<
>

Dani Lins é apresentada como reforço do Sesi-Bauru para a temporada

Marcelo Ferrazoli/Assessoria Sesi Vôlei Bauru

A levantadora Dani Lins, campeã olímpica nos jogos de Londres (2012) pela seleção, foi apresentada nesta terça (7) como reforço do Sesi-Bauru para a temporada 2019/2020. A contratação marca a volta da jogadora à equipe que defendeu de 2011 a 2014.

A chegada ao novo clube acontece dias depois de Dani ter pedido dispensa da seleção brasileira. Na coletiva de apresentação, ela evitou polêmicas e voltou a alegar que se afastou para “cuidar do corpo”.

“Estou muito feliz de voltar ao Sesi após cinco anos. Agora mais experiente, mãe, mais paciente e mais focada nos objetivos. A expectativa é muito boa para a próxima temporada, pois estão montando um time forte, competitivo e com o objetivo de chegar à final da Superliga” disse a levantadora, que defendeu o Barueri na temporada passada.

A levantadora disse que recebeu propostas para atuar fora do Brasil, mas escolheu ficar no Sesi. “Prezo muito por uma boa convivência de grupo, com jogadoras de boa índole. Além disso, será uma experiência boa para a Lara (filha de Dani Lins) morar no interior”, justificou.

"Agora a Tifanny é minha parceira"

Sobre a experiência de ser companheira de equipe de Tifanny, primeira atleta transexual da Superliga, Dani disse que respeita a regra que permite a participação da jogadora na liga feminina.

“Se a regra permite, eu apoio. Agora a Tifanny é minha parceira, minha companheira de equipe, e eu vou dar muita bola pra ela. Jogo com ela e quero ser campeã com ela”, disse Dani na coletiva de apresentação.

Danielle Lins tem 34 anos e é pernambucana de Recife, onde iniciou sua trajetória no vôlei atuando no Sport. Também teve passagens por Osasco, Rio de Janeiro, Sesi-SP, Pinheiros e o Hinode/Barueri.

Defendendo a seleção brasileira foi campeã olímpica em Londres 2012, tetracampeã do Grand Prix e campeã pan-americana em 2011.

Dani é o segundo reforço anunciado pelo Sesi-Bauru neste mes. No sábado (4), a equipe confirmou a contratação da oposta Polina Rahimova, do Azerbaijão. A atleta defendeu a seleção do Azerbaijão e clubes da Coreia do Sul, Japão, Turquia e Itália.