A segunda batalha dos Aflitos

São Paulo
Paulo Calçade, blogueiro do ESPN.com.br
e

Hernanes definiu a segunda versão da Batalha dos Aflitos como um milagre são-paulino. Tudo bem, está dentro do cenário do jogo, serve para explicar boa parte do que aconteceu no campo do Náutico.

Foi uma partida de muita intensidade, desde o início parecia difícil terminar sem expulsões. E elas foram determinantes para o resultado.

Ameaçado pelo rebaixamento, o Náutico foi para cima no segundo tempo. Com dois jogadores a mais, Geninho foi ousado.

O Náutico começou com três zagueiros, depois trocou Vagner por Elton e perdeu Cláudio Luís expulso, aos 40 do segundo tempo. Restou apenas um.

Com um jogador a mais e um zagueiro a menos, os pernambucanos viram Hugo marcar o gol da vitória. Cruel para quem lutou tanto e desperdiçou um pênalti.

Tecnicamente foi um jogo fraco. A heroica vitória mantém o São Paulo na disputa pelo título e pode reconduzir o Náutico à zona do rebaixamento no final de semana.

Merece destaque a atuação do árbitro alagoano Francisco Carlos Nascimento. Manteve a calma e fez o que o jogo precisava. Ótimo.
Comentários

A segunda batalha dos Aflitos

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

ÁUDIO: Triste constatação

São Paulo
Conrado Giulietti, blogueiro ESPN.com.br
Esqueçam os estádios divididos pelas torcidas em grandes clássicos. Aqui em São Paulo, pelo menos, isso hoje é utópico.
Após São Paulo 1x1 Corinthians, conversei com o promotor do Ministério Público, Paulo Castilho.
Ele é o autor de medidas polêmicas, como a redução do número de torcedores adversários nos grandes jogos e o cadastramento dos mesmos, iniciativas ainda sem comprovação de eficiência.

O que se vê hoje, são as ditas "organizadas" tomarem o espaço destinado a quem não é da casa.

Castilho me argumentou que viu corintianos (como torcedores comuns) neste domingo no Morumbi ao passar pelos camarotes.
Mas aí, convenhamos, não vale. 

"Não vejo nenhuma possibilidade de estar dividido. Quando restringimos o número de visitantes, diminuiu o número de ocorrências", disse o promotor do MP.

CLIQUE NO PLAYER E OUÇA A RESPOSTA COMPLETA
ENTREVISTA DE PAULO CASTILHO A ELDORADO/ESPN
ENTREVISTA DE PAULO CASTILHO A ELDORADO/ESPN
Com pouco mais de 32 mil torcedores no Cícero Pompeu de Toledo, sendo destes quase seis mil do Corinthians, nenhum incidente grave foi registrado.

É a vitória dos bandidos que acabaram com a paixão de torcer. E a derrota dos que acreditam em coexistir entre diferenças.

Triste é o país em que, para ser seguro, é preciso limitar o direito de ir e vir.
Comentários

ÁUDIO: Triste constatação

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

A vitória da defesa sobre o ataque

São Paulo
pauloviniciuscoelho
xxx

Passar mais tempo com a bola no pé -- chegou a ser de 60% a posse de bola são-paulina -- muitas vezes não basta. É coisa para ser elogiada, quando é parte da estratégia para impedir o adversário de jogar, como acontece tantas vezes com o Barcelona, que desgasta os rivais, incapazes de tirar a bola de seus pés. Contra um adversário que oferece o campo e busca o contra-ataque, nem sempre é elogiável.
Especialmente quando, apesar de se criar chances de gol. A melhor delas, um tiro de média distância de Hernanes, de boa atuação, embora responsável por sete cruzamentos errados para a grande área corintiana.
Se tivesse um pouco mais de velocidade, o Corinthians poderia matar o jogo no contra-ataque. Mesmo sem essa qualidade, teve a chance com Ronaldo, desarmado por Richarlyson um minuto antes do gol de empate de Washington.
O empate ficou de bom tamanho. Deixa o São Paulo a cinco pontos do lídero. O desânimo pode vir mais da incapacidade ofensiva do que da pontuação. Há um ano, na 26a rodada, o Tricolor tinha sete pontos a menos do que o líder. Terminou campeão.
Comentários

A vitória da defesa sobre o ataque

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

No Beira-Rio, não podia ter jogo. Bom para os rivais de Inter e Flamengo

São Paulo
Julio Gomes, blogueiro do ESPN.com.br


Fui ontem ao Beira-Rio, um estádio que eu não conhecia. Aliás, fazendo um cálculo rapidíssimo (devo ter deixado algum passar), contei 58 estádios em que já vi jogos ao vivo na Europa. E só 15 no Brasil! Isso que dá ter vivido tanto tempo fora. Sempre quis começar a ver mais jogos (que não sejam da Portuguesa) no Brasil, trabalhando ou não. Neste fim de semana, resolvi começar a cruzada em alto estilo. Duelo de dois gigantes do futebol brasileiro, Inter e Flamengo.

A razão de eu ter vindo a Porto Alegre foi o casamento de um grande amigo, o Maurício (que seja feliz!). Aproveitei para comer um rodízio de carnes dos melhores (não seria difícil) e ver um belo jogo de futebol. Exceto, claro, que não teve jogo.

O que se viu no Beira-Rio foi um verdadeiro absurdo. Não dá para entender como o senhor Sandro Ricci, árbitro da partida, permitiu que o pontapé inicial tivesse sido dado.

Chove em Porto Alegre desde exatamente as 19h30 de sábado. Eu sei porque estava na rua e saí correndo para pegar um táxi. Não parou mais, apenas aumentou ou diminuiu de intensidade. Às 15h45 de domingo, 15 minutos antes do jogo, a chuva virou dilúvio. Não acho que a drenagem do Beira-Rio seja a melhor possível, talvez o campo pudesse ter aguentado um pouco mais. Mas isso não vem ao caso, essa não é minha especialidade.

O fato é que estava impraticável. E o árbitro (pressionado? por quem??) permitiu que fosse realizado um jogo que não tinha a menor chance de acabar com outro resultado. Ou melhor - quer dizer, pior -, alguém poderia ter vencido. Em um lance fortuito qualquer, ou seja, na loteria pura. Como um campeonato tão longo, envolvendo tantos clubes e torcidas importantes, pode ser decidido na loteria?

É absolutamente inaceitável.

Não gosto de teorias da conspiração. Mas é óbvio que a realização dessa partida agradou a palmeirenses, são-paulinos, esmeraldinos, atleticanos, gremistas e outros concorrentes de Inter e Flamengo pelo título ou vaga no G-4. Todo mundo se deu bem com o ridículo pólo aquático permitido pela CBF em Porto Alegre.

Se eu fosse flamenguista, estaria resignado. Empate no Beira-Rio não é mau negócio.

Se eu fosse colorado, estaria p da vida. Só não estaria vaiando o Tite, como muitos fizeram quando o técnico substituiu Taison e Andrezinho.

Peraí. Primeiro que não teve jogo. Se não teve jogo, não dá para ficar criticando nem técnico nem jogador. Segundo: dadas as condições absurdas, Taison e Andrezinho nem conseguiam passar perto de jogar. O Taison, que para mim é um baita jogador, tentava carregar a bola e driblar. Você já tentou driblar e carregar a bola na piscina? Pois é, não dá.

Então era lógica a saída dos dois e a tentativa de ganhar o jogo com o Edu, em alguma bola aérea. Não deu certo. Mas vaiar o Tite... haja paciência para esses técnicos.

Continuo dando murro em ponta de faca. Ainda acho o Inter o melhor time do Brasil, mas o Colorado está jogando um campeonato bastante ganhável no lixo. É claro que ainda dá, mas o Palmeiras abriu uma vantagem para todo mundo que não é desprezível.

E ai de quem continuar falando que Goiás e Atlético-MG não estão na briga. Eu, por exemplo, ainda acho que o título fica entre Palmeiras, Inter e São Paulo. Mas está na cara que goianos e mineiros vão seguir calando a minha boca e de tantos outros cronistas e torcedores até o fim do campeonato...
Comentários

No Beira-Rio, não podia ter jogo. Bom para os rivais de Inter e Flamengo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

São Paulo dominou o espaço, <br>Corinthians a tática

São Paulo
Paulo Calçade, blogueiro do ESPN.com.br
e 

O São Paulo foi mais agressivo, buscou incessantemente a vitória, mas foi superado taticamente pelo Corinthians.

