<
>

Real Madrid está entre os times europeus que não investem no futebol feminino; veja lista

Porto, Real Madrid, Borussia Dortmund e Monaco não têm time feminino. ESPN

Apesar do grande rival Barcelona ser uma potência no futebol feminino espanhol, Real Madrid ainda segue sem investir na modalidade. Diversas vezes, o presidente Florentino Perez já foi questionado sobre a ausência e, dessa vez, o questionamento veio de José Guirao, Ministro da Cultura e do Esporte da Espanha.

"Eu quero ter uma conversa com Florentino Pérez, porque eu gostaria de pedir a ele que o Real Madrid tenha um time de futebol feminino, é o único grande na Europa que não tem isso", disse o presidente do time mais rico da Espanha.

Diante disso, o jornal Marca decidiu analisar as grandes ligas para ver quais clubes realmente investem no futebol feminino. Das 20 equipes da LaLiga, apenas o Real Madrid, Celta de Vigo, Getafe e Real Valladolid não investem na categoria.

Athletic Bilbao, Atlético de Madrid, Barcelona, Betis, Espanyol, Levante, Rayo Vallecano, Real Sociedad, Sevilla e Valencia contam com equipes na Liga Iberdrola, primeira divisão do feminino, enquanto o Alavés e Eibar têm uma equipe na segunda divisão. Girona e Leganés têm um time na divisão regional e de base.

Ronaldo, que é um dos acionistas do Valladolid, garantiu que é um dos objetivos do clube para o próximo ano voltar com o feminino, que já teve uma equipe entre 2009 e 2011,

El Espanyol é um dos primeiros times de futebol feminino na Espanha e tem sua origem na década de 70, com o nome de Club Deportivo Español Femenino. O Levante criou a modalidade em 1998, sob nome de San Vicente Valencia. Rayo Vallecano nasceu em 2000 através de Teresa Rivero, com jogadoras da Escola de Futebol do Bom Retiro.

Embora haja precedentes na década de 70 que ligam o futebol feminino para o Barcelona, clube só investiu no feminino em 2001, mesmo ano em que o Atlético de Madrid fundou a categoria. Um ano depois, nasceu o Athletic Club em parceria com o Leioa, vencendo o primeiro ano de competição da época, chamada Superliga. O Real Sociedad surgiu em 2004 junto do Sevilla, que veio criar uma nova equipe e melhorar a estrutura em 2007.

Mais tarde, em 2009, surgiu o Valencia e dois anos depois, o Betis, fundindo-se com o Azahar CF e partindo para a Liga Iberdrola em 2016.

Abaixo, uma visão geral da Europa quanto aos times femininos.

Inglaterra

O Manchester City domina a Premier League (masculina) e a WSL (feminina) e lá, todas as equipes de elite possuem uma equipe feminina. Arsenal, Chelsea, Liverpool, Birmingham, West Ham e Everton estão na primeira divisão, enquanto o Manchester United, Leicester, Aston Villa, Sheffield United e Crystal Palace estão na segunda. Outras equipes, como Wolves, Watford, Bournemouth, Brighton, Burnley, Newcastle, Cardiff City, Southampton, Fulham ou Huddersfield estão em categorias não profissionais.

Alemanha

A ausência mais perceptível na Alemanha é o Borussia Dortmund, líder da Bundesliga. Os rivais Bayer Leverkusen, Bayern de Munique, Borussia M'Gladbach, Duisburgo, Freiburg, Hoffenheim, Werder Bremen e Wolfsburg têm equipe na Bundesliga 1, enquanto outras equipes como RB Leipzig ou Hertha Berlin têm uma equipe na divisão regional.

França

Na França, o Monaco que, embora tenha uma equipe sub-17 masculina, ainda não tem nenhuma feminina. O Lyon domina a Europa e, consequentemente, a França. Mas o PSG também é um grande time por lá. Outras equipas como Montpellier, Girondins, Guingamp, Dijon, Soyaux, Metz, Lille ou Rodez estão na D1 (primeira divisão), enquanto o Olympique de Marselha, o Saint-Etienne, o Nancy e o Toulouse estão na D2.

Itália

O masculino e feminino são dominados pela Juventus. As equipes Turim, Fiorentina, Milan, Roma, Atalanta, Sassuolo, Chievo e Bari jogam na Primeira Divisão. Na Série B, vemos Inter de Inter de Milão, Empoli, Roma, Lazio e Genoa. Na Série C, há Torino, Bologna e Napoli. Já Sampdoria, Spal, Cagliari, Udinese, Frosinone e Parma contam com uma equipe de base feminina.

Outros

Em Portugal, Sporting, Braga, Benfica e Boavista têm um time feminino, enquanto o Porto ainda não se mobilizou.

Na Escócia, o Celtic, Glasgow, Aberdeen e Hibernian têm seus times na primeira divisão.