<
>

Do vôlei à moda: Fê Isis, central do Hinode Barueri, também é estilista e tem marca própria

Vôlei não é a única paixão de Fê Isis. Além da bola, a jogadora do Hinode Barueri se entende muito bem com tecidos, agulhas, réguas, papéis e lápis. A central da equipe comandada pelo tricampeão olímpico José Roberto Guimarães concilia o esporte com o design de moda e também é craque na criação de vestidos, especialmente para mulheres altas como ela, que é dona de 1,87m.

Essa história começou há sete anos. Aos sábados, quando tinha folga de treinos e jogos, Fernanda frequentava um curso de costura, interesse que apareceu justamente pela dificuldade em comprar vestidos longos, por conta de sua altura. E aí, se jogou de cabeça nesse novo mundo.

"Algumas companheiras de time começaram a pedir para eu fazer saias compridas. Fui fazendo sem pensar em vender, mas me apaixonei e decidi estudar, porque vi que muitas mulheres viviam o mesmo problema. Fiz curso técnico de modelagem, alguns outros de costura e iniciação ao comércio e também de novos empreendedores. Então, comecei a vender pelo Instagram. E hoje, tem também a loja virtual", contou ao espnW.

A nova carreira progrediu, então, para um ateliê na zona leste de São Paulo, com duas costureiras. No ano passado, por conta de uma grave lesão, Fê Isis decidiu tirar um ano sabático do vôlei e se dedicar totalmente ao design de moda. A jogadora fazia de tudo, do desenho ao corte das peças, e, às vezes, também participava do acabamento.

Foi então que Zé Roberto, com quem a central já havia trabalhado anteriormente, a convidou para defender o Hinode Barueri, equipe idealizada e montada por ele. Agora, sua prioridade é o vôlei e, nas folgas, se dedica aos vestidos.

"Tento conciliar. Comecei a jogar aos 12 anos. O vôlei é minha vida, e a moda só veio por conta do esporte. Como voltei às quadras, terceirizei o serviço. Trabalho com uma modelista no ateliê dela. Desenho, escolho o tecido... Faço o papel de estilista mesmo. Mas nesse momento, por conta do ritmo de treinos que a Superliga exige, fico mais na parte de criação do que na de desenvolvimento. Não consigo estar tão presente no ateliê e tenho a modelista que me ajuda, tomando conta das costureiras."

Fernanda, que usa 'Fê Isis' como marca para suas peças, tem clientes conquistados pelo Instagram e boca a boca. Seu público são mesmo as mulheres altas, mas sempre que surge demanda atende pedidos especiais - tem, por exemplo, uma plus size como cliente fixa. Quem também sempre compra com ela é a meio-de-rede bicampeã olímpica de vôlei Thaísa, que tem 1.96m de altura.

"Meu tamanho PP é para mulheres baixas, de 1,70m. Aquelas de 1,60m dificilmente vão encontrar um vestido para comprar da minha marca. Mas se fizer o pedido, faço. Já desenhei muita coisa. Muitos modelos guardo e uso. Outros, enjoo no outro dia (risos). No ano passado, que fiquei afastada do vôlei, desenhei e vendi 40. No total, são mais de 300, desde que comecei."

No mês passado, a central lançou sua coleção de verão. O grande desejo da atleta é ser referência em moda. "Passar o dia no ateliê é prazer, lazer. Nem vejo como um trabalho porque não me cansa. Quero, um dia, que meu trabalho seja referência para as mulheres altas. A maioria tem vergonha de usar salto e vestido. Não podem deixar de se vestir como querem por causa do que as pessoas vão pensar e quero ajudá-las nisso."

Enquanto isso, vem sendo um dos pilares do Hinode Barueri em quadra. A equipe paulista ocupa a sexta colocação na classificação da Superliga feminina, com 18 pontos. O próximo confronto será contra o SESI-SP (12º) no dia 9 de janeiro, às 19h30, em casa, no Ginásio José Corrêa.