Mano Menezes parece se divertir quando enfrenta o rival. Mais uma vez, a exemplo das semifinais do Campeonato Paulista, o treinador corintiano procurou neutralizar o jogo são-paulino com surpresas táticas.

Havia um Corinthians ofensivo demais na escalação anunciada. Um perigo para quem vem sendo reconstruído durante a competição. Perigo? Não.

Mano prendeu os laterais Alessandro e Marcinho aos zagueiros Paulo André e William. Jucilei e Marcelo Matos postaram-se acima da linha defensiva para barrar Hernanes e Jorge Wagner, além da valiosa contribuição de Jorge Henrique, mais uma vez um implacável marcador de Júnior César.

Sem armação de jogadas pelos lados, o São Paulo se viu obrigado a conduzir a bola pelo meio, afunilando o jogo e batendo na marcação corintiana. Era o que Mano pretendia, limitando a área de atuação do adversário.

Ficou claro que a equipe de Ricardo Gomes precisa de alternativas quando tem seu estilo de jogo dificultado. Marlos, colocado no segundo tempo pela direita, ao lado de Washington e Dagoberto, foi uma delas, mas chegou tarde ao time, apenas aos 27 minutos do segundo tempo.

Defederico estreou e mostrou muita dificuldade quando precisa jogar mais centralizado, de costas para a defesa. Pode ser adaptado, mas deve dar trabalho. O argentino é mais jogador pelos lados do campo, para entrar em diagonal. Vai precisar se adaptar ao futebol brasileiro. Foi discreto.

Como você percebeu, caro leitor, o blog preferiu falar de futebol e ignorar a contestada arbitragem de Ricardo Ribeiro. O jogo foi melhor que o árbitro, um desses abençoados pela Comissão de Arbitragem com o escudo da Fifa. Como é que pode?
Comentários

São Paulo dominou o espaço, <br>Corinthians a tática

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

A frase de André Dias sobre o Flamengo e a pergunta, o que é um time grande?

São Paulo
Mauro Cezar Pereita, blogueiro do ESPN.com.br



O Centro de Treinamento do Tigres do Brasil ocupa uma área de 240 mil metros quadrados e conta com estádio com capacidade para 11 mil pessoas. Há, ainda, oito campos tamanho oficial Fifa, três de futebol society, seis vestiários, centros médico e de fisioterapia, academias, restaurante, lan house, piscina, dois auditórios, escritórios, lojas, estacionamento, hotel e até um heliponto.

Então o Tigres é um clube grande? Evidente que não, trata-se de mais um time artificial bancado por "investidores" que já o colocaram na primeira divisão do Rio de Janeiro. Uma espécie de Barueri ou Ipatinga do futuro, talvez. Só que sem vínculo com prefeituras, ao que tudo indica.

E por que não é grande mesmo com tamanha estrutura? Por que um time grande não se compra, não se monta, é a história e a paixão dos torcedores que o faz. Com os pontos corridos nas Séries A e B, tal discussão esquentou. Claro que o cenário pode mudar. Para mim, grande é quem mexe com o coração do torcedor.

O blog amanheceu neste sábado com vários rubro-negros cobrando um comentário sobre o que André Dias disse sobre o Flamengo, segundo o Lancenet. Nem havia lido a tal matéria e fui lá conferir, afinal, a coisa parecia séria. Alguns dispararam palavrões que fizeram a tecla delete entrar em ação no que seria seu dia de folga.

Está lá registrado o desabafo do zagueiro sobre a passagem pela Gávea: "Foi a pior experiência da minha carreira. Estava em um clube que queria se mostrar grande, mas que, na verdade, não é. É um clube que não tem estrutura alguma. De campo, de tudo. Não tem nem comparação com o São Paulo. Sofri muito nessa época".

Compreensível a irritação de quem também irritou torcedores com atuações muito ruins entre 1º de setembro de 2002 e 8 de março de 2003, período no qual disputou 21 jogos e não marcou gol. Era chamado de "André Paraná", pois sua origem era o tricolor de Curitiba. Claro que a estrutura do São Paulo é muito superior, até mesmo os protozoários digitais sabem disso.

Mas o que André talvez não tenha percebido é que um time grande não se faz só de concreto armado, de CTs e centros de recuperação de lesionados. Se faz de história e paixão. De milhões de seguidores espalhados pelo país e pelo mundo. De títulos, vitórias e derrotas.

O Flamengo tem isso tudo, com sobras, por isso é muito grande, apesar dos incompetentes e larápios que pelo clube passaram ao longo de sua centenária história. É preciso que não percamos a noção quanto à importância dos verdadeiros clubes de futebol, os que despertam paixões. Esses são os principais, os que mais importam.

Do que vale um timeco artificial pelo qual ninguém ri ou chora? Sou mais o Ceará, o Bahia, o Vila Nova, o Figueirense. Até a Portuguesa e os Américas do Rio e de Minas, com suas torcidas pequenas, mas de verdade, não meros vizinhos de estádios que ganham ingressos e fingem torcer por um time por comodidade ou conveniência.

Entre 1957 e 1970 o São Paulo, onde hoje André Dias desfruta de excelente estrutura, vivia um jejum de títulos, pois investia tudo o que tinha na construção de seu estádio. Um sacrifício necessário, mas recompensado pelas fases de vitórias que vieram depois, com as conquistas inéditas do tricolor.

Se incompetentes se instalarem no poder no Morumbi e em alguns anos o clube perder tudo o que construiu em décadas, talvez um outro boleiro venha a dizer que o São Paulo não é grande. E será uma besteira enorme como a dita por André Dias, bom jogador, gente boa, mas que nesta fez um tremendo gol contra.


O Centro de Treinamnto do Tigres do Brasil, time
Centro de Treinamnto do Tigres do Brasil, time "artificial" montado por investidores




Comentários

A frase de André Dias sobre o Flamengo e a pergunta, o que é um time grande?

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Richarlyson participa de rachão e vai enfrentar o Corinthians

São Paulo
Conrado Giulietti, blogueiro ESPN.com.br
*Atualizado com vídeo às 21h15

O volante só não jogará se Ricardo Gomes preferir outra opção.

Desde o início do treino deste sábado, Richarlyson não aparentava sentir incômodo, como foi ao longo desta semana.
Segundo o médico José Sanchez, a ida ao gramado do CCT serviu para que ele fosse avaliado.

CLIQUE NO PLAYER ACIMA E VEJA COMO FOI O TREINO DESTE SÁBADO
CLIQUE NO PLAYER ACIMA E VEJA COMO FOI O TREINO DESTE SÁBADO

Ricky participou do animado rachão antes do clássico contra o Corinthians.
Assim sendo, o São Paulo conta com sua força máxima para o jogo decisivo deste domingo.
Comentários

Richarlyson participa de rachão e vai enfrentar o Corinthians

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Rádio, meu eterno companheiro

São Paulo
Marcelo Di Lallo
Antes de mais nada, sou muito suspeito para dar minha opinião, mas faço questão de registrá-la aqui no Blog. Até porque quando garotinho o RÁDIO era a maior paixão do brasileiro. Ter uma televisão era para poucos. Me lembro bem que ganhei meu primeiro radinho do meu avô Carlos Di Lallo, um apaixonado pelo veículo de comunicação, e pelas transmissões de futebol. O aparelho era pequeno e as pilhas duravam muito pouco, porque dormia com o radinho embaixo do travesseiro. Ouvia jogos de futebol com Fiori Giglioti e Osmar Santos (entre outros), programas esportivos como o Disparada no Esporte da rádio Gazeta, jornais na Eldorado e Bandeirantes, e músicas na antiga Excelsior, a Máquina do Som. Não existia ainda a FM. As ondas se propagavam para todos os lugares em AM, Ondas Curtas, e Ondas Tropicais.

Você tem um RÁDIO destes?
Você tem um RÁDIO destes?


Minha paixão pelo rádio foi instantânea e virou eterna. É mais que a minha profissão. É quase a minha vida. Não me canso dele, muito menos de trabalhar nele, ou por ele. É minha eterna companhia em todos os lugares (no banheiro, carro, computador, etc), ou momentos. Mesmo com as novas mídias, o carisma e a dinâmica do Rádio jamais serão alcançadas por outro veículo de comunicação. O RÁDIO também é abraçado pelas novas tecnologias como celulares, ipods, computadores, MP4, etc.

