<
>

Brasil lidera índice de audiência da F1 em ano de alta da categoria

O carinho dos brasileiros pela Fórmula 1 parece não ter diminuído nem mesmo após anos de insucesso na categoria, com pilotos longe das primeiras posições e fora da briga pelos títulos. Um estudo divulgado nesta sexta-feira revelou que o Brasil continua sendo o país com mais mercado da F1, atingindo a marca de 76 milhões de espectadores. A temporada acabou se mostrando produtiva também para a Liberty Media, que viu um expressivo aumento na audiência e nas redes sociais.

Líder no quesito de audiência, o Brasil perdeu o posto de país com maior crescimento no número de espectadores únicos, ou seja, aqueles que ligam a TV para assistirem às corridas. Neste ponto, houve uma queda de 1.8%. Quem parece ter voltado a ser fã fiel da Fórmula 1 é a Itália, que registrou um crescimento de 19.1%, o maior entre os principais mercados.

Desde que assumiu o comando da F1, a Liberty Media definiu que uma das prioridades era recuperar a audiência e impulsionar as redes sociais da categoria. Depois de uma temporada, os números de telespectadores atingiram a marca de 1.4 bilhão de pessoas nos 20 principais mercados, que significa um aumento de 6.2% em relação ao último ano, que foi de baixa assim como os sete anteriores.

As redes sociais também tiveram um crescimento de 54.9% no número de adeptos. Ainda de acordo com o estudo, o impulso no número de seguidores nas principais plataformas (Facebook, Instagram, Twitter e You Tube) atingiu 11.9 milhões de pessoas.

Responsável pelas propostas de melhorias aos fãs da Fórmula 1, Sean Bratches comemorou o aumento dos índices e revelou que as metas projetadas foram alcançadas na primeira temporada à frente da categoria. “Nosso foco central na última temporada foi melhorar a experiência dos fãs em todas nossas plataformas, e é encorajador ver o engajamento dos fãs ao redor do mundo. Estamos encorajados pelo crescimento no número de audiência em nossas fontes durante a temporada de 2017”, disse o diretor comercial da F1.