<
>

Diretor técnico da F1 dispara após Ferrari ameaçar sair da categoria

As férias da Fórmula 1 foram marcadas por ameças vindas de Ferrari e Mercedes em abandonar a categoria, sob justificativa de insatisfações com relação aos caminhos escolhidos pela Liberty Media – conglomerado de mídia que assumiu o controle da F1 no ano passado. No entanto, Ross Brawn, diretor técnico da F1, acredita que a categoria sobreviveria caso a Ferrari decidisse deixar a disputa.

“A F1 sempre irá sobreviver. Todos vemos isso: vemos campeões mundiais que deixam o esporte e, às vezes, temos tragédias na F1. Sempre tivemos isso: ‘Para onde o esporte vai?’ E ele se recupera. Ele segue em frente, seja comigo nele, com o Liberty nele, com a Ferrari nele. Ele sempre seguirá em frente”, declarou em entrevista à emissora Sky Sports.

No entanto, Brawn admitiu que a saída da Ferrari poderia ter um impacto ruim: “Será bom se isso acontecer? Acho que não. Acho que será melhor se encontrarmos uma solução com a Ferrari, mas isso tem de acontecer com os parâmetros corretos”.

“Não podemos ter uma situação em que fazemos tudo que uma equipe quer, seja ela qual for. Não podemos gerenciar o esporte baseado no que as equipes querem”, concluiu Brawn, que trabalhou como diretor técnico da Ferrari na sequência de títulos de Michael Schumacher, na última década.