Você ouve RÁDIO no carro?
Você ouve RÁDIO no carro?
O Rádio é paixão, imaginação, agilidade, dinamismo e um eterno companheiro. Não vai te deixar na mão. Simples assim. Apaixonante assim. Amigo!

Começou a ouvir o RÁDIO quando garoto?
Começou a ouvir o RÁDIO quando garoto?
O DIA DO RÁDIO é apenas uma singela homenagem daquele que durante todos os dias da tua vida vai lhe proporcionar alegrias e emoções. Com a segmentação das emissoras você pode escolher: esportes, prestação de serviços, música, jornalismo e entretenimento. Nem consigo imaginar um mundo sem o Rádio.

Quero aqui homenagear todas as pessoas. Desde Roquette Pinto, pai do rádio Brasileiro, passando por todos os companheiros radialistas, e por você, ouvinte, que nunca o abandonará. Desde os mais remotos e primitivos lugares do planeta será possível você ter aos seu lado o bom e velho radinho.

Já visitou um estúdio de RÁDIO?
Já visitou um estúdio de RÁDIO?
Conte aqui o que significa o RÁDIO em sua vida:

Como começou a ouvi-lo?

O que gosta de ouvir?
Comentários

Rádio, meu eterno companheiro

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

São Paulo x Corinthians? Não, o clássico mais legal do domingo será Inter x Fla

São Paulo
Mauro Cezar Pereira, blogueiro do ESPN.com.br



São Paulo x Corinthians jogarão neste domingo no Morumbi, mas o jogo mais legal do fim de semana ocorrerá a 1.119 quilômetros de distância. A bola vai rolar no Beira Rio, em Porto Alegre, onde Internacional e Flamengo irão se enfrentar mais uma vez.

Somados os pontos de corintianos e são-paulinos praticamente não há diferença em comparação com colorados e rubro-negros: 81 a 80. No entanto, se os dois duelos envolvem times do chamado "G-4" e equipes que tentam se aproximar do grupo, o Flamengo vem em fase superior à do Corinthians.

Há quatro jogos sem levar gol, o time de Andrade ganhou consistência defensiva com as entradas de Álvaro e, principalmente, Maldonado. Passou a jogar com dois zagueiros e o chileno os protege e deles se aproxima quando preciso. Adriano vive ótimo momento e Petkovic surpreende.

Adriano em ação contra o Coritina nos 3 a 0 de domingo no Rio
Adriano em ação contra o Coritina nos 3 a 0 de domingo no Rio, pelo Brasileirão

O sérvio terá pela frente seu maior desafio no campeonato até aqui, se apresentar bem contra uma das melhores equipes do torneio. Mas se acontecer não será algo inédito. Ele foi muito bem contra o Goiás, apesar da derrota de seu time no Serra Dourada, onde marcou um bonito gol.

O Internacional colocou o time titular (para minha surpresa) em ação contra a Universidad do Chile na noite de quarta-feira, pela Copa Sul-americana. E o time se desgastou, sofreu o primeiro gol e teve que correr para apenas empatar. Vai encarar um adversário que descansou e treinou nos últimos dias num duelo que promete ser tão bom quanto o equilibrado mata-mata da Copa do Brasil.

Por jogar em casa, o Inter é favorito, mas uma vitória do Flamengo não seria absurda. Jogo para ser acompanhado com toda atenção. Estarei ao lado de três TVs quando a bola rolar. E você, qual jogo escolhe na tarde deste domingo?

D'Alessandro encara a marcação chilena na noite de quarta contra o Universidad
D'Alessandro encara a marcação chilena na noite de quarta-feira, contra o Universidad
Comentários

São Paulo x Corinthians? Não, o clássico mais legal do domingo será Inter x Fla

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Jornalismo para quem não lê, reclama sem razão e agride anonimamente

São Paulo
Mauro Cezar Pereira, blogueiro do ESPN.com.br


Na madrugada de quarta para quinta-feira publiquei um post sobre Cruzeiro 1 x 2 Palmeiras. É o anterior a este, não é nada complicado acessar. De qualquer forma, aqui vão alguns trechos, a repercussão e a reflexão.

"E com gol de Vágner Love no jeito do artilheiro, na arrancada velocíssima em direção à meta. (...) Aliás, o camisa 9 cavou a falta que gerou o primeiro gol palmeirense, outro erro da arbitragem (...)".

Então apareceram os comentários no blog: às 15h27, "Aguinaldo Garcez - Caro Mauro, Você deveria ter o mesmo rigor, (o falta de), em relação as infrações fora da área, pois partindo da sua premissa, cabe a seguinte indagação: - O gol de falta do Palmeiras foi legal? esclarecendo, foi mesmo falta o lance que originou o gol do Palmeiras?(...)".
Às 13h48, "Cristiano - Mauro, seguindo a sua linha de interpretação, será que a falta no Love que originou o primeiro gol do Palmeiras, foi realmente falta?? Por que não se fala disso??"

Ora, será que não fui claro o bastante com o trecho do post onde se lê: "o camisa 9 cavou a falta que gerou o primeiro gol palmeirense, outro erro da arbitragem"?

Ainda no blog, escrevi: "(...) Fabrício e Jumar tocam na bola ao mesmo tempo na única jogada que rende alguma discussão entre as muitas nas quais as pessoas clamaram pela falta máxima do futebol. Isso, claro, em minha opinião, respeito os que pensam de forma diferente, posso estar enganado, etc..."

E aí vêm as mensagens no blog, por exemplo: às 10h08, "Marcelo do Galo - Sou atleticano, fanático como todos nós alvinegros somos. Odeio o Cruzeiro, como todos os que são alucinados pelo Galo. Torci pelo Palmeiras, mesmo que sua derrota representasse vantgem ao meu time. Achei que vc, Mauro Cezar, fosse a última voz lúcida da imprensa de São Paulo. (...) Desta feita o blogueiro foi extremamente infeliz em sua análise".

A mesma pessoa que admite ser passional quando o assunto é futebol decreta que minha opinião nada vale porque é ele quem está certo. Intolerância? Isso depois que escrevi "em minha opinião, respeito os que pensam de forma diferente, posso estar enganado..." E mais, eu NÃO sou da imprensa de São Paulo, sou da imprensa.

Mais tarde outro comentário, às 20h19, "Fabio Loranz - "Mauro, o Miranda também tocou na bola primeiro e o MUNDO caiu em cima do São Paulo. (...) Vc ta querendo ser mais verdadeiro que a verdade, só pq tem um meio de comunicação ao seu dispor".

Se no post eu escrevi "posso estar enganado", como estarei tentando me tornar "dono da verdade"? E mais: eu disse que não houve pênalti de Miranda várias vezes na programação da ESPN Brasil desde domingo, quando jogaram Santo André e São Paulo. Qual a razão da cobrança?

E as mensagens acima são educadas, publicáveis, tanto que aqui as reproduzo novamente. Ofensas profissionais, pessoais, de toda ordem, são enviadas com uma naturalidade inaceitável por déspotas que sequer usam seus verdadeiros nomes e e-mails. Alguns, com atividade cerebral digna de um protozoário, até posam de intelectuais. 

Discordar, debater, analisar, tentar convencer alguém de algo, tudo isso é normal e pode ser saudável quando se debate futebol, entre outros assuntos, até os mais sérios. Mas intolerância é demais. Quanto vale uma pessoa que se esconde atrás de um computador para agredir quem está trabalhando apenas porque o blogueiro não escreveu aquilo que ela exige que seja escrito?

Muitos não valem nem mesmo uma simples resposta, e para isso existe nossa sempre eficiente tecla delete. Covardia, cretinice, falta de respeito se espalha pela rede como um vírus que contamina idiotas incapazes de debater futebol aceitando opiniões, concordando e discordando. Gente assim me faria um favor se desaparecesse de vez desse espaço. Mas se insistirem, nenhum problema, a tecla delete é o cão de guarda deste blog. Os demais serão sempre bem-vindos.

