<
>

Para Rafifa, mudanças no competitivo de FIFA diminuiriam o "pay to win"

Rafifa em ação no FIFA Global Series Divulgação/Arquivo pessoal

Uma grande mudança no cenário competitivo de FIFA, promovida pela EA, pode ser benéfica e diminuir o chamado “pay to win” na visão de um dos principais atletas profissionais do Brasil, PSG Rafifa13. O jogador do Paris Saint-Germain conversou com o ESPN Esports Brasil para opinar sobre as restrições de “superelencos” que podem ser implantadas no FIFA Global Series.

Estas restrições, recebidas via email por jogadores profissionais, trariam limites na construção de elencos para participação de torneios oficiais de FIFA. Hoje, cada pro player pode investir e elencar seu time com o que há de melhor no modo Ultimate Team. Isso significa cards de altíssima qualidade e confrontos entre jogadores com times com cards poderosos. Uma vez que a mudança aconteça, os times teriam limites para usar cards de Ídolos e com rating maior de 95.

Perguntamos à Rafifa13 qual sua opinião sobre essas mudanças. Ele acredita ser algo benéfico, mas não para ser efetivada agora (a mudança afetaria as últimas etapas ainda da temporada de FIFA 19): “estaria de acordo com essas mudanças, pois ajuda muito a corrigir o chamado ‘pay to win’. No entanto, o momento não é o ideal. Uma alteração feita no final da temporada não muda o que foi o circuito de FIFA 19. Para mim, os jogadores já deram a atenção aos seus times, já investiram bastante para ter seus cards. Se houver uma mudança nas etapas finais, além de não influenciar o que já aconteceu, ainda afeta aqueles que se dedicaram a construir seus times. Com certeza deveria ser implantada na temporada competitiva de FIFA 20”.

Ele completa: “efetivamente, não afeta muito o cenário se as alterações ocorressem agora. Os playoffs já estão praticamente definidos e muitos dos jogadores que disputarão as etapas decididas já sabem que possuem os pontos necessários”.

Quais seriam então as maiores dificuldades a partir do momento que os cards mais valiosos tivessem restrições? Para o brasileiro, a decisão de uso dos cards valiosos teria ainda maio peso: “claro que aqueles que tem os melhores elencos teriam maior ‘dificuldade’, pois a escolha das melhores peças será algo ainda mais importante. Por outro lado, facilitaria a vida daqueles que não possuem tantas estrelas. Seria um nivelamento por baixo”.

Rafifa13 relacionou o termo “pay to win” à FIFA 19, relacionado há jogos que possuem alto grau de influência monetária, nos quais aqueles que investem mais dinheiro real aumentam exponencialmente suas chances de vitória, independente de talento.

O pro player explicou sua opinião: “FIFA 19 é ‘pay to win’ principalmente no modo qualificatório, nas Weekend Leagues. Os elencos mais fortes, os times mais fortes, são um fator que influencia muito o resultado das partidas. Em jogos iguais, aquele que possui cards de maior rating como Cristiano Ronaldo ou Messi, acabam decidindo mais pelo poder de influência destes componentes do que pelo talento dos jogadores”.