<
>

Supervisor da FIFA recomenda expulsão da Grécia de competições internacionais

Futebol grego vive grave crise por conta de violência Vladimir Rys Photography/Getty Images

O presidente do comitê da Fifa para supervisionar a Federação Grega de Futebol (EPO, sigla em grego), Herbert Huebel, recomendou a expulsão dos clubes do país e de suas seleções nacionais das competições internacionais nesta quinta.

"A situação atual não permite que a EPO garanta o bom funcionamento das competições nacionais", explicou Huebel em seu relatório à FIFA. Por enquanto, a expulsão dos clubes e seleções da Grécia das competições internacionais é apenas uma possibilidade, já que a decisão do Comitê da FIFA só deve acontecer em maio ou junho.

Com isso, cresce a pressão sobre a federação local para resolver os problemas ocorridos. O reporte ainda fala de "repetidos incidentes de violência nos estádios", da lentidão na hora de resolver conflitos, de comunicar e iniciar as decisões tomadas, assim como a não implementação efetiva das recomendações que o comitê emitiu em fevereiro.

O enviado da FIFA ainda destacou a violência no incidente ocorrido em 11 de março, quando o presidente do PAOK Salônica, Ivan Savvidis, invadiu o campo com uma pistola para protestar contra a anulação de um gol. "É a segunda vez nos últimos dois anos que o campeonato nacional fica suspenso por razões relacionadas com a violência", explicou.

Após esse episódio, a direção do Campeonato Grego decidiu descontar três pontos do PAOK na classificação atual e impor a Savvidis a proibição de entrar a um estádio durante três anos, além do pagamento de uma multa de 100 mil euros (cerca de R$440 mil).

O possível banimento de clubes e seleções afetaria profundamente o futebol grego, impedindo todas as equipes nacionais e seleções masculinas e femininas de participar de competições internacionais.