<
>

Rueda é plano A do Chile, que se reunirá com técnico nesta semana

play
Com olhos marejados, Reinaldo Rueda comenta perda de título e diz o que faltou ao Flamengo (4:20)

Após empate no Maracanã, o Independiente ficou com o título da Sul-Americana (4:20)

O futuro de Reinaldo Rueda pode não estar no Flamengo. Sem técnico desde a não-classificação para a Copa do Mundo de 2018, o Chile definiu o colombiano como plano A para o cargo.

De acordo com os jornais Emol e El Deportivo, uma reunião acontecerá durante a semana entre Arturo Salah, presidente da Federação Chilena, e o treinador para definir a situação. O encontro será na Colômbia, país natal de Rueda e onde passa férias.

Rueda é o favorito para assumir o cargo e o primeiro nome procurado pelos dirigentes do Chile, que enxergam nele um perfil ideal para liderar a reformulação da seleção após o fracasso nas Eliminatórias. O processo seria semelhante ao que o técnico participou quando assumiu o Equador em 2010 e levou o país a Copa de 2014.

A contratação do técnico, no entanto, não é das mais fáceis. Rueda havia garantido sua permanência no Flamengo e pretende permanecer. Caso seja convencido, a federação ainda deverá desembolsar US$ 1,5 milhão (cerca de R$ 3,3 milhões) estipulado em caso de rescisão de contrato.

O valor é superior ao pago na chegada de Jorge Sampaoli, quando o argentino ainda dirigia a Universidad de Chile em 2012. Na época, foram US$ 500 mil (aproximadamente R$ 1,5 milhão) para acertar a saída do clube.

Se não conseguir acertar com Rueda, os dirigentes da federação trabalham justamente com seu mais recente algoz: Ariel Holán, treinador do Independiente-ARG e campeão da Copa Sul-Americana em cima do Flamengo. Marcelo Bielsa, recém-demitido do Lille-FRA, também é visto como um dos possíveis nomes.