<
>

Rick Fox permanecerá na Echo Fox caso "acionista racista" saia

O ex-jogador do Los Angeles Lakers, Rick Fox, que fundou a organização de esportes Echo Fox em 2015, ofereceu um ultimato à empresa Vision Venture Partners: ou um investidor que usou termos racistas deixaria a empresa, ou ele sairia Divulgação/Riot Games

Após anunciar internamente suas intenções de vender sua participação na equipe de esports que fundou, a Echo Fox, por causa de termos raciais usados ​​por um dos acionistas da equipe, Rick Fox, ex-astro da NBA, disse que mudou sua decisão de deixar a empresa e encerrou negócios com o investidor.

Em um vídeo postado pelo TMZ na última sexta-feira (03), o ex-jogador do Los Angeles Lakers e do Boston Celtics explicou apaixonadamente sua postura de permanecer, que contrastava com as informações anteriores que ele definitivamente planejava deixar a empresa.

Na semana passada, surgiram relatos de um parceiro da Vision Esports - parte da Vision Venture Partners, um grupo de investimento que Rick Fox co-fundou e é dona de uma participação na Echo Fox - sendo acusado de usar linguagem racista dirigida a Jace Hill, CEO da Echo Fox e atual e diretor de Twin Galaxies. Hall é afro-americano.

"Tenho parceiros incríveis, investidores, patrocinadores que não defendem esse tipo de comportamento", disse Fox ao TMZ na entrevista publicada na sexta-feira. "Esta tem sido a minha vida. Esta tem sido a minha paixão. Eu não estou querendo ir a lugar nenhum, mas não vou continuar no negócio com um racista. Eu simplesmente não vou."

Fontes da Echo Fox e da Riot Games disseram à ESPN que o investidor que Fox está se referindo é Amit Raizada, fundador da Echo Fox, que supostamente usou a palavra que começa a com letra “n”, e que se refere a uma expressão racista naquele país, para descrever Hall durante uma disputa interna. Raizada é sócio da “empresa-mãe” da organização de esports, a Vision Venture Partners, e fundou a Echo Fox junto com Rick Fox e Khalid Jones, disse a Fox em entrevista à ESPN em agosto de 2018.

"Começou com a Amit e eu realmente se interessando na compra da Gravity", disse ele na época. "Khalid Jones também fez parte disso. Esses eram os caras que estavam na casa de Amit, nas colinas [de Hollywood], planejando em como entrar no esports de maneira responsável e respeitosa".

Na semana passada, a Fox divulgou um email obtido pela Dexerto que detalhava as aparentes intenções da Fox de "sair da organização Echo Fox como acionista e participante assim que fosse capaz de facilitar uma transação para viabilizá-la".

Em um comunicado divulgado pela Echo Fox em 26 de abril, após o relatório de Dexerto, a equipe confirmou que o suposto uso da linguagem racista por Raizada havia sido um problema várias vezes no passado também.

"Ao tomar conhecimento dos incidentes, a Companhia [sic] fez várias exigências ao investidor infrator, incluindo sua dissociação da empresa e estamos [continuando] a trabalhar diligentemente para esse fim", disse parte da declaração.

Rick Fox está envolvido com os esports desde 2015, quando comprou uma equipe do League of Legends. Echo Fox posteriormente mudou-se através do mundo dos jogos, especialmente em jogos de luta.

Ao falar ao site TMZ, Fox reconheceu e lamentou que não houvesse nenhuma ação legal que pudesse ser tomada em tal caso.

"Infelizmente, o fato de ser racista nos Estados Unidos não é ilegal, infelizmente", disse Fox. "Ele tem seus próprios interesses econômicos e seus próprios direitos. Então, ninguém vai atropelar seus direitos."

A Fox publicou mais tarde uma breve mensagem no Twitter que dizia "#EndRacism".