PS: que fique claro, se aconteceram 18 ou nenhum pênalti quarta-feira no Mineirão é questão menor para este blog. Absurda, inaceitável, intolerável é a reação de energúmenos que se escondem atrás de uma máquina, de um computador. (Atendendo a pedidos de pessoas sensatas que escreveram comentários abaixo, retirei do post a palavra mais adequada que encontrei para qualificar os elementos citados neste 'PS'. Peço desculpas aos que sentiram-se atingidos, embora não tenha sido utilizada para todos, evidentemente, como a última frase antes do 'PS' deixa claro).


PC
Comentários

Jornalismo para quem não lê, reclama sem razão e agride anonimamente

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Palmeiras, uma vitória de campeão: com suor, lágrimas e apito amigo

São Paulo
José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Está certo: ainda faltam 13 jogos - 39 pontos em disputa. E o Brasileirão com cara e jeito de Brasileirinho ainda pode sofrer uma reviravolta de causar inveja aos mais criativos autores de novela. Mas o Palmeiras de 'Muriçoca' Ramalho escreveu um capítulo importantíssimo na noite de quarta, no Mineirão.

A equipe conquistou uma vitória na raça, digna de um verdadeiro campeão, com os ingredientes indispensáveis para chegar à volta olímpica que persegue desde 1994: suor, lágrimas e apito amigo. Aqui, um parênteses: campeão que se preza não pode dispensar um empurrãozinho de sua senhoria; se acreditar que tem força suficiente para resolver a parada apenas nas quatro linhas, jamais sairá da fila.

De volta ao ludopédio. A 25ª rodada foi um prato cheio para o periquito. Um espaguete à bolonhesa como só a mama sabe fazer. Começou com o tropeço do Internacional no Barradão. Continuou com o empate do São Paulo. E terminou com os 2 a 1, de virada, sobre o pão de queijo que um dia já foi saboroso.

A equipe ganhou oito pontos. Mais: abriu três na liderança do campeonato. Tem tudo para dormir ainda mais tranquila na noite de sábado, já que enfrentará um Furacão que tem se mostrado incompetente até como brisa. E, no domingo, ficará de camarote, apenas secando os inimigos.
                                                  #####
Lavagem cerebral. Vagner Love já sabe como passar uma eficiente borracha na memória dos palmeirenses que ainda não engoliram o fato de ter posado com a camisa do Corinthians, em 2005 – o negócio acabou fracassando. Se marcar no clássico contra o arqui-inimigo, em 1º de novembro, o artilheiro do amor não tem dúvidas: voltará a viver uma lua de mel com a galera. Graças ao gol amnésia.

Twitter. Maldade de rubro-negros e vascaínos: a federação carioca pretende lançar a campanha ‘Fluminense Esperança’, com a turma do Didi. Para doar um ponto, basta ligar 0800-000-001.

Tricolixo. Por mais que se tente, não dá para entender a caótica situação em que se encontra o Fluminense. O clube, administrado com maestria por Roberto Horcades, amigo de fé e irmão camarada do rei da bola, Ricardo Teixeira, exala competência por todos os buracos das Laranjeiras. Já colecionou mais técnicos (Parreira, Vinícius Eutrópio, Renato Gaúcho e Cuca) do que vitórias (três). Completou no Peru 11 jogos sem vencer.

Colírio country. A bandeirinha Ana Paula Oliveira, afastada dos gramados por problemas físicos (???), acertou participação em um reality show. A bela ficará confinada numa fazenda, entre patos, galinhas, porcos, vacas, cavalos e um bando de marmanjos babando pelos cotovelos.

De trivela. Como a turma do presente está mais para caranguejo a caminho de uma panela com água fervendo, o jeito é mergulhar no passado de glórias. O Botafogo vai lançar uma camisa em homenagem a Amarildo, o Possesso da Copa de 62. Nilton Santos e Jairzinho já foram lembrados.

Folha seca. O impoluto presidente são-paulino Juvenal ‘Antena’ adotou um novo livro de cabeceira, ‘Ninguém Faz Sucesso Sozinho’, de Tuta, dono da ‘Jovem Pan’. Tudo a ver - pelo menos é o que garantem felpudas raposas do Morumbi.

Bobo da corte. Dia sim e noite também, o corintiano Dentinho procura seu empresário para saber se tem proposta dos árabes. Ele sonha, evidentemente, com a independência financeira. E, por tabela, com um pouco de sossego no novo clube. Acontece que, após o empréstimo do amigo Lulinha, ele se transformou na ‘vítima preferida’ dos mais velhos, principalmente do 'papai' Ronaldo.

Pescador. O técnico Adilson Batista anda incomodado na Toca da Raposa com os bochinchos de que o grupo cruzeirense está mais rachado que o PMDB, porque alguns jogadores têm privilégios. O treinador jura ser ‘leal e justo’. Por isso, já pegou a vara de pescar. Para ele, a onda nasce com os minhocas, eternos insatisfeitos. Há quem jure que Adílson não emplaca 2010 no time mineiro.

Jogo rápido. Quem viver verá: o imbróglio Kleber/Cruzeiro/Palmeiras ainda vai dar muito pano para manga, colete, paletó e cueca.

Sois rei. O Duque de Caxias é o digníssimo representante das moscas cariocas no inferno da segundona. A média do time como mandante é de 260 testemunhas por jogo – até o duelo com o Vasco, a vaca leiteira do purgatório.

A vida é bela. Enquanto a Uefa chora as pitangas, afirmando ser impossível pagar mais que R$ 27 milhões ao ganhador da pobre Liga dos Campeões da Europa, o milionário Clube dos 13 confirma a entrega de um cheque de R$ 1,5 milhão ao bambambã do Brasileirão com cara e jeito de Brasileirinho.

Circo. O ilibado Nelsinho Piquet já deu o primeiro passo para voltar às pistas: lançou um capacete com novas cores. Segundo passo: pedir emprestado o patinete enferrujado de Rubinho ‘Bate-ou-quebra’ para um racha com Flavio Briatore pela Esplanada dos Ministérios.

Tititi d’Aline. Enquanto a mulher, Caroline, procura um local para abrir um templo em Madri, o meia Kaká corre atrás de uma modesta casa para viver com a família. Ele pode aterrissar no ex-albergue de David Beckam, na região de La Moraleia. As pousadas custam em média R$ 30 milhões. Por enquanto, Kaká está em um kitinete do corintiano Ronaldo.

Bola de ouro. Cleiton Xavier. Um garçom palmeirense que merece ganhar muito mais do que os 10% da conta dos gols.

Bola de latão. Internacional. Terceira pisada na bola consecutiva. Desta vez, contra os chilenos do Universidad, pela Copa Sul-americana. A maria-fumaça colorada continua só apitando.

Bola de lixo. Atletismo nacional. Nem as categorias de base escapam do mar de lama: a fundista juvenil Jenifer do Nascimento Sillva, 18 anos, também foi flagrada no antidoping. É o 15º caso em apenas dois meses.

Bola sete. “O que já aprontei não foi brincadeira. Eu me deslumbrei quando cheguei ao Ituano (2001). Caí na balada. Bebia muito. Sumia de casa durante dois dias seguidos” (do volante Pierre, do Palmeiras, que cansou de tomar caldo de cana para curar a ressaca).

Dúvida pertinente. O doping é uma praga exclusiva do atletismo nacional?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

Comentários

Palmeiras, uma vitória de campeão: com suor, lágrimas e apito amigo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Ibope da bola patina como bêbado em mancha de óleo num dia de chuva

São Paulo
José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br
A euforia que se vê nas mesas-quadradas com a gangorra do Brasileirão com cara e jeito de Brasileirinho não se reflete na poltrona. O ibope das transmissões patina mais que alguns times do campeonato, como o Santos do ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo, ou pé de cana em mancha de óleo e graxa num posto de gasolina em dia de chuva.

A luta do São Paulo pela liderança, na sensacional porfia contra um dos sérios candidatos ao purgatório da segundona, o Santo André, rendeu 19,2 pontos à Vênus Platinada. Pelo oitavo fim de semana consecutivo, a emissora não consegue emplacar mais que 20 pontos, de acordo com a ‘Máquina do Esporte’.

Cruzeiro x São Paulo e Vitória x Palmeiras registraram 17 e 18,6, respectivamente. Os últimos sorrisos apareceram no clássico Corinthians x Palmeiras, em 26 de julho, que marcou 26,7 pontos.

Já os jogos de meio de semana aglutinaram mais torcedores ao lado de uma ‘loira gelada’, devidamente acompanhada por pipoca, amendoim e sal de fruta. A média em agosto foi de 27 pontos. O embate Corinthians x Santos cravou 30 - cada ponto equivale a 54 mil domicílios na Grande São Paulo.

