluminense

Gustavo Scarpa ainda não se reapresentou Andre Fabiano/Código19/Gazeta Press

Gustavo Scarpa segue sendo jogador do Fluminense. Ao menos, contratualmente, é esse o entendimento da Justiça, que, em audiência realizada na 70ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho-RJ, nesta segunda-feira, voltou a negar o pedido de liberação do jogador.

A juíza Dalva Macedo, que analisa o caso e foi responsável por derrubar a liminar que permitiu que o meia acertasse com o Palmeiras, deu prazo de dez dias para que Scarpa e seus representantes e o Fluminense apresentem suas considerações finais. Depois, então, dará o veredito.

Até uma definição da magistrada, Scarpa seguirá como jogador do Fluminense, impedido, portanto, de atuar ou mesmo treinar pelo Palmeiras – clube que defendeu por oito jogos em 2018.

Scarpa conseguiu liberação do contrato com o Fluminense em processo de R$ 9,2 milhões, em que alega atrasos no pagamento de salários, direito de imagem e FGTS. Em março, contudo, a decisão de caráter liminar foi cassada pelo TRT, fazendo com que o antigo vínculo fosse retomado.

Sem jogar desde o dia 11 de março, quando marcou dois gols pelo Palmeiras contra o Ituano no Campeonato Paulista, Scarpa tem treinado em uma academia no interior de São Paulo. Nesta segunda, esteve presente na audiência, mas não falou com a imprensa.

Depois da decisão do TRT, ainda caberá recurso, tanto de Scarpa, quanto do Fluminense, dependendo do resultado, ao TST (Tribunal Superior do Trabalho), em Brasília.