<
>

De GOATS para BOATS: A mudança de meta na Overwatch League

San Francisco Shock durante as finais do Stage 1 da Overwatch League 2019. Stewart Volland/Blizzard Entertainment

O veredito final entregue pelo Vancouver Titans e o San Francisco Schock, campeão e vice-campeão do Stage 1 da Overwatch League, foi de que a composição de três tanques e três suportes (a famosa “GOATS”) era superior. A maioria das equipes que estava tentando encontrar formações que quebrassem a GOATS - normalmente envolvendo a EMP da Sombra - tiveram dificuldades com a composição 3-3, com a Chengdu Hunter sendo uma possível exceção.

Entrando no Stage 2, todos os olhos estavam no novo suporte, Baptiste, para medir sua viabilidade. Ele estava sendo anunciado como uma possível quebra para a fortaleza do GOATS por estar sendo utilizado no lugar da Brigitte, a heroína que foi dominante na composição 3-3 no Stage 1. Ao contrário de Brigitte, cujo kit de habilidades naturalmente leva a teamfights cara a cara, a chegada de Baptiste à liga viabilizou mais composições de longo alcance.

“[O Stage 2] é diferente”, disse o suporte flex Bang “JJoNak” Sung-heyon, do New York Excelsior. “O gerenciamento de habilidades supremas está diferente. No GOATS, era mais o combo da Zarya/D.Va. Agora, se você aparece com uma Widow, não é mais sobre trabalho em equipe. Normalmente, é mais sobre mecânica visual”.

O consenso geral entre os jogadores da liga após a primeira semana do Stage 2 é que o GOATS ainda é a composição padrão, mas pode ser utilizada como base para a construção de outras formações, como colocar Baptiste no lugar de Brigitte (BOATS) ou usar os dois heróis juntos, aproveitando o máximo de seu Campo de Imortalidade.

“Quando joguei com Baptiste hoje, essa não era nossa estratégia”, revelou JJoNak. “Foi quando estávamos contestando o mapa. Eu joguei com ele para contestar, mas ganhamos muitas vantagens por conta do Campo de Imortalidade. Além disso, foi divertido jogar com um herói que não era nem o Zenyatta, nem a Ana”.

Kim “Birdring” Jihyeok, do London Spitfire, também utilizou Baptiste em uma situação parecida e não planejada na segunda série da semana — um atropelo de 4 a 0 em cima do Atlanta Reign.

“Tínhamos que chegar na carga e não tínhamos nenhuma habilidade suprema, então precisávamos de algo que nos impediria de morrer”, explicou Birdring. “Foi por isso que escolhi Baptise naquele momento. Agora, acho que a equipe que utiliza melhor o potencial do Baptiste é o Shock. Se o utilizarmos no futuro, provavelmente vai ser de forma similar a dele”.

Segundo outros jogadores da liga, o San Francisco Shock aparece neste início do Stage 2 como o time com meta a ser batido — além, claro, do vitorioso Vancouver Titans, que atropelou o Hangzhou Spark por 4 a 0 em seu único jogo na primeira semana. O Shock possui flexibilidade de heróis em todas as posições e, de acordo com o DPS Kim “Rascal” Dong-joon, vem utilizando todo a força de sua escalação de 11 jogadores em treinos internos, preparando-se para as partidas da liga sob a direção do head coach Park “Crusty” Dae-hee e da hábil comissão técnica da organização.

“Eu definitivamente acho que o Shock será um oponente bem assustador”, confessou Birdring. “Ele não é bom apenas no 3-3, mas também no BOATS, o 3-3 com Baptiste, então é um forte candidato a vencer esse stage”.

Além do Shock, o time mais diversificado no Stage 2 é o Chengdu Hunters, que foram teimosos durante o Stage 2 ao se recusar a jogar com o composições 3-3. Ao invés disso, a equipe optou por formações com DPS, especialmente ao redor da Pharah de Yi “JinMu” Hu e da afinidade do tanque Ding “Ameng” Menghan com Wrecking Ball ao invés de jogar com escolhas mais costumeiras, como Reinhardt ou Winston.

O suporte principal do Hunters, Li “Yveltal” Xianyao, e Ameng reiteraram durante o Stage 1 que o time realmente acredita que, se conseguirem executar seu estilo no mais alto nível, serão capazes de vencer a composição 3-3 toda vez.

Agora, no Stage 2, todo time tem um pouco do Hunters em sua estratégia, optando por mais heróis DPS com Pharah e Sombra. Para não ser alcançado, o Hunters apareceu com mais combinações originais, como a de Symmetra no jogo contra o Paris Eternal em Hanamura. Em sua partida contra o Washington Justice, o Hunters bateu o recorde da liga de maior número de heróis diferentes utilizados em um jogo por mais de um minuto, totalizando 27 heróis.

O Wrecking Ball de Ameng foi a estrela do show, aproveitando que o Escudo Adaptativo do hamster não é mais cancelado durante a rolagem. Pela primeira vez desde sua chegada à liga, o Hunters venceu uma série por 4 a 0 e conseguiu seu primeiro 2-0 para começar a semana.

O suporte flex Kong “Kyo” Chunting disse que não se surpreendeu por outros times estarem utilizando a estratégia da Hunters do Stage 1, e reiterou o que o Hunters está dizendo desde lá atrás.

“Eu acho que o Stage 2 é um buff para o nosso time por conta do patch”, afirmou Kyo com uma risada. “Os heróis que ficaram mais fortes são perfeitos para nossas escolhas, então acho que conseguimos criar composições melhores que a GOATS”.

Talvez o Stage 2 não vá ser tão diferente assim do Stage 1.