<
>

UFC: Poliana Botelho estreia em nova categoria contra a americana Lauren Mueller

Divulgação UFC

Poliana Botelho é uma lutadora experiente, mas neste sábado, dia 13, ela vai subir no octógono com aquele frio na barriga típico das estreias. Depois de três lutas como peso-palha (52kg), ela encara seu primeiro desafio na categoria peso-mosca (57kg) no UFC.

Com 5kg a mais e otimismo de sobra, Poliana vai enfrentar a norte-americana Lauren Mueller no card preliminar do UFC 236, em Atlanta (EUA). Sobre a expectativa para a luta, ela não titubeia: “Estou muito confiante. Vou chegar lá e meter a mão”.

Confiante na vitória, sim! Mas sem subestimar a adversária. “Ela é uma lutadora muito forte, de estrutura grande. Já observei que o forte dela é a joelhada na grade”, disse a atleta da Nova União.

Poliana tem se dedicado muito ao jiu-jitsu, mas prefere não entrar no octógono com uma estratégia definida. “Ainda não sei se faço chão ou trocação, vou sentir a luta”.

Mudança positiva

Entrar para a categoria peso-mosca trouxe uma dose extra de motivação para Poliana. Com o aumento de peso, a atleta se sente mais forte e resistente para treinar. “Agora consigo me dedicar 100% ao treinamento, antes eu ficava muito mais preocupada controlar o peso”, conta.

A lutadora, como todo atleta, tem uma alimentação controlada, mas comemora a dieta menos restrita da nova categoria. “Deixei de passar fome”, brinca.

O importante é competir?

Depois de um começo vitorioso no Ultimate, Poliana amargou uma derrota difícil no UFC Argentina. Na luta contra a americana Cynthia Calvillo, foi finalizada logo no primeiro round.

O embate aconteceu em novembro, mas a brasileira afirma, sem rodeios, que ainda não superou. “Tenho um defeito, eu não aceito derrota. Nunca vou superar essa luta, mas procurei aprender com os erros. Me dediquei muito ao jiu-jitsu, por exemplo”, desabafa.

Embora reconheça a superioridade de Calvillo na luta, atribui a derrota ao baixo peso imposto pela categoria anterior.

“Naquele momento eu estava mais preocupada em suar e perder peso do que em me dedicar aos treinos. Tenho certeza de que se fosse hoje o resultado seria outro”.

Derrota, só na ficção

Para uma lutadora que não aceita derrota, Poli, como é chamada pelos amigos, teve que enfrentar um papel difícil. Ela participou da novela “A Força do Querer” como adversária da personagem Jeiza, interpretada por Paolla Oliveira.

Na luta fictícia, a vitória foi da mocinha da trama. “A Paolla tem uma mão pesada. Ela acertou umas mãozadas em mim, realmente a mão dela é bem pesada”, disse em entrevista ao Torcedores.com.

Baladas? Nem pensar

Quando não está treinando (ou lutando), Poliana não precisa de altas doses de adrenalina para se divertir. Caseira, diz que troca qualquer balada para ficar com a família. “No máximo, vou a um cinema”.

Por medo de sofrer lesões, ela também evita praticar outros esportes. “Adoro handebal, mas faz tempo que não jogo porque tenho medo de me machucar”, conta.

Torcida organizada

Na luta deste sábado, Poliana não vai ter a família por perto, mas não vai faltar torcida para a brasileira em Atlanta.

“Tem uns amigos e uma galera da minha cidade aqui para dar uma força”, diz a mineira de Muriaé.