<
>

TACO afirma que WESG não "é um treino" para a Blast: "queremos ganhar esse campeonato"

MIBR estreou com o pé direito no WESG Daniela Rigon / ESPN Esports Brasil

Com as desistências de Isurus Gaming e k23, MIBR e AGO Esports iniciaram o torneio de Counter-Strike promovido pela World Electronic Sports Games (WESG) já classificados para a Fase Eliminatória. O time brasileiro, então, aproveitou o fato para “ganhar experiência” num mapa antes não jogado: Nuke. Foi o que revelou TACO ao ESPN Esports Brasil após a série

“Essa série foi um pouco mais tranquila, até pelo mental, porque a gente já estava classificado. Estávamos jogando por seed. Tivemos a oportunidade de ganhar experiência num mapa que, até então, é novo para nós, que é a Nuke. Foi a primeira vez que jogamos nele”, apontou TACO

O MIBR aproveitou bem a oportunidade. A equipe brasileira dominou o AGO de ponta a ponta na Nuke e conseguiu vencer o mapa com certa tranquilidade por 16 a 5. Felps foi o grande destaque do time. Segundo estatísticas levantadas pelo HLTV.org, o jogador foi aquele que mais eliminou adversários e mais causou dano por round.

TACO e companhia fecharam a série na Train. Assim como na semifinal do Major, a equipe, novamente, apresentou dificuldade nos rounds pistol, sendo derrotado tanto o que abriu o lado Contra-Terrorista, como o Terrorista. Por conta disso, a AGO deu um pouco mais de trabalho. O MIBR saiu com a vitória, mas num placar relativamente próximo de 16 a 12.

De acordo com o ex-Liquid, “mesmo que a gente tenha perdido os dois pistols e o jogo tenha parecido mais equilibrado, jogando o sentimento não foi esse porque estávamos no controle do mapa o tempo todo”.

“Foi um jogo bem tranquilo. Foi um jogo bom para iniciar o campeonato, para tirar aquele peso da estreia, acostumar com os computadores e estrutura do evento. Foi bem positiva essa primeira partida”, avaliou TACO

PRINCIPAIS OPONENTES

Apesar da alta premiação, com o campeão faturando US$ 500 mil, a WESG não é uma competição conhecida por reunir grandes potências do cenário. Mas isso não quer dizer que grandes equipes estejam disputando o torneio. Para TACO, os principais adversários do MIBR são “G2 Esports e fnatic”.

PREPARAÇÃO PARA BLAST

Ainda neste mês o MIBR tem outro importante compromisso, sendo este no Brasil: a Blast Pro Series São Paulo. TACO é claro quanto a equipe estar utilizando a WESG como preparação para esse torneio

"Não diria que é um treino porque queremos bastante ganhar esse campeonato. A viagem para a China é muito longa. Então, vir pra cá para treinar não é uma opção pra gente", disse o jogador.

* A jornalista viajou à convite da WESG