<
>

A skatista Melissa Lobo, que aos 12 anos já é 4ª do ranking nacional

Aos 12 anos, Mel é destaque no skate feminino. Mo Dantas

Melissa Lobo: guardem este nome. Com apenas 12 anos, a skatista Mel já é 4ª do ranking banks e 11ª no street. De Ubatuba, litoral norte de São Paulo, a garota sempre se deu bem nos esportes em que praticou, como ginástica rítmica, kung fu, futebol, stand up, tênis de mesa..., mas foi no skate onde encontrou sua vocação, aos 9 anos.

Sua relação com o skate começou quando um garoto do prédio onde morava a chamou para andar. “Ela tendo passado por tantos esportes, eu duvidei, mas ela saiu na segunda colocação em seu primeiro campeonato, com apenas um mês andando de skate e competindo com meninos e meninas muito mais experientes”, contou Ligya, mãe de Melissa que apoia a filha incondicionalmente – “ela estava tão feliz que decidimos dar uma chance”.

Depois disso, ela não parou mais. Conseguiu a primeira medalha de ouro por equipes em Ubatuba, começou a ser conhecida na cidade, onde construíram um bowl (pista de skate em formato de piscina).

A skatista de onze anos foi virando sensação. Já saiu em manchetes de jornais locais e tem sido reconhecida pelo mundo. “Ela foi convidada a ir para os Estados Unidos pela grande fotografa esportiva Cindy Whitehead, que a publicou em sua página pessoal também, mas infelizmente não deu para realizar a viagem” – contou a mãe. Em sua publicação, Cindy dizia estar ansiosa para encontrar Mel e terminou dizendo “mal posso esperar para te encontrar”.

Tóquio 2020 ainda não é o foco, a esperança é que Mel avance no ranking para conseguir, quem sabe, uma vaga para as Olimpíadas de 2024. “O skate a faz feliz, vamos apoiar sempre” – disse Ligya, que mesmo achando o point de skate de sua cidade ruim, acompanhou a filha por ter observado que a garota tinha potencial – “se ela é feliz, também somos. O que mais pode querer uma mãe do que ter uma filha que aos nove anos já tem uma vocação? Foi o que pedi a Deus quando estava grávida” – completou, orgulhosa.

Mel não tem nenhum patrocínio, mas tem uma bolsa de estudos no Colégio Integração por ser atleta da cidade e a família está em conversa com a CBSk para tentarem alguma ajuda. “Além da ajuda com a bolsa, o colégio entende suas ausências na aula quando ela precisa faltar para ir a algum campeonato” – diz a mãe.

Lygia tem mais uma filha de 18 anos, a Vitória, que não é ligada a esportes, mas gosta muito de culinária e fotografia e conta que também a apoia em tudo. “Enquanto eu estiver viva, apoia-las em tudo, é meu foco. Mel tem fãs no mundo todo, isso me orgulha”.