<
>

Corinthians: por que Gabi Nunes, maior promessa do clube, chorou tanto após a conquista do Brasileiro feminino

Nascida em 1997 e com 21 anos completos, Gabi Nunes é uma das grandes promessas no futebol feminino. Apesar da pouca idade, ela já passou por muitas coisas que fizeram com que ela não segurasse as lágrimas após a conquista do Campeonato Brasileiro pelo Corinthians na noite da última sexta-feira (26).

No time paulista desde 2016, a atacante iniciou a carreira no clube Centro Olímpico, pela base (sub-15 e sub-17). Chegou à seleção brasileira sub-17 em 2013 e também já compôs o elenco do Audax, no qual disputou e foi a maior artilheira do Campeonato Paulista de 2015, balançando as redes 12 vezes.

Pela seleção brasileira, ela foi da sub-17 para a sub-20, em que tornou-se vice artilheira da Copa do Mundo sub-20 em 2016, marcando cinco gols em quatro jogos e, para coroar, recebeu a chuteira de prata da Fifa das mãos de Marta, simplesmente seis vezes escolhida a melhor jogadora do mundo. Em seguida, passou a integrar a seleção principal.

Apesar do grande avanço na carreira, a história por trás de tanta emoção de Gabi Nunes após o título nacional é fortíssima. Atual artilheira do clube com 35 gols, ela teve que passar por duas cirurgias sérias no joelho esquerdo, que a tiraram de campo por um ano e dois meses.

No ano passado, durante o Torneio das Nações, nos Estados Unidos, ela sofreu uma ruptura do ligamento cruzado anterior, em um lance ainda no primeiro tempo contra a seleção da casa. A lesão fez com que ela passasse pela primeira intervenção médica, feita pela a equipe da seleção brasileira e que a impossibilitou de jogar durante quase sete meses, sendo desfalque do Corinthians durante a importante conquista inédita da Libertadores de 2017, quando o clube ainda tinha parceria com o Audax e foi campeão invicto.

Ela foi liberada para voltar em março deste ano. Porém, o retorno não foi o esperado. Em Águas de Lindóia, interior de São Paulo, durante jogo-treino entre Corinthians e seleção brasileira sub-20, a atacante entrou e, com apenas 15 minutos, teve novamente a mesma lesão, que a rendeu uma segunda cirurgia, dessa vez realizada pela equipe médica do clube sob os cuidados do experiente ortopedista Joaquim Grava. Mais uma vez um doloroso período de recuperação.

Durante toda a temporada, Gabi Nunes foi desfalque. Ainda assim, ela é a maior artilheira do clube no atual elenco, tendo marcado um total de 35 gols em todo seu período no clube, seguida de Grazi, capitã do time e que soma 34.

Quatorze meses depois e após várias e várias sessões de fisioterapia, enfim, Gabi Nunes foi liberada para jogar. Ela foi relacionada contra o Flamengo e também contra o Rio Preto, nessa sexta. No jogo que acabou em taça, mesmo sem ir a campo, ela se emocionou desde o vestiário e não perdeu a chance de agradecer às companheiras de equipe pelo apoio. “Obrigada mesmo a todas que me ajudaram a voltar em um nível melhor, com zagueira me batendo, mas agradeço muito, muito mesmo e vou levar vocês para sempre no meu coração”, disse a atacante na roda de conversa após o recebimento da premiação.

Com o depoimento de Gabi Nunes, todas as suas parceiras de time também se emocionaram. Agora, é esperar a próxima temporada para que ela possa trocar as lágrimas desta história por muitos dribles e gols.