<
>

Maratona de Boston: ex-fuzileira de 50 anos vai disputar a prova pela primeira vez

arquivo pessoal

A 123ª Maratona de Boston vai ter um significado especial para a ex-fuzileira naval Lisa Davis. Com 50 anos de idade, Davis já correu 177 maratonas, mas vai participar pela primeira vez da mais antiga e tradicional do mundo.

Davis faz parte do seleto grupo de 60 pessoas que correram 100 maratonas em 50 estados e sete continentes. Uma curiosidade é que neste grupo há apenas 3 corredores negros, incluindo a ex-fuzileira naval. O dado é da Associação Nacional de Maratonistas Negros (NBMA).

Em janeiro de 2017, Davis também completou o Triple 7 Quest: sete maratonas em sete dias, em sete continentes. Seu tempo recorde - 7 dias, 3 minutos e 27 segundos - não só a colocou no Guinness Book como fez dela a primeira afro-americana a conseguir o feito.

"Eu não corro contra ninguém. Sou apenas eu contra mim”, disse Davis.

Na Maratona de Boston, Davis tem uma motivação especial. Ela vai correr para apoiar sua treinadora, Beofra Butler. Quando Davis participou da sua 100ª maratona, Butler correu ao lado dela para dar apoio.

Em Boston, é a vez de Butler atingir essa marca. Devis, portanto, está encarando a prova como uma forma de retribuir o favor.

A maratonista também quer homenagear as vítimas do atentado de 2013.

A Maratona de Boston é a única que exige dos corredores um tempo de qualificação para cada faixa etária. Para mulheres entre 50 e 54 anos, esse tempo é de 4 horas. Davis correu 3:50:49 na Tunnel Vision Marathon em North Bend, Washington, em agosto.

Davis teve que cortar mais de 30 minutos de sua maratona para se classificar em Boston. Ela treinou com Butler virtualmente por 16 semanas para encontrar a marca. Davis mora em Suffolk, Virgínia, e Butler está em Cameron, Carolina do Norte.

A maratonista veterana foi convidada para o encontro da NBMA deste ano em Boston. O A NBMA é uma organização sem fins lucrativos que apoia corredores de longa distância negros nos EUA.

Nos últimos cinco anos, a organização tem sediado encontros nos quais os corredores negros de qualquer clube são bem-vindos para se conectarem uns com os outros. Os encontros também oferecem uma oportunidade para aumentar a visibilidade dos maratonistas negros.

"O objetivo é fazer com que os atletas negros se sintam bem-vindos”, disse a coordenadora do Boston NBMA, Adrienne Benton.

Atualmente, apenas 1 em cada 62 mil maratonistas é negro. Davis e Butler estão contribuindo para uma curta, mas impressionante história de atletas negros na Maratona de Boston.

Em 1919, Aaron Morris foi o primeiro homem afro-americano a competir na prova. A primeira mulher negra a conquistar medalha foi Marilyn Bevans, em 1977. Mais recentemente, Keflezighi, um americano nascido na Eritreia, venceu a corrida em 2014.

Maratonista começou a correr para superar a apresentadora Oprah Winfrey

A carreira Davis como maratonista é um exemplo de como é possível ultrapassar barreiras. A maratonista nunca se considerou atlética.

Como fuzileira naval, disse que nunca correria mais de 8 milhas. Ela só assumiu o desafio de correr uma meia maratona após o nascimento da filha.

A primeira corrida não foi fácil. "Foi uma experiência horrível. Eu estava cansado e com excesso de peso”, disse ela.

Davis continuou correndo porque gosta de enfrentar desafios. Ela também tinha ouvido falar que a apresentadora Oprah Winfrey completou a Maratona do Corpo de Fuzileiros Navais com o tempo de 4:29:15.

Então, em 2002, ela entrou na Maratona de San Diego Rock'n'Roll, determinada a superar o tempo de Winfrey. E conseguiu, por cerca de 30 minutos.

“Eu pensei: se Oprah pode fazer isso, eu também posso. Nós éramos da mesma idade, cor e tipo de corpo”, disse.

Maratona de Boston na ESPN
Segunda, 15/04
ESPN 2: 10h (ao vivo) e 23h30 (reprise)
ESPN Extra: 5h30 (reprise)