<
>

Análise: Mesmo sem grandes mudanças, Madden 19 é o melhor companheiro para o fã de NFL

Tão aguardado quanto o início da temporada da NFL pelos fãs de futebol americano é a expectativa de jogar um novo Madden. O lançamento de Madden 19 para os norte-americanos é tão esperado quanto um novo FIFA para os brasileiros. Por quê? O “pacote” entregue pelo game da bola oval é muito mais completo para o fã de seu esporte, apesar do novo ir pouco além da atualização de elencos e algumas adições pontuais.

Madden 19 sofre de um mal que vemos em outras franquias esportivas da EA. Mesmo sendo bastante esperado, sempre possui a dúvida da necessidade do lançamento anual. Questões econômicas a parte, a chegada do novo capítulo da longeva franquia é algo que deixa o fã quase tão alegre quanto o primeiro jogo da temporada regular de seu time.

Ao entrar em Madden 19, o Wide receiver do Steleers, Antonio Brown, nos dá boas-vindas a um menu mais simples, com menos opções que agrupam os modos de jogos e seus sub-menus. Os modos de jogos são a essência da franquia e oferecem diferentes maneiras de ir além de um simples confronto contra a Inteligência Artificial.

Uma vez que o fã de futebol americano conhece as regras do esporte (para quem não domina, falaremos mais à frente), os modos de jogos são o elemento mais importante do game. Madden 19 possui várias formas de se abordar o futebol americano e colocam o jogador dentro de campo ou fora dele, na posição de “Manda-Chuva”.

1° PARA 10: HORA DE JOGAR

A melhor maneira para se começar para quem é novato no esporte ou na franquia é com as opções de aprendizagem. Tal qual um Quarterback lançando para um recebedor nos treinamento na busca por uma melhor sintonia, o Skills trainer e Practice são uma dupla de modos que nos ajuda a dominar a arte de Madden 19.

Skills trainer é o modo para se treinar fundamentos, entender conceitos, conferir como executar mecânicas e entender as peças que formam as unidades de uma equipe de futebol americano. É um conjunto de exercícios com indicações de comandos e funções para as jogadas em campo. Dá para gastar um bom tempo aqui, principalmente as primeiras horas de jogo, para adquir o básico do que temos que executar em jogo.

Já o Practice é uma opção de treinamento livre para praticar alguma jogada, desenvolver alguma mecânica ou descobrir alguma jogada para algum momento da partida. É o próximo passo para dominar alguma rota ou alguma novidade que Madden 19 trouxe para a série.

Ainda no patamar mais baixo, o jogador tem como opção as partidas de exibição contra o jogo ou um adversário real, local ou pela internet. Dá para personalizar essa partida de diversas formas como o estádio, clima, duração e dificuldade. Aqui entra também o estilo de jogabilidade, dividido em arcade, que favorece a execução de jogadas de efeito (como grandes lesses ou corridas de muitas jardas), ou simulação, algo mais próximo da realidade, com dificuldade aumentada para execução das jogadas.

Uma vez que o jogador quer explorar os modos mais importantes do game, Madden 19 possui diversas opções, a começar pelo modo Franchise. Com o lema “Build your dinasty” (construa sua dinastia), o jogador é convidado a assumir a posição de um dono de franquia da NFL.

É a experiência completa do game, para que você gerencie do campo de jogo ao mais alto à escalação do time. Resolução de problemas, construção do elenco, desenvolvimento dos jogadores e escolhas técnicas, como as estratégias ofensiva e defensiva, fazem parte de suas funções.

Uma vez que o Draft, a seleção de novatos vindos do futebol universitário, seja tão importante para um time da NFL, o jogo possui uma área especial para Criação de atletas, com opção manual ou de forma automática, para os anos além da temporada 2018 no game.

Assim, a experiência de comando do time vai além de uma temporada e aumenta a longevidade do modo. Aqui, uma sacada da EA: compartilhamento e edição de classes produzidas pela comunidade. No futuro, jornalistas ou mesmo entusiastas podem propor classes futuras segundo prospectos reais vistos nas categorias de base do futebol americano, tornando as classes criadas mais próximas do que o futuro do esporte real proporcionará. Assim, jogadores reais já poderão ser incluídos em classes futuras do Draft de Madden 19.

Se você quer controlar o destino de seu time, mas formar um esquadrão com jogadores de times variados, a opção de jogo é o Madden Ultimate Team. Nele, montamos uma equipe com cards que simbolizam os atletas, de desconhecidos às lendas do passado.

A equipe é formada pela unidade ofensiva, defensiva e de especialistas, com algumas subdivisões como uso do Fullback ou um defensor de secundária na função “Nickel”. Uma vez que o time esteja formado, somos desafiados em tarefas e competições online (ranqueadas).

O MUT é o local para vermos o passado e o presente em uma mesma equipe, onde Ben Roethlisberger lança para Jerry Rice ou entrega a bola para Walter Payton.

