<
>

Echo Fox confirma que investidor usou linguagem racista com Rick Fox

Riot Games

A Echo Fox confirmou nesta quinta-feira (25) que um investidor da empresa-mãe da organização de esports utilizou linguagem racista várias vezes, incluindo em um confronto com o fundador da equipe e ex-jogador do Los Angeles Lakers, Rick Fox.

“Houve incidentes nas últimas semanas nos quais um parceiro limitado da Echo Fox, que não é funcionário, oficial ou diretor da Echo Fox, usou um epíteto racial para se dirigir a indivíduos tanto verbalmente quanto por e-mail”, de acordo com uma declaração da organização. “Um desses incidentes foi detalhado nas contas da mídia de hoje. E embora esse incidente não tenha sido dirigido a um empregado, oficial, membro ou acionista da Echo Fox, é totalmente inaceitável que a Echo Fox seja ligada à intolerância racial”.

“Houve outros incidentes relatados em que o acionista em questão usou pessoalmente esse mesmo tipo de linguagem com Rick Fox. Esses incidentes são especialmente significativos para nós, pois a Echo Fox possui um nível incomparável de diversidade em seu principal grupo de proprietários, gerenciamento, liderança e base de jogadores”, continua a declaração.

"Ao tomar conhecimento dos incidentes, a Companhia [sic] fez várias exigências ao investidor infrator, incluindo a dissociação do investidor da empresa, e estamos continuando a trabalhar diligentemente para esse fim”, finaliza.

A declaração veio depois de uma reportagem de quinta-feira publicada pelo Dexerto que relatou que Fox pretende vender sua participação na Echo Fox por causa das ações deste investidor. A Echo Fox não comentou o futuro da Fox na empresa. Fox e seu representante de mídia não responderam aos pedidos de comentários.

De acordo com o Dexerto, um acionista da Vision Esports - parte da Vision Venture Partners, um grupo de investimento co-fundado por Fox e que possui uma participação na Echo Fox - também teria usado linguagem racista dirigida a Jace Hall, ex-CEO da Echo Fox e atual CEO e diretor da Twin Galaxies. Hall é afro-americano.

Em um email obtido pelo Dexerto, Fox abordou a situação com os acionistas.

“Todos,

Esta é uma notificação oficial da minha intenção de sair da organização Echo Fox como acionista e participante assim que eu conseguir uma transação. A recente exibição ultrajante e abominável de puro racismo feita por um acionista significativo da Echo Fox, assim como as ameaças à minha família, tornaram impossível para mim continuar associado à empresa.

Eu não apoiarei ou serei associado a tais comportamentos e atitudes demonstrados no nível dos acionistas. O racismo é um anátema ao que minha marca pessoal se esforça para ser, e tolerar qualquer forma de discriminação como essa é inaceitável.

Esta notificação serve como o início do meu processo de saída da empresa. Entrarei em contato com todas as pessoas relevantes e interessadas. Minha posição na sociedade e a entidade que possui minhas ações estão disponíveis. Dependendo da proposta, há diferentes formas de estruturar um acordo: aquisição da minha entidade, troca de posições, etc. Os interessados ​​podem entrar em contato comigo. Seguirei com o primeiro acordo que for interessante”.

O acionista em questão, que não foi nomeado, supostamente usou a palavra “N” (em inglês) para descrever Hall durante uma disputa interna.

Fox está envolvida nos esports desde 2015, quando comprou uma equipe com uma vaga na liga norte-americana de League of Legends. Desde então, a Echo Fox se ramificou por todo o mundo dos jogos, particularmente em jogos de luta.

-- Reuters e Field Level Media contribuíram para esta matéria.