<
>

Muito além dos nervos de Serena; imprensa internacional elogia e aponta Naomi como estrela emergente do tênis

Nascida no Japão, ela é filha de mãe japonesa e pai haitiano, mas aos três anos de idade já se mudou para os Estados Unidos. Ela é negra, tem apenas vinte anos e tornou-se a primeira japonesa – entre homens e mulheres – a vencer um título de Grand Slam. Infelizmente, na partida de sua vida, contra aquela que foi sua inspiração no esporte, o seu brilho foi ofuscado pela falta de serenidade de Serena Williams, que tomou três punições durante a partida. Mas Naomi Osaka não venceu o US Open só por conta das punições da adversária, Osaka é maior do que tudo isso.

Naomi foi campeã de seu primeiro Grand Slam em cima de Serena Williams, a maior tenista de todos os tempos, detentora de 23 Grand Slam e que estava, justamente naquela partida, em busca de uma quebra de recorde, que é de Margaret Court, dona da marca de 24 títulos desde 1973.

Williams não conseguiu se igualar a ex-tenista, mas por outro lado, a japonesa haitiana alcançou um marco histórico e seu brilho não deve ser ofuscado pelos ‘nervos’ de Serena.

Antes de partir para o US Open, Naomi já havia alcançado outros feitos neste ano. Em Indian Wells, sua campanha foi impecável, tendo derrotado Sharapova, Radwanska, Karolina Pliskova e, na semifinal, ninguém mais, ninguém menos do que a número um do mundo, Simona Halep. A final, foi contra a russa Daria Kasatkina e a japonesa venceu o título.

Em seguida, partindo para o WTA de Miami, Osaka derrotou Serena Williams na primeira fase do torneio com parciais de 6-3/6-2 em partida que durou 1h17. Na ocasião, o jornal britânico The Guardian, escreveu “Serena Williams é batida pelo talento emergente Naomi Osaka no Miami Open”.

Osaka nunca escondeu ter sido fã de Serena e disse: “Eu estava extremamente nervosa entrando em quadra. Eu não sei se alguém sabia mas Serena é minha jogadora favorita. Jogar contra ela é um tipo de sonho para mim. Estou grata por estar apta a jogar com ela e mais ainda por vencê-la”.

Porém, um Grand Slam é diferente e tem um peso muito maior. Osaka destacou-se durante toda a partida. Serena até chegou a reagir, mas após receber três punições, ela perdeu a cabeça e o jogo ficou mais fácil para a japonesa, que triunfou e levou o título.

Naomi estava perceptivelmente sem graça e sem reação, ela mal conseguia falar ou se expressar. Em sua entrevista no final do jogo, dentre tantas vaias, ela se desculpou: “Me desculpem, eu sei que vocês queriam vê-la vencer”. Serena estava jogando em casa, com uma torcida gigante a seu favor e ainda assim, a japonesa não deixou de jogar bonito. Em entrevista coletiva, quando a garota de 20 anos, ainda um tanto assustada por tantos flashes e indagações, foi questionada como comemoraria, ela apenas respondeu, com toda sua espontaneidade: “Dormindo”.

Em entrevista ao programa Today, da NBC, ela afirmou que sentiu-se obrigada a pedir desculpas porque não estava entendendo as vaias e que, agora, pretende revisar a partida para formar uma opinião. “Senti que estavam todos descontentes e sei que não era aquela final que queriam assistir. Nos meus sonhos, ganhei numa partida muito competitiva, por isso não sei. Me senti emocionada e senti a necessidade de pedir desculpas” – completou.

Após vencer um título dentro da casa de sua oponente, Osaka agora pode ser a primeira japonesa a alcançar o número um no ranking da WTA. Após o título de US Open, Naomi Osaka subiu 12 posições no ranking e entrou no TOP 10 pela primeira vez em sua carreira, ocupando agora a 7ª colocação.