Além da montagem e busca por melhores cards em pacotes ou no mercado de “compra e venda”, é possível desenvolver suas peças para deixar seus atributos mais poderosos. O treinamento de cards é importante, pois desenvolve os jogadores considerados chave para sua estratégia. Por outro lado, descaracteriza o card original e desassocia o modo de jogo à realidade. Claro que é uma opção que permite fazer com que Joe Montana lance para Julio Jones, mas manter o card com seus números desencoraja o jogador a buscar versões melhores de seus jogadores favoritos.

2° PARA 7: A NOVELA DA VIDA REAL

Madden 19 marca a segunda temporada de Longshot, o modo mais videogame da franquia. Seguimos acompanhando e decidindo a história do novato Quarterback Devin Wade, que junto com seu amigo, o Wide receiver Colt Cruise, dão seus primeiros passos na NFL. Após passarem pela fase do draft em Madden 18, Wade luta para se manter na equipe do Dallas Cowboys, enquanto Colt está de volta a sua cidade natal aguardando uma chance na liga.

Mais uma vez, Longshot é um prato cheio para o fã de futebol americano. Desafios, partidas e tudo mais que envolve o jogo em si a parte, testemunhar Wade e o bastidor de um time profissional é o maior trunfo do modo.

Dramatizado ao extremo, Longshot é um “filme controlável" no qual nós, jogadores/expectadores, vemos o quanto é complicado um jogador conseguir sua vaga no elenco durante a pré-temporada, conquistar o respeito dos companheiros veteranos, lidar as exigências da comissão técnica e ter problemas pessoais a se resolver. Devin Wade é o possível QB da franquia com maior torcida dos EUA. Não tem tempo para se adaptar, para se enquadrar. Não possui garantias.

A cidadezinha-natal de Wade dá lugar a Arlington, sede do Cowboys, e você estará jogando no AT&T Stadium, o estádio mais valioso da NFL. Tem ainda flashbacks que te levam para o passado, para o futebol universitário, tão enraizado na cultura dos EUA, e a presença de grandes nomes da NFL ao longo do modo. Longshot é uma experiência e tanto para o fã do esporte.

3° PARA POLEGADAS: A LUTA DENTRO DE CAMPO

Jogabilidade e gráfico são as apostas da EA para comprovar a compra de um novo Madden. Visual e sonoridade criam uma atmosfera extraordinária exceto por um problema: o rosto dos jogadores. E nem estou falando dos jogadores comuns. Mesmo as grandes estrelas apenas “lembram” suas versões reais.

Você pode dizer “ah, mas estão de capacete”. Sim, mas um jogo que faz parte do gênero “simulação", do nível de importância junto à comunidade do esporte (principalmente no EUA) e que entrega algo tão bonito visualmente, está muito abaixo do ideal. Parece que está em um estágio inacabado, que falta um polimento para estar no mesmo nível que os jogos da NBA ou mesmo FIFA.

Uma vez que você apenas reconheça Aaron Rodgers pelo bigode ocasional ou Tom Brady pelo número “12” em seu uniforme, Madden 19 melhora muito como um todo se vermos, por exemplo, a reconstrução dos estádios. A torcida ainda é genérica, mas a sensação de estar no Lambeu Field ou Lucas Oil Stadium só acrescentam à qualidade do jogo. Some a isso o barulho da torcida e os avisos sonoros particulares de cada time para avisar que o adversário está em sua terceira descida para criar o palco ideal de jogo.

Madden 19 traz uma nova tecnologia que afeta tanto o visual quanto a jogabilidade. Trata-se do Real Player Motion, que visa tornar os movimentos dos jogadores mais reais, além de aprimorar lances como cortes (principalmente), arrancadas e comemorações.

Dá para notar que o Real Player Motion fez bem à Madden, pois tornou o simulador mais fluido quanto a animação dos jogadores. As mudanças de movimento estão com menos cortes ou sinais que houve uma transição, o melhor avanço técnico de Madden 19. Um jogador que salta, corre e recebe um tackle não passa a sensação que executou três tipos de animação distintas, mas uma em sequência.

Vale ressaltar ainda as celebrações, liberadas pela NFL na temporada passada (com um certo limite), como uma boa adição. Assim que você consegue um touchdown, pode executar quatro tipos de celebração com seu time ou alguma personalizada do jogador. É um elemento que traz personalidade, mas logo se torna dispensável. Para evitar que perca valor, a EA precisa atualizar constantemente as celebrações com novos movimentos, influenciado pelo que acontece no esporte real.

TOUCHDOWN

Madden 19 não precisaria ser um jogo novo. Uma atualização do 18 bastaria com a inclusão do Real Player Motion e atualização de elencos. É um título de qualidade, pois carrega um passado recente de qualidade e de desenvolvimento. Sua compra ainda é válida, pois se trata de um canal de entretenimento ideal para quem acompanha a NFL e torce por uma de suas franquias. É um simulador que respeita demais seu esporte, além de nos ajudar nos tenebrosos meses da intertemporada.