Com números tão extasiantes, alguns executivos da toda poderosa quebram a cabeça para saber por que a bola anda murchando, já que não acreditam numa ascensão do xadrez, badminton ou críquete.

Outros voltaram a sonhar com o retorno dos mata-matas. E apresentam uma arma terrível: o recorde de audiência na temporada pertence à decisão da Copa do Brasil, entre Corinthians e Internacional, com 39,5 pontos. Superou até jogos da seleção dos anões de Dunga - Argentina (32 pontos) e Chile (36). Plim-plim.
                                                     #####
Poupança. A torcida do Fluminense festeja o custo/benefício de Leandro Amaral, o artilheiro de apenas 200 mil caraminguás por mês. Sem marcar um gol nesta temporada (o último foi em novembro de 2008, ainda com a camisa do Vasco), o badalado ‘matador’ está fora de combate desde 18 de julho, quando foi afastado para recuperar a forma. Nos últimos nove meses, Leandro Amaral ficou cinco no estaleiro. E pode continuar com um confortável chinelinho, já que corre risco de operar novamente o joelho direito.

Boca de urna. A política carioca deve pegar fogo. Os ex-atacantes Romário e Edmundo decidiram testar o prestígio na corrida por uma cadeira de deputado estadual nas eleições de 2010. O Pitbull sairá candidato pelo Partido Socialista Brasileiro/PSB. Já o Animal aposta na legenda do Partido Progressista/PP.

Saravá! O bom baiano Obina não dá sopa para o azar. O palmeirense faz questão de usar uma fitinha do Senhor do Bonfim em um dos pulsos. Ele decidiu adotá-la quando trocou o Vitória pelo Flamengo e sentiu a força do amuleto no dia a dia.

Facada. Sob o elitista argumento de que as partidas serão espetáculos para poucos, o presidente da nova-velha diretoria do Corinthians, o glorioso Andrés Sanchez, confirmou que o bolso da Fiel sofrerá uma bela sangria na Libertadores. Um lugar VIP deverá custar R$ 500. E os ingressos mais baratos (poucos) serão destinados ao sócio-torcedor – coisa de R$ 50, no mínimo.

Alto-falante. Os engomadinhos do São Paulo festejam por antecipação. O Morumbi poderá receber dois shows no fim do ano. Em novembro, já está confirmada a presença da banda australiana AC/DC. E, em dezembro, deverá pintar Bon Jovi ou U2. Sem Corinthians, Palmeiras e Santos como inquilinos, o negócio é apelar para o microfone.

Bookmarks. Comendo o pão que o diabo amassou num palacete das mil e uma noites do Uzbequistão, o técnico Felipão apontou os favoritos à Copa de 2010: Brasil, Inglaterra, Espanha e Itália. O sargentão disse ainda à rádio ‘Bandeirantes’ que no fim deste ano soltará os cachorros contra o Chelsea - para receber uma multa de 8 milhões de euros, ele é obrigado a ficar de boca fechada por um tempo.

Tititi d’Aline. O atacante Ronaldo ficou profundamente decepcionado com a sapatada que o Corinthians tomou do Goiás. Por pouco não foi às lágrimas. Tanto que, depois do jogo, fez questão de levar a mulher, Bia Antony, grávida de quatro meses do segundo filho, a uma boate para comemorar os 33 anos.

Você sabia que.... a Inter de Milão foi o clube que mais faturou com a janela de transferências, embolsando R$ 280 milhões?

Pombo-correio. “Triste saber que, além da Copa de 2014, corremos o risco de sediar uma Olimpíada, numa cidade que é bela por natureza mas violenta por incompetência. Somos tão ricos e ao mesmo tempo tão pobres” - do internauta Antonio Eduardo (SP).

Bola de ouro. Barcelona. Messi, Ibrahimovic e companhia bela estão estraçalhando os adversários e mostrando que se pode conjugar vitória com espetáculo.

Bola de latão. Mário Gobbi. Aprendiz de cartola, o diretor corintiano revelou mais uma faceta: entende como poucos de prêt-à-porter. Para o ‘estilista da Fazendinha’, Ronaldo só passa a impressão de que está gordo por causa do uniforme. É uma coleção de músculos.

Bola de lixo. Atletismo. Mais três casos de doping: Leonardo Elisiário dos Santos, João Gabriel Santos Souza e Fernanda Gonçalves. Como desgraça pouca é bobagem, o novo escândalo coloca em xeque três técnicos da elite do esporte.

Bola sete. “Não tem nada na vida que não venha com sacrifício, a não ser para filhinho de papai” (do filósofo e técnico Estevam Soares, sobre a recuperação do Botafogo no Brasileirão).

Dúvida pertinente. Ronaldo comemorou os 33 anos com doce diet e refrigerante light?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

Comentários

Ibope da bola patina como bêbado em mancha de óleo num dia de chuva

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Cruzeiro pode liderar returno. Inter e Goiás caem. Fla, Grêmio e Vitória sobem

São Paulo
Mauro Cezar Pereira, blogueiro do ESPN.com.br


O Cruzeiro poderá assumir a liderança do segundo turno do Campeonato Brasileiro com uma vitória sobre o Palmeiras, nesta quarta-feira, no Mineirão, em jogo que fecha a 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. O vice-campeão da Copa Libertadores tem 10 pontos em cinco partidas na segunda metade da Série A 2009, ou seja, pode atingir 13, que seriam dois a mais em relação a Grêmio, São Paulo e Vitória, os que mais pontuaram no returno até aqui.

Mesmo vencendo o Cruzeiro não sairá da 13ª colocação no Campeonato. A fraca campanha no primeiro turno, quando se dividiu entre Brasileirão e Libertadores (14º colocado com 22 pontos, 15 atrás do Internacional) impede o campeão mineiro de lutar pelos primeiros lugares. O time também passou por transformações, com a saída de titulares, como Ramires, Wagner e Gérson Magrão.

Atenção para a queda do Internacional, melhor time do turno e que no returno fica à frente apenas de Botafogo e Fluminense. Outro com desempenho bem inferior ao da primeira metade do campeonato é o Goiás, que de terceiro foi parar em 17º. Grêmio, Vitória, Santos e Flamengo também estão bem acima das posições nas quais terminaram o primeiro turno. O Palmeiras, se for derrotado em Belo Horizonte, também fechará a rodada bem abaixo da vice-liderança alcançada na metade inicial.

Confira a colocação dos times no segundo turno após seis jogos
Entre parênteses, a posição das equipes ao final do primeiro turno

Grêmio (7º) 11 pontos, 3 vitórias, 8 gols de saldo
São Paulo (4º) 11 pontos, 3 vitórias, 3 gols de saldo
Vitória (12º) 11 pontos, 3 vitórias, 2 gols de saldo
Flamengo (10º) 10 pontos, 3 vitórias, 5 gols de saldo
Cruzeiro (14º) 10 pontos, 3 vitórias, 3 gols de saldo*
Santos (11º) 10 pontos, 3 vitórias, 2 gols de saldo
Corinthians (8º) 9 pontos, 2 vitórias, - 1 gol de saldo (11 gols pró)
Atlético-MG (5º) 9 pontos, 2 vitórias, - 1 gol de saldo (8 gols pró)
Náutico (18º) 8 pontos, 2 vitórias, 1 gol de saldo
10º Coritiba (16º) 8 pontos, 2 vitórias, -1 gol de saldo
11º Barueri (9º) 8 pontos, 2 vitórias, -2 gols de saldo
12º Avaí (6º) 7 pontos, 2 vitórias, 1 gol de saldo
13º Palmeiras (2º) 7 pontos, 2 vitórias, 0 gol de saldo*
14º Sport (20º) 7 pontos, 2 vitórias, -2 gols de saldo
15º Santo André (17º) 7 pontos, 2 vitórias, -3 gols de saldo (5 gols pró)
16º Atlético-PR (13º) 7 pontos, 2 vitórias, -3 gol de saldo (4 gols pró)
17º Goiás (3º) 7 pontos, 2 vitórias, -4 gols de saldo
18º Internacional (1º) 6 pontos, 2 vitórias, 1 gol de saldo
19º Botafogo (15º) 4 pontos, 0 vitória, -2 gols de saldo
20º Fluminense (19º) 3 pontos, 0 vitória, -7 gols de saldo

