<
>

Presidente entra em campo supostamente armado, e jogo na Grécia é interrompido

Ivan Savvidis invade o campo para reclamar de gol anulado do PAOK diante do AEK Getty Images

O clássico entre PAOK e AEK tomou proporções exageradas neste domingo, pelo Campeonato Grego. Inconformado com o gol anulado de sua equipe nos minutos finais da partida, o presidente do PAOK, Ivan Savvidis, invadiu o campo com um suposto revólver na cintura e se dirigiu ao árbitro para tirar satisfação sobre o lance.

Antes de o mandatário do clube grego perder a cabeça, porém, seguranças acabaram o impedindo de prosseguir em campo.

O clássico estava empatado em 0 a 0 quando Fernando Varela subiu de cabeça para estufar a rede. Contudo, o árbitro marcou posição irregular do zagueiro instantes após validar o gol. Em meio a minutos de conversas, o lance acabou anulado.

Os jogadores do PAOK que estavam no banco de reservas também ficaram inconformados e, assim como os titulares, foram orientados pelo presidente do clube a irem para o vestiário. Por conta da conduta violenta do dirigente, o clássico foi encerrado pouco antes do previsto.

"O que me parece surrealista é que um gol anulado, este bem ou mal anulado, dê pé para que o presidente e membros do PAOK saiam ao campo a repreendê-lo, algo que também fez com nosso banco. Nas imagens vimos que levava uma pistola, ainda que não a tenha sacado, ao menos eu não vi", afirmou o treinador do AEK, Manolo Jiménez, à rádio espanhola Cadena Ser.

O AEK lidera o Campeonato Grego com 55 pontos, dois a mais do que o Olympiacos. O PAOK está em terceiro com 50 pontos.