<
>

Contra paiN, Envy aponta que INTZ "tem que jogar do seu jeito, impondo seu jogo"

Envy e INTZ querem não só vencer a Superliga, mas serem campeões invictos Riot Games

Adversárias na decisão da segunda etapa de 2015 do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL), paiN Gaming e INTZ voltarão a protagonizar um decisivo confronto na próxima sexta-feira (7). Desta vez, contudo, o que está em jogo é a primeira colocação do Grupo B da Superliga.

O caçador Diogo "Shini" Rogê é claro sobre o próximo compromisso Intrépido: "o próximo confronto contra a paiN será muito importante porque vale o seeding" já que "terminar em primeiro é muito melhor do que na segunda colocação porque, teoricamente, você pega um oponente mais fraco do outro grupo, que é o que queremos muito".

Contra a paiN, o meio Bruno "Envy" Farias acredita que a INTZ "tem que jogar do seu jeito". "Tem que impor o seu jogo, não deixando eles fazerem o que quiser porque, se isso acontecer, a paiN libera muito os jogadores do meio e do topo e eles conseguem muita pressão por causa disso. A gente simplesmente vai melhorar o nosso início para combatermos os deles", revela o jogador.

O comandante Intrépido, Lucas "Maestro" Pierre, aponta que "desde o começo da liga a gente percebeu que eles [paiN] estavam com um time forte, de informações de treinos, pessoa falando e da forma como estão se apresentando".

"Sem dúvida é um time muito forte. Talvez, o time que mais tenha se destacado na Fase de Grupos. Então, vai ser difícil. Vai ser uma série bem pegada e espero que sejam jogos difíceis para nós", analisa o treinador.

A INTZ se garantiu, mais uma vez, na Fase Eliminatória da Superliga de League of Legends neste fim de semana com um categórico 2 a 0 sobre a Team oNe.

Shini afirma que todos sabiam que "ia ser um jogo duro" porque, "normalmente, a gente 'passa mal' para a Team oNe". Mas diferentes dos Intrépidos, os Golden Boys não vivem bom momento no torneio. Apesar do retrospecto ruim do oponente, o caçador diz que "tem que respeitar": "a equipe tem jogadores que já foram campeões do CBLoL".

"Sabíamos que, normalmente, o jogo deles gira em torno do 4LaN e, por isso, os jogos começaram mornos. Estavámos rastreando ele pelo mapa, wardando muito no começo porque sabíamos que se o jogo passasse dos dez minutos e tivesse empatado, a gente teria mais chance de ganhar", aponta.

Maestro revela que a semana de treinos que antecedeu o jogo contra a Team oNe “começou conturbada para todo mundo” tendo em vista que as participantes da Superliga tinham que se adaptar ao novo patch da pré-temporada: “os treinos estavam uma loucura, com todos os times testando tudo”.

“Sempre que muda um patch muito grande, principalmente de pré-temporada, é muito difícil. A gente costuma dizer que é uma corrida para quem se adaptar melhor. Felizmente, encontramos algumas coisas que funcionavam pra gente”, finaliza o treinador.