* jogou apenas cinco partidas

Jogadores do Cruzeiro comemoram gol de Gilberto sobre o Internacional em Porto Alegre
Jogadores do Cruzeiro comemoram gol de Gilberto sobre o Internacional em Porto Alegre

Comentários

Cruzeiro pode liderar returno. Inter e Goiás caem. Fla, Grêmio e Vitória sobem

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Um vulcão de emoções: Gladiador, Fenômeno, Imperador e caça-fantasmas

São Paulo
José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br
 
Já se disse um milhão de vezes, mas nunca é demais repetir: o ludopédio pentacampeão do mundo é mesmo exemplar, um vulcão de emoções. Dentro e fora das quatro linhas. O líder Palmeiras, por exemplo, nem precisou jogar para ganhar quatro pontos. Já um bando de loucos entrou pelo cano. As caneladas, bicudas e patacoadas do fim de semana:

1) Depois do bochincho de que estaria louquinho para voltar ao ninho dos periquitos, desmentido com veemência, o Gladiador Kleber procura um retiro bem longe da Toca para evitar comentários maldosos, já que o próximo adversário do Cruzeiro será o Palmeiras: cai nos braços da Mancha Alviverde – dizem que até bateu uma bolinha;

2) Ronaldo, uma volta em grande estilo depois da lipoaspiração: gordo como sempre; Corinthians, uma defesa sem defesa, um meio-campo de série C e um ataque de riso - 35 mil fiéis ludibriados;

3) Na folga de Jason, São Paulo não aproveita o mando de quem não manda nem a incompetência dos generosos coirmãos, mas agradece o apito amigo;

4) Urubu: no campo, uma bela chinelada no Coritiba, com direito a gol de placa do Imperador; na arquibancada, chumbo de equipe da Série B – 47.921 rubro-negros contra 50.335 vascaínos;

5) Inter queria dormir na liderança, mas exagerou no vatapá, amarelou e o sonho virou pesadelo; Vitória, um caçador de fantasmas implacável no Barradão;

6) Grêmio, 10 vitórias, três empates e sapatada no pobre Tricolor carioca: em casa de ferreiro gaúcho, o espeto é de ferro mesmo;

7) Santos e Botafogo, um duelo de titãs: a bola nunca foi tão carinhosamente maltratada;

8) A nau vascaína está a poucas milhas do porto do céu, após navegar pelo purgatório. Nas contas do capitão Dorival Júnior, mais quatro inimigos precisam ir a pique.

9) Os vovôs Wellington Paulo (36 anos), Euller (38), Flávio (38), Irênio (34) e Evanilson (34) comandaram ‘o Coelhão voltou, o Coelhão voltou’ à Série B – e ainda dizem que não se pode confiar em ninguém com mais de 30;

10) Fluminense, uma campanha irrepreensível para quem deseja mergulhar na bacia das almas: três vitórias, nove empates e 13 derrotas - só falta chamar o padre para a extrema-unção.
                                                      #####
Bingo. ‘Professores da quarta série’, o especial apresentado em ‘Histórias do Esporte’, na ESPN Brasil, mostrou que os deuses da bola acertaram em cheio ao abençoar este Brasil varonil com a Copa de 2014. Os clubes da Série D são o melhor exemplo de que não se deve poupar um centavo na organização do Mundial. Atendimento médico precário, roupeiro como ‘doutor’, equipes sem lugar para dormir, despejo de hotel por falta de pagamento, calote em jogadores e técnicos e vaquinha para comprar comida. Um panorama gratificante, segundo o treinador Aderbal Lana: “A Copa só aumentará a corrupção, com obras que ligarão o nada a lugar nenhum.”

Twitter. Um é pouco, dois é bom e três é mais que suficiente. O fenômeno Ronaldo já decidiu: após o nascimento do terceiro filho, gol de placa só com a camisa do Corinthians e/ou da seleção.

Negócio da China. O técnico Estevam Soares acertou na mosca ao trocar o Barueri pelo Botafogo. No comando da equipe paulista, que ocupa um modesto 11º lugar, ele acumulou sete vitórias, sete empates e sete derrotas. À frente do time carioca, hoje em uma honrosa antepenúltima posição, pode subir no salto e proclamar que já coleciona uma vitória, três empates e cinco derrotas. Se jogar na Mega-Sena, Estevam fica bilionário.

Apito de trem. Jogadores, técnicos, marias-chuteiras e até o rei da bola, Ricardo Teixeira, são unânimes: a arbitragem brasileira está um lixo. Até cortada de vôlei vale gol. Só o mandachuva do apito, Sérgio Correa, rema contra a maré. Para ele, os sopradores de latinha merecem nota 7,98. Piuí piuí piuí abacaxi.

Ringue verde. A turma do amendoim e o pessoal da pipoca salgada já têm um bom lugar para desopilar o fígado quando a equipe pisar na bola no Palestra Itália. O clube montou uma academia de boxe. Detalhe: o gongo não será uma corneta.

Estaleca. Mais que a boa fase do Tricolor, o que tem deixado o zagueiro Miranda radiante é o extrato bancário. Ele ganhou na surdina um reajuste salarial por não ter sido vendido para a Europa.

Gilete press. Manchete do ‘Jornal Placar’, com um ‘olho’ elucidativo: “Luxa, meio período. Técnico do Peixe só pega no batente à tarde. Timão, Verdão e Tricolor acordam cedo para trabalhar.” Pelo jeito, o ‘pofexô’ já se prepara para a penosa vida de senador por Tocantins.

A vida é bela. Enquanto o COB (caixinha, obrigado Brasil) sofre com os parcos recursos de R$ 100 milhões para vencer a louca corrida olímpica pelos Jogos de 2016, sete privilegiadas judocas tiveram de pagar a própria passagem para brigar na Europa. A confederação do tatame esgarçado alegou que nada poderia fazer, já que recebeu apenas um empurrãozinho de R$ 4 milhões neste ano.

Tititi d’Aline. O empresário Edson Arantes do Nascimento, dono dos direitos de imagem do ‘rei’ Pelé, e a ex-mulher Assíria poderão ser arrolados como testemunhas de defesa do médico Roger Abdelmassih, preso sob a acusação de estuprar 39 mulheres em sua clínica de fertilização. Graças à ajuda do especialista, Pelé e Assíria tiveram os gêmeos Joshua e Celeste.

Você sabia .... que o governo dará R$ 1 bilhão para os Jogos Mundiais Militares de 2011, no Rio?

Fusquinha. A globalizada Stock Car é, sem dúvida, a mais importante categoria da rebimboca nacional. Tanto que Antonio Pizzonia, quinto colocado no campeonato antes do sinal verde no Rio, ficou a pé por falta de patrocinador.

Pombo-correio.
“O Dunga não é o técnico dos meus sonhos, mas quando foi a última vez que a seleção empolgou? Há mais de década que o time apresenta uma bolinha de doer” – do internauta Douglas Habibe.

Fusquinha. A globalizada Stock Car é, sem dúvida, a mais importante categoria da rebimboca nacional. Tanto que Antonio Pizzonia, quinto colocado no campeonato antes do sinal verde no Rio, ficou a pé por falta de patrocinador.

Bola de ouro. Goiás. Não se intimidou diante de um bando de 35 mil loucos no Pacaembu e deu um show de bola no Corinthians. De quebra, voltou ao G-4.

Bola de latão. Tênis brasileiro. Mais um vexame na Copa Davis. Nem jogando em casa e contra uma equipe equatoriana meia boca, conseguiu voltar à elite da bolinha. Papelão inesquecível.

Bola de lixo. Mídia caolha. Tudo bem que o italiano Flavio Briatore não é flor que se cheire no lixão, mas transformá-lo em único vilão do ‘Piquetgate’ é patriotismo idiota. Nelsinho e Nelsão não podem escapar da forca.

Bola sete. “A bola sorriu para o Goiás e fez cara feia para o Corinthians" (do técnico Mano Menezes, tentando justificar o injustificável após o vexame no Pacaembu).

Dúvida pertinente. O técnico Hélio dos Anjos será o convidado de honra da próxima Parada Gay?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

Comentários

Um vulcão de emoções: Gladiador, Fenômeno, Imperador e caça-fantasmas

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Rivalidade x Realidade!

