<
>

Corinthians e Cruzeiro: tri olímpico no vôlei, Zé Roberto Guimarães tem passado boleiro

play
Ex-Corinthians e Cruzeiro, Zé Roberto Guimarães relembra passado no futebol e não descarta retorno (2:42)

Convidado do Bola da Vez, técnico da seleção feminina disse que poderia voltar dependendo do projeto (2:42)

Você conhece José Roberto Guimarães, técnico do vôlei. Campeão olímpico como comandante da seleção masculina em 1992 e medalha de ouro com a seleção feminina em 2008 e 2012, ele divide sua paixão pelo esporte das quadras com uma outra: o futebol.

José Roberto Guimarães é o convidado do Bola da Vez desta terça-feira, às 21h30 (horário de Brasília), na ESPN Brasil e no WatchESPN.

Logo após a exibição na TV, o programa na íntegra e o making of da gravação estarão disponíveis no WatchESPN.

Mas os pés dele vão além do papel como torcedor na arquibancadas. Zé Roberto foi dirigente de Corinthians e Cruzeiro há pouco menos de 20 anos.

"Eu trabalhei no Corinthians dois anos, juntamente com um ano de Cruzeiro, consegui aprender muita coisa e vi muita coisa legal", afirmou à ESPN Brasil.

No dia 31 de maio de 1999, ele foi apresentado como diretor de futebol da Corinthians Licenciamento Ltda. empresa formada em conjunto pelo clube alvinegro e sua então parceira, a Hicks, Muse, Tate & Furst Incorporated.

Popularmente conhecida como HMTF, o fundo de investimentos dos Estados Unidos colocou milhões na América Latina, e no futebol brasileiro, além do Corinthians, fechou contrato com o Cruzeiro.

No acordo, ficava responsável pela marca dos clubes e com parte do controle dos departamentos de futebol. O gerenciamento era feito através de empresas abertas em conjunto com as agremiações e com profissionais designados pelo fundo para acompanhar o dia a dia das equipes - Zé Roberto, no caso, era um deles.

"Futebol é uma religião do nosso país. O que atrapalha no futebol normalmente é a política do clube. Diretores que querem ter algumas vantagens no departamento... Mas no futebol a coisa é organizada. Os clubes são organizados, seus departamentos de futebol são organizados, com pessoas competentes, técnicos competentes, preparadores excepcionais, tem muita gente boa”, declarou.

Zé Roberto viveu de perto a euforia corintiana com as conquistas do Brasileiro de 1999 e do Mundial de Clubes, além da Copa do Brasil dos cruzeirenses em 2000 - ele passou a se dividir entre as duas equipes meses depois de estrear na função.

Também precisou administrar momentos conturbados, quando a equipe paulista fazia uma péssima campanha na Copa João Havelange em 2000.

O técnico saiu da HMTF, e do futebol por tabela, após discordar da decisão do fundo de vender os jogadores da parceria mantida com as duas equipes. Em maio de 2001, seu retorno ao vôlei foi oficializado quando assumiu o comando do então BCN/Osasco.

Técnico da seleção feminina de vôlei desde 2003, Zé Roberto não descarta um retorno ao futebol no futuro.

"Olha, eu sempre coloco que eu nunca digo nunca. Depende do projeto, das pessoas ligadas ao projeto. Por exemplo: eu sou apaixonado por categoria de base. Por quê? Porque a categoria de base é o futuro. Se você investir bem ali, preparar bem esses meninos para o futuro, com certeza você vai ter jogadores importantes para o time em um preço mais acessível, pelo menos por um período. Acho que é a solução. (...) Mas acho que é isso. Eu não digo não."