<
>

Artilheira ganhava R$ 250 por mês e deixou clube após ter aumento negado

Alicia Cervantes foi a artilheira do Atlas no torneio Apertura Reprodução/Facebook

A jogadora Alicia Cervantes Herrera decidiu não defender mais as cores do clubes mexicano Atlas, de Guadalajara. O motivo? Artilheira da equipe no último torneio Apertura (primeira divisão do futebol no país), com nove gols, a camisa 10 de 23 anos recebia 1.500 pesos por mês, o que equivale a R$ 250. Quando conversou com os dirigentes por um aumento, teve o pedido negado.

“Decidi não seguir por conta da situação financeira. O clube não oferece casa nem estudos. Eu não estou estudando por falta de dinheiro. E o que me pagam é muito pouco. Pedi um aumento. Falei com o gerente. Com os diretores não puder conversar. Não sei se sabiam da situação ou não”, contou ao jornal Mediotiempo.

O contrato entre a atacante e o clube era de julho de 2017 a maio de 2018. Segundo a publicação mexicana, ela era considerada semiprofissional. Alicia Cervantes jogou 1.088 minutos pelo Atlas no torneio Apertura.

“Eu não pedi para receber um salário de milhões de pessoas. Só queria receber o que acreditava ser justo, pelo que fiz individualmente e pelo desempenho coletivo. Não só eu, mas outras meninas também mereciam um aumento.”

Alicia também publicou um texto em sua conta oficial no Facebook. “É triste ver que o Atlas fale, por sua conveniência, como se eu estivesse saindo porque não quero seguir jogando futebol profissional. Agradeço o apoio dos torcedores e peço que continuem torcendo por mim quando eu voltar a jogar.”