São Paulo
Carlos Lima da ESPN.com.br
A goleada sofrida pelo Corinthians diante do Goiás no Pacaembú, por 4 a 1, certamente deixou sãopaulinos e palmeirenses muito felizes, afinal não é todo dia que o maior rival é humilhado em casa e de forma tão contundente, o time goiano sobrou em campo.
 
Se pelo lado da rivalidade este resultado foi maravilhoso o mesmo não se pode dizer em relação a realidade. O Goiás chegou a 42 pontos, dois a menos que São Paulo e Palmeiras, voltou ao G4 e encostou, de vez, na dupla paulista na briga pelo título nacional da temporada 2009.

O Verdão ainda pode tirar proveito desta rodada se vencer o Cruzeiro, quarta-feira, no Mineirão, caso contrário, a derrota alheia não será tão saborosa assim. Na parte de baixo da tabela parece que Sport e Fluminense estarão juntos na série B do ano que vem, provando que o efeito "fracasso na Taça Libertadores da America", Flu, em 2008 e Sport, em 2009, continua deixando sequelas irreversíveis em algumas equipes brasileiras.
Comentários

Rivalidade x Realidade!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Ronaldinho Gaúcho tem remédio?

São Paulo
Marcelo Di Lallo
Até o todo poderoso Sílvio Berlusconi já não suporta a má vontade de Ronaldinho Gaúcho. O técnico Leonardo cansou de acreditar no jogador. A torcida do Milan esgotou toda a sua paciência. A imprensa italiana já cansou de criticá-lo.

Torcida do Milan fez festa em sua apresentação
Torcida do Milan fez festa em sua apresentação


Ronaldinho Gaúcho está por um fio no Milan. E não tem nenhum fio de esperança de jogar a Copa de 2010 com a Seleção Brasileira. Um raro talento que está caindo no ostracismo. E pior: não demonstra nenhuma reação. Parece ter perdido a vontade e o tesão de jogar bola.

No Barça foi o melhor do Planeta Bola
No Barça foi o melhor do Planeta Bola
Da Itália, chegam informações de exagero nas baladas noturnas. E o seu irmão/pai Assis, empresário e que deveria cuidar com muito carinho da carreira do jogador, até agora não conseguiu fazer Ronaldinho Gaúcho focar, novamente, o futebol profissional.

Pagode e as baladas atrapalham?
                               Pagode e as baladas atrapalham?
É uma grande tristeza ver um cara que foi o melhor do mundo, que foi craque, e pode terminar apenas com um malabarista da bola. É muito pouco pelo talento que Deus lhe confiou. Uma tremenda falta de respeito com seus fãs e admiradores.

Craque virou caricatura?
De craque à caricatura?

Se você acessar o site oficial (http://www.ronaldinhogaucho.com/) sentirá que o pagode parece lhe dar mais alegrias do que o futebol.

Aos 29 anos, Ronaldinho Gaúcho está “enganando” no Milan. O chamado custo/benefício não vale mais à pena para o time italiano.

Pergunta que não se cala:

Será que se voltar ao Brasil, pra ganhar muito menos do que recebe, ou seja, dentro da difícil realidade dos clubes brasileiros, Ronaldinho Gaúcho voltaria a se dedicar dentro de campo como deveria?
Comentários

Ronaldinho Gaúcho tem remédio?

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Rogério Ceni fala sobre o São Paulo no Brasileirão.

São Paulo
Eduardo Affonso, blogueiro do ESPN .com.br
O goleiro Rogério Ceni conversou com os jornalistas que cobrem o São Paulo na manhã deste sábado, após o ultimo treino da equipe para o jogo contra o Santo André, neste domingo, às 16 horas, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto.

O capitão são-paulino abordou alguns aspectos da partida e dessa rodada do Brasileirão, que pode levar sua equipe pela primeira vez na temporada a liderança da competição.

Falou sobre Marcelinho Carioca, sobre o árbitro Flávio Rodrigues Guerra, o Palmeiras e o fato da partida contra o Ramalhão acontecer em campo neutro.

Aqui, os principais trechos da entrevista de Ceni.

Sobre a possível liderança, Ceni concorda com Ricardo Gomes que o importante é estar líder na última rodada e não agora.
CENI A Ele opinou qual é a principal virtude do Palmeiras, que lidera o torneio há 10 rodadas.
CENI B Rogério falou também se Palmeiras e São Paulo levam vantagem por enfrentarem o Santo André no interior e não no Bruno José Daniel, como os outros adversários.
CENI D 
Marcelinho Carioca, hoje no Ramalhão, já fez 12 gols no Tricolor, sendo 9 em Rogério Ceni. O capitão diz não lembrar de ter tomado tantos gols assim do Pé de Anjo.

CENI G 
Por fim, Rogério falou sobre o árbitro Flavio Rodrigues Guerra, que vai apitar neste domingo. Ele esteve à frente do clássico Palmeiras e São Paulo, também em Ribeirão Preto, em 2008 pelo Paulistão. Jogo marcado por uma cotovelada de Kleber em André Dias e pelo Verdão ter tido 3 pênaltis a seu favor.
CENI H 
A delegação do São Paulo viaja para o interior de São Paulo no inicio da noite deste sábado. Com 19 atletas, entre eles, relacionado pela primeira vez o chileno Nelson Saavedra, que vai ficar no banco.

Ricardo Gomes ainda não definiu se corta Renato Silva ou Miranda. Os dois zagueiros estão pendurados com 2 amarelos e um deles será preservado para o clássico contra o Corinthians, no próximo domingo, no Morumbi.

Embora tenha treinado durante a semana com Miranda ano time principal, Renato Silva pode ser o escolhido para jogar. Por que Miranda tem se mostrado mais indisciplinado que o companheiro. Já recebeu 5 amarelos contra 2 de Renato Silva.

Ainda sem Hernanes, que após cirurgia no joelho direito, só retorna contra o Corinthians, mas com André Dias e Richarlyson que voltam de suspensão, o São Paulo deve entrar em campo com: Rogério, Rodrigo, André Dias e Renato Silva (Miranda); Jean e Junior César; Richarlyson, Arouca e Jorge Wagner; Dagoberto e Borges.

Além de Miranda e Renato Silva, os dois atacantes titulares e Marlos, também estão pendurados com 2 amarelos.
ROGÈRIO CENI NÃO TEME ENFRENTAR MARCELINHO CARIOCA
ROGÈRIO CENI NÃO TEME ENFRENTAR MARCELINHO CARIOCA
Crédito da imagem: VIPCOMM


Comentários

Rogério Ceni fala sobre o São Paulo no Brasileirão.

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Prepare o bolso, o mico da Copa do Mundo/2014 está a caminho

São Paulo
José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Quando o Circo Brasileiro de Futebol foi abençoado com a Copa do Mundo de 2014, após uma acirrada eleição envolvendo um único país, o rei da bola, Ricardo Teixeira, e o linha dura governo da ilha da fantasia do mestre Tatoo trataram de distribuir toneladas de maracugina ao contribuinte.

Uníssonos, prometeram de Norte a Sul que o grosso do financiamento dos estádios sairia da iniciativa privada. Mas o efeito do calmante acabou logo. Em agosto, o mandachuva e trovoadas da bola tupiniquim mudou o tom. E comunicou que o governo teria de abrir a torneira da felicidade: “É inevitável a injeção de dinheiro público nas arenas.”

Na última quarta, bingo! O BNDES colocou à disposição dos governos estaduais e municipais uma linha de crédito de parcos R$ 3,6 bilhões para impulsionar o carregamento de tijolos com destino aos estádios.

O BNDES definiu em R$ 400 milhões a ajuda para cada uma das sedes. Porém o guloso Distrito Federal já informou que pretende torrar R$ 740 milhões no novo estádio, já que espera dar um drible no Morumbi e receber o jogo de abertura.

Há que se reconhecer: principal instituição financeira do país, o BNDES tem como objetivo impulsionar o desenvolvimento econômico, emprestando dinheiro com taxas de juros e prazos especiais. Faz, no entanto, uma série de exigências para não levar calote – o que certamente não acontecerá, já que políticos e cartolas transpiram idoneidade por todos os poros. 
                                                        #####                                                              
La dolce vita. Flamengo, Botafogo e Fluminense só estão atrás do Paysandu no cobiçado ranking das equipes que mais frequentaram o subsolo do Brasileirão, a zona da degola, desde o sistema de pontos corridos. A equipe do Pará coleciona 58 rodadas na bacia das almas. Depois, aparecem rubro-negros (57), botafoguenses (53) e tricolores (51). A rica Paulicéia da cracolândia comemora: o primeiro da lista aparece apenas em 15º lugar - Corinthians, 36 rodadas. O levantamento é do Globo.com.

