<
>

Chelo considera chave da INTZ a "mais difícil" da Pro League de CS, mas diz que "nada é impossível"

INTZ é a primeira brasileira a estrear na nona temporada da EPL HLTV.org

Contra equipes que chegaram ao Legends Stage do primeiro Major da temporada, a INTZ estreará, nesta sexta-feira (12), na nona temporada da ESL Pro League de Counter-Strike: Global Offensive. Para chelo, NRG Esports e Renegades, “com certeza, são as adversárias mais difíceis” que o time enfrentará pela Fase de Grupos já que “ambas estão em um momento muito bom”.

Ao ESPN Esports Brasil, o Intrépido revela que acha o Grupo A o "mais difícil” da divisão norte-americana. “Vamos dar o máximo mesmo jogando com os substitutos. Apenas um jogo pode mudar nosso próximo semestre e vamos em busca disso. Podem ter certeza que vamos pra ganhar de todos”, promete.

Chelo lembra ainda que, assim como a INTZ, a Renegades não disputará a competição com a formação completa. Isso porque Gratisfaction teve problemas na emissão do visto para entrar nos Estados Unidos, dando lugar ao emprestado smooya.

Na Pro League a INTZ não poderá contar com as presenças de kNg e Destiny, que não conseguiram aprovar a tempo os vistos que dão acesso aos Estados Unidos. Reserva do time, Horvy foi alçado ao time titular e a segunda vaga foi ocupada por SHOOWTiME, emprestado pela Imperial e-Sports.

Apoka afirma que a equipe recebeu a notícia “com tristeza” porque “seria um torneio muito importante para o grupo completo”. Sobre a escolha dos substitutos, o treinador revela que “tínhamos alguns nomes, mas com as regras da ESL e as classificações de alguns times brasileiros para eventos próximos a semana do torneio, nem precisamos discutir muito pois, dos melhores times do Brasil, a Imperial era a única que teria essa disponibilidade”.

O comandante Intrépido conta ainda que o time chegou a cogitar shz, mas que este não poderia ir. Já yeL, quando questionado se as ausências diminuem as chances da INTZ, responde que “com certeza, pelo fato de estarmos treinando juntos há três meses”.

BALANÇO

Desde que foi anunciada pela INTZ, em setembro passado, a formação comandada por kNg vem morando no Canadá e competindo em torneios internacionais. Sobre este período, Xand classifica “o desempenho do nosso time como inconstante”. Segundo o jogador, "temos jogos e treinos ótimos contra equipes ‘Tier 1' do mundo e outros ruins contra nomes de ‘Tiers 2 e 3’".

“Depois das entradas do yeL e do destiny, acredito que estamos melhorando isso, encontrando nossos jeito e estilo de jogar. Falta um campeonato bom para alavancar”, analisa

NOVA CHANCE

Integrante do time antes mesmo da mudança para a INTZ, Horvy iniciou a temporada no banco de reservas após mudanças que levaram felps para MIBR e tornaram yeLe Destiny novos Intrépidos. Mas isso não quer dizer que o jogador estava parado, sem atuar. Nos últimos meses, o awper vinha completando para a Team oNe - outra equipe brasileira que vive e compete na América do Norte.

Para Horvy, “com certeza” esse período junto ao oNe “foi importante e algo que eu mesmo pedi para a INTZ quando soube pela primeira vez que iria jogar a EPL”. Segundo o jogador, “a experiência pela Team oNe me ajudou a me encontrar como jogador novamente e voltar a ter boas performances individuais constantes. Coloquei muito trabalho individual tanto na parte mental, quanto na parte mecânica nesse começo de ano para chegar com a melhor forma possível na EPL e nos próximos desafios após INTZ”.