<
>

Marta aparece em 14º lugar em lista de 100 melhores jogadoras do mundo de jornal inglês

play
Bola de Prata homenageia Marta, que se emociona e pede igualdade para as mulheres que 'não desistem nunca' (3:52)

'Que tenhamos total liberdade para escolher o que a gente quer fazer', disse a craque (3:52)

Em parceria com “The Offside Rule Podcast”, o jornal inglês The Guardian publicou uma lista com 100 melhores jogadoras do mundo. As escolhas foram feitas por um painel de 72 juízes ao redor do mundo para revelar as cem melhores futebolistas que se destacaram no ano de 2018.

O corpo de jurados foi formado por ex-jogadoras, técnicos e jornalistas. A única brasileira a compor o júri foi a jornalista Cintia Barlem, proprietária do blog “Dona do Campinho”, no Globo Esporte.

Os números individuais serão divulgados assim que a lista final for publicada. Os jurados receberam uma lista com mais de 500 jogadoras de futebol de todas as ligas do mundo e precisaram escolher 40 nomes, classificando-os de 1 a 40. As jogadoras foram classificadas por pontos. A número 1 recebeu 40 pontos, número 2, 39 e assim sucessivamente, até a 40ª jogadora receber 1 ponto. Os votos foram somados. Em caso de empate, o número de votos individuais foi usado como desempate.

Até agora, foram reveladas as melhores jogadoras de 11 a 100. Apenas amanhã será revelado o topo da lista. Os números individuais de cada uma serão divulgados junto com a publicação da lista final.

Marta está em 14º lugar. Seis vezes melhor do mundo, o jornal a definiu como “superstar brasileira” e lamentou que ela saísse do top 10 esse ano. Em 2016, primeiro ano de publicação da lista, Marta apareceu em segundo lugar, atrás de Ada Hegerberg do Lyon. No ano passado, ela caiu para 4º lugar, atrás de Sam Kerr, Pernille Harder e Lieke Martens. A análise foi que ela marcou apenas quatro gols na liga durante a temporada da NWSL e o Orlando Pride não chegou nos play-offs, porém reconheceu o título da atacante no heptacampeonato da Copa América e o gol marcado contra o Japão no Torneio das Nações.

Debinha, da seleção brasileira e do North Carolina Courage também está na lista, ocupando a 50ª colocação. É a primeira vez que ela compõe a lista e certamente, o que a impulsionou para isso foi a conquista do título da NWSL. Ela marcou um total de 8 gols na liga americana de futebol e esteve com Marta na conquista da Copa América, balançando a rede quatro vezes para o Brasil.

Pelo terceiro ano, Cristiane também apareceu na lista, em 52º lugar. Em 2016, ela apareceu em 24º e no ano passado, ela caiu duas posições. O jornal apontou que ela acabou ficando longe dos holofotes após sua transferência para o Changchun Zhouyue, da China. No clube, ela anotou seis gols e, pelo Brasil, quatro.

Formiga também está na lista. Após aparecer em 49º lugar do ano passado, a jogadora do PSG acabou na 70ª colocação. Mas embora ela tenha aparecido um pouco mais embaixo, seria impossível que a jogadora de 40 anos ficasse de fora do ranking jogando num nível tão alto.

Nos dois últimos anos de publicação, Andressa Alves apareceu, consecutivamente em 73º e 64º lugar. Apesar do ótimo ano pelo Barcelona, este ano ela ficou de fora. Quem não entrou esse ano apesar de ter ficado em 89º no ano passado, foi Camilinha, que acabou de conquistar o bronze na Libertadores feminina com o Iranduba, após ter atuado a temporada da NWSL pelo Orlando Pride.