<
>

Para Savage, NiP é uma equipe que "merece respeito, mas que não vem de bons resultados"

NiP é o primeiro desafio da Furia no IEM Katowice HLTV.org

Participante em 11 dos 14 Majors já realizados, vice-campeão em quatro edições e vencedor do ESL One: Cologne 2014. Este é o lendário Ninjas in Pyjamas (NiP), o primeiro adversário da Furia Esports no IEM Katowice. Uma equipe que “merece respeito, mas não vem de bons resultados” na opinião do comentarista Luis "Savage" Felipe Hessel.

Ao ESPN Esports Brasil, Savage diz não achar que a equipe brasileira teve “azar” em cair contra a NiP na estreia do IEM Katowice por conta do fato da “primeira partida ser md1”. Para o comentarista trata-se do “melhor momento para surpreender uma equipe favorita”. O profissional vê a equipe sueca “tentando voltar a boa e velha forma mas ainda tem muito para provar, por isso acho que é um adversário interessante para a Furia pegar de cara”

Savage aponta que “outro fator interessante” nesse confronto “é que quem chega com a pressão do favoritismo é o NIP, assim a Furia pode se concentrar no próprio jogo e jogar sem essa pressão adicional”.

O analista Guilherme "GuizaO" Kemen acredita que “todas as equipes que chegaram nessa etapa do Major são muito capacitadas e quem quer avançar não pode escolher adversário”. O profissional fala ainda que “jogar contra a experiente equipe do NiP pode complicar a vida dos brasileiros, porém se a gente pensar na vitória da Furia, o time vai conquistar uma confiança muito grande para a sequência da etapa

Guizão finaliza dizendo que prefere “pegar logo de cara uma equipe como essa, do que em um momento que está valendo a eliminação”.

OUTRO CONFRONTO NA ESTREIA?

Mas o NiP não é a única equipe que a Furia poderia pegar na estreia. Isso porque, além dos suecos e dos brasileiros, outras 14 equipes estão iniciando o IEM Katowice pela primeira fase, o Challengers Stage.

A reportagem questionou os especialistas sobre quais times proporcionaram uma “fácil” estreia para os Panteras e quais se apresentariam como um bom desafio para a Furia, assim como está sendo o esquadrão sueco.

"Se tratando de Major não dá para escolher adversários, mas devido ao formato da estreia ser md1 é interessante pegar equipes favoritas, como o próprio NiP, jogando sem peso nas costas e com grandes chances de surpreender", analisa Savage. O comentarista complementa: "Se perder não deve sentir muito para a sequência, mas de repente perder para um time menor a equipe poderia sentir".

Guizão revela que prefere "olhar por estilos de jogos" e, como a Furia "trabalha com uma parte tática muito apurada", enfrentar times "que trabalham como um jogo menos organizado como TyLoo e Vitality poderia complicar". O analista opina dizendo que o time brasileiro "tem maiores chances contra equipes também estruturadas, pois no lado Terrorista precisa de espaço para fazer suas execuções. Pegar uma equipe que joga mais para o individual, que faz diversos avanços, poderia deixar a Furia sem resposta".

DISSECANDO O NIP

O NiP é uma das equipes que começou a competir no Counter-Strike: Global Offensive assim que a "nova versão" do jogo foi lançada. A equipe fez bastante sucesso nas primeiras temporadas da modalidade mas acabou perdendo espaço com o passar do tempo por conta da brusca queda de rendimento.

Savage analisa o primeiro adversário da Furia dizendo que se trata de "um time que mescla a experiência com a juventude" e que "vem buscando em jovens jogadores o ingrediente que falta para voltar a figurar no 'top 5' mundial". O comentarista acredita que "para esse Major o NiP deve trazer muitas novidades no seu estilo de jogo” e revela que “é uma das equipes que eu mais tenho expectativas por isso: de um lado o mito F0rest e de outro o jovem LeKr0, que apesar da idade já é muito experiente no CS:GO. LeKr0 para mim é uma das grandes promessas para o futuro”.

Apesar de não viver um bom momento, a equipe sueca ainda "mete medo" na opinião de Guizão: "Só de olhar os nomes do outro lado como Forest, Get Right com certeza você pensa duas vezes na hora de tomar certas decisões. Eles não são lendas à toa". O analista lembra que "faz bastante tempo que não conquistam títulos de expressão, porém continuam disputando os grandes campeonatos, o que faz com que a equipe consiga se manter em um nível muito alto de jogo".

"Pra mim é só questão de momento", aponta Guizão quanto a má fase vivida pelos suecos. "Eles podem entrar em um campeonato e não ir muito bem, porém no próximo podem chegar em uma grande final. Se a gente pegar por exemplo os últimos confrontos da NiP na HLTV, essa equipe enfrentou FaZe, Cloud9, Astralis, MiBR, Na`Vi, equipes que dominam o cenário internacional atual", finaliza.

O comentarista afirma que "o maior erro do NiP nos últimos tempos foi ser uma equipe muito previsível". Savage fala sobre Christopher "GeT_RiGhT" Alesund, que vem "repetindo as mesmas posições e o mesmo estilo de segurar os bombsites fechados, o que torna fácil contra-atacar e fazer táticas para neutralizá-lo".

O analista vê o NiP sendo uma equipe boa individualmente, quanto a habilidade dos jogadores, e que possui um conjunto bom, mas sem nada de diferencial. "Map pool é outro fator importante e, atualmente, esse time não tem um mapa absurdamente forte, apenas jogam a maioria dos mapas de forma mediana com uma taxa de aproveitamento em torno dos 50%", afirma Guizão.

Entre os integrantes dos Ninjas in Pyajamas estão duas lendas do cenário mundial: GeT_RiGhT e o também sueco Patrik "f0rest" Lindberg. Jogadores que estão marcados tanto na história do saudoso Counter-Strike 1.6, como também na da atual versão do CS.

Mas é nenhum desses dois que chama a atenção de Savage. O comentarista aponta para o capitão Jonas "Lekr0" Olofsson, "um jogador com uma mira precisa e que também é muito inteligente". O profissional revela que "já há algum tempo estou na expectativa dele fazer grandes campeonatos, mas a fase do NiP não tem ajudado. Veremos neste Major como ele se sai, acredito que a partir da segunda rodada vai jogar demais e chamar bastante a atenção”.