<
>

Com vagas para equipes femininas, DreamHack Rio terá torneio de Rainbow Six

Rio de Janeiro será a casa da DreamHack no Brasil pelos próximos três anos DreamHack

O Counter-Strike não será a única modalidade de First-Person Shooter (FPS) que terá uma competição na edição deste ano da DreamHack Rio de Janeiro. O comitê organizador revelou nesta quinta-feira (14) que realizará um torneio de Rainbow Six com premiação de R$ 50 mil e contando com a participação de times femininos.

Serão oito equipes disputando o título e o prêmio de R$ 50 mil, sendo duas delas formada por mulheres. Todos os participantes serão definidos por seletivas.

A primeira, que disponibilizará duas vagas, começará nesta quinta e será finalizada na sexta-feira (15). Nos dias 18 e 19 de março serão disputados os classificatórios destinados ao cenário feminino, enquanto os últimos classificados serão conhecidos ao fim do BYOC, qualificatório que será disputado dentro da DreamHack no dia de abertura do evento: 19 de abril.

"O Rainbow Six Siege já é um dos esportes eletrônicos mais queridos do público brasileiro. Os números estão aí para comprovar. Essa paixão e engajamento dos torcedores, somados ao sucesso das competições disputadas no Brasil, mostram a importância da presença da modalidade nos maiores eventos de eSports do país. Estamos muito felizes com a participação do Rainbow Six Siege no DreamHack Rio"", disse o diretor de esports da Ubisoft para a América Latina, Marcio Soares, em comunicado enviado à imprensa.

A DreamHack Rio de Janeiro está marcada para acontecer nos dias 19, 20 e 21 de abril tendo como casa o Parque Olímpico, no Rio de Janeiro. A vinda do evento para o Brasil. foi revelada ainde em 2018. No mesmo mês, em coletiva realizada na capital fluminense, o comitê organizador revelou que o evento receberá aporte do governo via Lei de Incentivo ao esporte e terá edições até 2022. Além disso, a edição do Rio de Janeiro pode abrir portas para outro importante evento da marca: o DreamHack Masters conforme dito pelo diretor-geral da versão brasileira, Filipe Rodrigues, ao ESPN Esports Brasil.

Ainda de acordo com Filipe Rodrigues, “a escolha da DreamHack Open” para abrir as portas do evento no Brasil “basicamente se sustenta no desejo em desenvolver não só os campeonatos profissionais, mas também a vontade de, por meio da DreamHack, dar oportunidade a amadores e semiprofissionais”.

Os ingressos, inclusive, já começaram a ser vendidos e poderão ser adquiridos clicando aqui.

TORNEIO UNIVERSITÁRIO

A DreamHack Rio será casa também do cenário universtirário. Isso porque, conforme anunciado anteriormente, o evento receberá os confrontos finais da Liga Universitário Rio Esports (LURE), que já conta entre as participantes atléticas de várias faculdades do estádio como a da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).