<
>

Multicampeão por São Paulo e Corinthians, Danilo diz: 'Vai faltar só a foto com a camisa da seleção'

Foto de Danilo durante a partida entre Santos e Corinthians, pelo Paulista de 2018 Gazeta Press

Seria Danilo o maior jogador da história do futebol a jamais ter vestido a camisa de sua seleção? No Resenha ESPN - Perdeu? Não tem problema! Veja o programa completo no WatchESPN -, o protagonista de títulos importantes de Corinthians e São Paulo falou sobre nunca ter tido a oportunidade de usar o manto do Brasil.

"Em 2005, eu estava muito bem, mas a seleção tinha jogadores melhores, como Alex, Kaká, Ronaldinho Gaúcho. Não teria como ir. Não levo mágoa, não. O futebol é assim mesmo. Agradeço muito por ter sido campeão pelos clubes que passei: Goiás, São Paulo, Kashima Antlers e Corinthians. Fico feliz pela carreira. Mas, claro, vai faltar só a foto com a camisa (do Brasil)", disse.

Mundial de Clubes

No programa, o camisa 20 também falou sobre os títulos mundiais que venceu com São Paulo e Corinthians e aproveitou para contar uma história curiosa sobre a sua atuação na partida de 2012.

"O jogo em que eu mais me senti confiante foi contra o Chelsea. Até brinquei que poderia jogar mais uns 10 minutos. Eu queria jogo e não perdia uma bola. Todo mundo louco para acabar a partida, pressão, com o Cássio pegando bola toda hora. Aí no jantar eu falei que queria ter jogado mais, e disseram que eu estava louco", relembrou

O meio-campista ainda fez uma breve análise sobre os clubes ingleses que enfrentou e afirmou que o Liverpool de 2005 era superior ao Chelsea de 2012. "A gente (São Paulo) não conseguia jogar, ficava só defendendo. Com o Corinthians foi diferente. Tocamos passes e tivemos a posse de bola. O Liverpool era mais forte. Era achar um gol e defender", comparou.

Lesão

Em agosto de 2016, uma grave lesão quase acabou com a carreira de Danilo. O meia sofreu fratura na tíbia e na fíbula e correu risco de ter sua perna direita amputada. O lance aconteceu durante um treinamento em disputa de bola com o zagueiro Yago.

"O médico disse que era uma contusão rara no futebol. Quando o osso bateu e entrou para dentro, cortou tudo. A evolução foi muito difícil. Voltei a treinar, mas limitado. Pé dormente, mancando. Achei que seria complicado retornar", lembrou. Mas, aos poucos, o jogador de 38 anos foi se recuperando.

"Esse ano eu voltei muito melhor. Nas férias, joguei muito futevôlei. Fui para a areia com os meus amigos. Todo dia eu joguei. Aí eu voltei muito bem. Hoje, me sinto 100% e as limitações acabaram", explicou Danilo durante o Resenha ESPN.

"As coisas não aconteceram como eu esperava", diz Gabigol sobre passagem pela Europa

Gabigol deixou o Santos rumo à Internazionale em agosto de 2016. O time de Milão pagou 27 milhões de euros (R$ 97,5 milhões de reais) para ficar com o jogador. A expectativa era alta, mas o atacante - quarta maior transação da história do futebol brasileiro na época - não vingou. No Resenha ESPN, ele deu a sua versão sobre o período na Europa.

"Na Itália, é muito difícil para o meu estilo de jogo. Nenhum jogador batia com o meu jeito, era totalmente diferente. Eu tinha muito tempo de Santos e estava querendo ir embora. O projeto da Inter era muito bom para mim. A minha preocupação maior não era o dinheiro, mas poder jogar. Mas aí eu não vinha tendo oportunidade e achei estranho. O treinador falava que era opção. Aí pensei em procurar outro lugar. Fui para o Benfica, mas vi também que o time não ia ser trocado, então decidi voltar", explicou.

Para ver TUDO o que rolou no Resenha ESPN deste domingo (15/04/2018) assista ao programa COMPLETO no WatchESPN. A edição conta com André Plihal, Amoroso, Alex, Djalminha, Danilo (Corinthians) e Gabigol (Santos).