<
>

"Torcem pela nossa vergonha": RedBert fala sobre falta de apoio da torcida brasileira

RedBert quer ir para o MSI para trazer alegria para a comunidade brasileira Riot Games

Vencer a principal competição do País, por si só, era para ser o suficiente para atestar que a equipe campeã é a mais capacitada para representar aquela nação num torneio internacional. Lógica esta inexistente para parte da comunidade brasileira.

Apesar da INTZ ter vencido a primeira etapa 2019 do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL), grande parcela dos torcedores teimam em afirmar que a equipe alvinegra não é aquela que melhor representaria o Brasil no Mid-Season Invitational (MSI). Atitude esta que incomoda RedBert.

Ao ESPN Esports Brasil, o suporte revela achar errado esse pensamento da comunidade “porque ao invés de apoiarem o time que está indo, eles ficam contestando e falando que outro seria melhor”.

“Querendo ou não, mesmo uma pessoa ligando ou não para os comentários, dá uma desanimada porque o que era para ser o maior motivo de eu querer ir lá e ganhar, que é representar o meu País e ir bem pelo Brasil, acaba me desmotivando porque nem o País quer que eu vá bem, eles torcem pela nossa vergonha, torcem para que a gente vá mal só para confirmar o ponto de que outro time seria melhor”, opina RedBert.

O Intrépido trata de lembrar que é algo corriqueiro no Brasil: “Em todos os mundiais ou torneios internacionais que o Brasil participa sempre tem uma parcela da comunidade que insiste que algum outro time seria melhor. Usando como exemplo a Cloud9, que geralmente não é a campeã na América do Norte mas chega no campeonato internacional e acaba sendo a melhor representante daquela região”.

Mas se por um lado a desconfiança atingiu em cheio RedBert, a deplorável atitude passou quase que despercebido para Tay. O topo aponta não se importar muito. Para o jogador, “se tiver um time que é melhor que a gente para poder representar, eles vão chegar e vão ganhar da gente e vão lá por mérito deles. É muito difícil tentar tirar o mérito de algum time porque o time venceu”.

REDENÇÃO

Rebaixados no início de 2018 quando ainda vestiam a camisa de Team oNe e paiN Gaming, respectivamente, RedBert e Tay chegaram na INTZ sendo contestados pela torcida Intrépida. Sentimento este que piorou após o time, pela segunda vez na temporada, precisar disputar a repescagem para se manter na elite. Nem mesmo o bicampeonato da Superliga salvou o time e a dupla de severas críticas.

Mas RedBert não guarda mágoas. O suporte não vê o título do CBLoL servindo para calar a boca dos críticos “porque, pessoalmente, não me importo muito quando me criticam. Sou muito autocrítico. Se percebo que estou indo mal, já fico mal e não preciso que outros apontem o dedo pra mim”.

O jogador concorda que “ano passado, realmente, foi péssimo pra mim porque fui rebaixado e joguei a repescagem com a INTZ”, mas diz que “desde a Superliga venho tendo uma evolução e isso é muito gratificante, ainda mais por ter ganho em cima do Flamengo, que todos colocavam como campeões incontestáveis”.

Já Tay vê essa conquista sendo “uma redenção tanto pra mim, quanto para INTZ”. Assim como o companheiro, o topo fala que as coisas mudaram no time a partir da segunda edição da Superliga: “Estávamos com uma ideia boa e, querendo ou não, tava dando tudo certo. Ganhamos a Superliga e estávamos indo bem no CBLoL, mas sabíamos que tínhamos que melhorar mais coisas se a gente quisesse ganhar o título”.