<
>

Leo De Biase indica continuidade de vaga na Pro League e comenta polêmica da NTC

Leo de Biase, CEO da ESL Brasil, "assina" a passagem dos jogadores para Dallas. Felipe Guerra/@guerraesports

Antes mesmo da Sharks estrear nas finais da 7ª temporada da ESL Pro League, a dúvida paira no ar - será que a América do Sul manterá seu lugar para a próxima edição do torneio? Para Leo De Biase, é possível que sim.

“Não vou lacrar aqui, mas ao que tudo indica, poderemos dar vaga também para [as finais da 8ª temporada da Pro League em] Odense, no final do ano”, afirmou o CEO da ESL Brasil em entrevista ao ESPN Esports Brasil.

“Tivemos reuniões na Europa agora e fomos até alinhar a LA League como um grande torneio da região. Agora teremos o apoio total da ESL Latam e queremos operacionalizar tudo para a próxima temporada, no segundo semestre”, completou o mandatário.

Segundo De Biase, a ideia da LA League veio para que a região “não perdesse o ano” até que uma divisão oficial da Pro League seja discutida para a América do Sul.

“A LA League veio para a gente não perder esse ano, ter esse espaço e a participação na Pro League, mas ainda num formato de teste, sem ser um formato oficial. Precisamos entregar bons números. Mesmo se tivermos uma Pro League Latam, que é o nosso objetivo, a LA League não vai sumir, pelo contrário, ficar cada vez mais forte”, contou.

“O produto Pro League não é só da ESL, é uma parceria com a WESA. Então, tudo tem de passar por votação, planejamento e aprovação do comitê. O foco deles de 2018, de expansão, tem sido a Ásia. Agora, só falta a gente”, completou o CEO.

VITÓRIA COLETIVA

Para De Biase, a conquista de uma vaga nas finais da Pro League vem de um esforço coletivo de toda a comunidade brasileira de Counter-Strike: Global Offensive.

“Não é uma vitória ou um trabalho só meu. É um trabalho conjunto da gente aqui, mostrando como o mercado está se posicionando e também um resultado da região como um todo, não só dos times e jogadores brasileiros que estão fazendo bonito lá fora, mas também dos números que a gente traz de transmissão de torneios internacionais”, afirmou.

“O público brasileiro é muito fiel e caloroso com os torneios da ESL. A experiência da Pro League em 2016 foi muito positiva para o pessoal da matriz. Com isso, a vontade de voltar para o Brasil e colocar a região com esse acesso direto ao torneio era algo muito importante”, completou o CEO.

INGRESSOS PARA ESL ONE BELO HORIZONTE

Com ingressos da ESL One Belo Horizonte esgotados em poucas horas, a torcida vive a expectativa de abertura de um novo lote. Questionado sobre isso, De Biase disse não ter informações sobre uma possível remessa extra, mas deu mais detalhes sobre a política de preços baixos praticadas pela ESL para o evento.

“Uma semana antes da gente abrir os ingressos, eu estava lá na sede da ESL, tendo reuniões sobre valores. Estávamos tentando fazer um evento que fosse muito inclusivo para todos. Saímos de lá com alguns valores pré-estabelecidos, mas quando a matriz abriu a venda para o público, eles colocaram um preço ainda mais reduzido e ficamos muito felizes”, contou.

“Eles estavam com essa ideia que todos poderiam invadir o Brasil para assistir esse torneio. 60-70% dos ingressos foram para o público local de Belo Horizente, mas também teremos um pouco de presença do resto do Brasil e internacional. Ficamos super felizes, em 10 horas todos os ingressos estavam esgotados”, completou De Biase.

POLÊMICA ENTRE SK E NÃO TEM COMO

Finalista do qualificatório da ESL One Belo Horizonte, a Não Tem Como já é alvo de polêmica sobre o evento. Segundo o site DBLTAP, a escalação assinou um contrato com a SK Gaming e isso fere as regras da ESL, já que a organização e seu esquadrão atual já foram convidadas para o evento principal.

Questionado sobre esse conflito de interesses e infringimento das regras, De Biase se disse surpreso com a notícia, mas reforçou que a ESL Brasil já comunicou a matriz sobre o acontecido.

“É uma questão de regras, você não pode ter dois times da mesma organização. Eu fiquei surpreso com essa notícia, mas escalamos lá para a matriz, pois toda a parte de gerenciamento do torneio, jogadores, é tudo cuidado por eles. Estamos aguardando um posicionamento oficial e global sobre essa situação”, finalizou.

A NTC disputará a decisão do qualificatório fechado da ESL One BH nesta quarta-feira (9), às 19h, diante da Furia.