<
>

Se não contratar Neymar, Real Madrid já tem 'plano B' para reforços, diz jornal

Neymar é o grande objetivo do Real Madrid na próxima janela de transferências, em junho, mas engana-se quem pensa que é só nele que o time merengue mira. Segundo noticia nesta quarta-feira o jornal espanhol Marca, são três nomes presentes na lista de reforços: Eden Hazard, Robert Lewandowski e David de Gea.

O primeiro, de acordo com o periódico, seria o protagonista da negociação menos difícil delas. Nos últimos meses, o pai do belga chegou a afirmar que era desejo do meia-atacante atuar com a camisa do Real, além de ter Zinédine Zidane como um de seus maiores ídolos no futebol.

"Eden recusou uma oferta de renovação do Chelsea. Ele quer ir para o Real Madrid, se veria bem lá", disse Thierry Hazard, em entrevista ao jornal belga Le Soir, no fim de dezembro do ano passado.

Hazard deixou a Bélgica ainda miuto jovem para se formar nas categorias de base do Lille, da França. Pela sua primeira equipe, sagrou-se campeão do Campeonato Francês e da Copa da França, em 2011.

Um ano depois, acertou com o Chelsea, onde conquistou os títulos da Premier League de 2015 e 2017. Seu contrato com os Blues vai até junho de 2020.

Já o caso de Lewandowski é um pouco mais complicado, mas também é factível. A imprensa espanhola, inclusive, chegou a especular que o centroavante polonês pediu para sair do Bayern de Munique no final da atual temporada, uma vez que busca novos desafios na carreira.

Revelado pelo Legia Varsóvia-POL e com passagem também pele Lech Pozna-POL, "Lewa" apareceu para o mundo a partir de 2010, quando se transferiu para o Borussia Dortmund. Após quatro anos, ele acabou trocando o time aurinegro de graça - e de forma polêmica - pelo grande rival Bayern de Munique.

Como tem contrato até 2020 e já marcou 32 gols em 35 partidas na temporada, a equipe bávara fará jogo duro para liberá-lo.

Mas a negociação mais difícil fica por conta de De Gea. Favorito da cúpula do Real para assumir o gol do hoje titular Keylor Navas, o espanhol só sairia do Manchester United por um preço absurdo: 100 milhões de euros (R$ 400 milhões). Curiosamente, o arqueiro foi revelado pelo rival merengue, o Atlético de Madrid, de onde saiu para a Inglaterra em 2011.