Twitter. O Fluminense vai encarar o Grêmio com o moral na proa do Titanic: com a lanterna na mão e sem vencer uma partida fora de casa há quase seis meses – em 16 jogos, cinco empates e 11 derrotas.

Vale tudo. O volante cruzeirense Fabrício já mandou as boas-vindas ao palmeirense Diego Souza, adversário no encerramento da 25ª rodada. O ex-corintiano rasgou os maiores elogios ao meia. Tem talento, atravessa ótimo momento e se comporta como samaritano em campo, distribuindo socos, cotoveladas e rasteiras. Diego Souza agradeceu o confete e rebateu que não pode ser uma mocinha, já que considera a bola como um prato de comida.

Flexpower. Se o Inter quebrar o tabu de 30 anos e faturar o título, jogadores, roupeiros, massagistas e seguranças do vestiário dividirão R$ 3 milhões. Se o time faturar apenas a vaga da Libertadores, o bicho cairá pela metade. A diretoria acredita que esse combustível é mais que suficiente para impulsionar a máquina e não deixar nenhum colorado vermelho de raiva. Nem a pé.

Folha seca. O ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo é mesmo um sábio. Para o ‘mestre dos mestres’, apenas Palmeiras, Inter e São Paulo ainda brigam pelo título. Descobriu a pólvora.

DataBola. Dirigentes, torcedores e mídia arco-íris estão em prantos. O São Paulo (oitavo) ficou atrás do Cruzeiro (sétimo) como melhor time brasileiro do século 20. A pesquisa é da Federação Internacional de História e Estatísticas, que levou em conta o desempenho das equipes sul-americanas em jogos internacionais. O Peñarol, do Uruguai, ficou em primeiro. Outros brasileiros na lista: Palmeiras (10º), Flamengo (11º), Grêmio (14º), Santos (16º), Vasco (19º), Atlético/MG (22º), Corinthians (31º) e Inter (31º). Há controvérsias.

De trivela. A Casa da Moeda prepara o lançamento de mimos comemorativos ao centenário do Coritiba. Serão confeccionadas quatro versões de moeda. Os preços devem variar de R$ 25 (aço inox) a R$ 15 mil (em ouro). Torcedores do coirmão Furacão prometem fila no Couto Pereira atrás de uma recordação.

Lição croata. Feliz da vida com os gols perdidos por Mandzukic na derrota por 2 a 0 para o Anderlecht, pela Liga Europa, o presidente do Dínamo de Zagreb mandou um bilhetinho ao atacante: “O senhor será multado em R$ 280 mil por ter levado a torcida ao desespero.” Se a moda pega....

Tititi d’Aline. O Animal Edmundo curvou-se aos apelos do Partido Progressista. Vai testar seu prestígio na boca-de-urna para deputado estadual.

Você sabia que.... o Milan é o clube que tem o maior número de torcedores no Brasil, com 16%, segundo pesquisa TNS Sports?

Bola de ouro. Harlei. O goleiro completou 10 anos de Goiás. Nesse período, ganhou nove títulos. É o ‘Marcos Ceni’ do Serra Dourada.

Bola de latão. Fórmula 1. Não há detergente que limpe a lona do circo.

Bola de lixo. Hortência. A ex-rainha e hoje cartola da CBB decidiu criar uma cartilha para a seleção feminina. Entre outras coisas, as meninas não poderão “falar mal do basquete”. Quando ainda jogava, Hortência era uma matraca.
Dentro e fora das quadras.

Bola sete. “O Campeonato Nacional está muito ruim. Como podemos ter uma boa seleção com um torneio tão fraco?” (o diagnóstico otimista é da gigante Alessandra, 35 anos, campeã mundial em 1994 e prata em Atlanta/96).

Dúvida pertinente. O governo deve emprestar dinheiro para a construção ou reforma dos estádios?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com
Comentários

Prepare o bolso, o mico da Copa do Mundo/2014 está a caminho

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Dupla Gre-Nal nos extremos. Confira o desempenho do seu time em casa e fora

São Paulo
Mauro Cezar Pereira, blogueiro do ESPN.com.br

Os rivais gaúchos são os extremos no Campeonato Brasileiro quando o assunto é jogar em casa ou fora. Enquanto o Grêmio é o time com melhor desempenho em seus domínios, o Internacional é aquele que mais pontua longe de sua torcida.

Confira a situação do seu time na Série A jogando com e sem mando de campo. Os números foram enviados pelo companheiro Paulo Stein, que a cada rodada vai até o computador e decifra os números do Brasileirão.

Gre-Nal

Classificação após 24 rodadas:

Em casa - pontos


1º Grêmio 30
2º São Paulo 28
3º Palmeiras 28
4º Barueri 27
5º Vitória 27
6º Internacional 26
7º Corinthians 26
8º Flamengo 25
9º Atlético-MG 23
10º Santos 22
11º Goiás 22
12º Avaí 21
12º Coritiba 18
14º Náutico 18
15º Atlético-PR 18
15º Sport 17
17º Cruzeiro 17
17º Botafogo 14
19º Fluminense 14
20º Santo André 13

Fora de casa - pontos

1º Internacional 17
2º Goiás 17
3º Atlético-MG 17
4º Palmeiras 16
5º São Paulo 15
6º Cruzeiro 15
7º Avaí 13
8º Santos 13
9º Santo André 11
10º Corinthians 11
11º Atlético-PR 10
12º Botafogo 10
13º Coritiba 9
14º Flamengo 9
15º Barueri 9
16º Náutico 7
17º Grêmio 6
18º Vitória 6
19º Fluminense 4
20º Sport 3
Comentários

Dupla Gre-Nal nos extremos. Confira o desempenho do seu time em casa e fora

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

São Paulo tem duvida no meio de campo para pegar o Santo André

São Paulo
Eduardo Affonso, blogueiro do ESPN .com.br
O técnico Ricardo Gomes ainda tem dúvidas para montar o meio-de-campo do São Paulo para o jogo contra o Santo André, domingo, em Ribeirão Preto.

Com a volta de Richarlyson de suspensão, o treinador tem três alternativas para o lugar de Hernanes, único titular ausente, ainda em recuperação de uma cirurgia no joelho: Marlos, Hugo e Arouca.

E dependendo da escolha do técnico, muda a função de Jorge Wagner na equipe: Caso jogue Arouca, como ocorreu logo que Hernanes se contundiu, Jorge Wagner fica com mais liberdade na criação de jogadas, podendo encostar nos atacantes Borges e Dagoberto.

Com Marlos (que ganhou pontos após o ótimo segundo tempo contra o Cruzeiro) ou Hugo, Jorge Wagner atua mais recuado, sendo mais preciso na marcação do que criação das jogadas ofensivas.

Particularmente eu prefiro que jogue Arouca, embora o atleta não tenha mostrado ainda no São Paulo nem metade do futebol que apresentou no Fluminense. Com ele em campo, o setor de marcação fica mais forte e dá oportunidade para que Jorge Wagner atue no setor que mais gosta.

Mas mesmo com Arouca, Ricky e Jorge Wagner, o São Paulo vai ter no interior do estado em meio-de-campo leve, rápido e de trocas constantes entre os atletas. O que poderá facilitar as coisas para abrir a provável retranca que o Ramalhão vai armar.

Sim, porque mesmo na zona de rebaixamento, não acredito que o Santo André tenha a pretensão de sair para o jogo e encarar de igual para igual o São Paulo. Sérgio Soares é um bom técnico, e que sabe que nas atuais circunstâncias da sua equipe, ir para cima pode ser um suicídio.

Na zaga, com o retorno de André Dias, que também suspenso não enfrentou o Avai, provavelmente Rodrigo vai para o banco. A não ser que Ricardo Gomes surpreenda e coloque Renato Silva na suplência. Em minha opinião, jogando tanto um como o outro, a diferença é mínima.

Essa é uma rodada boa para o tricolor assumir pela primeira vez a liderança do Brasileirão. Porque os principais rivais terão jogos tão ou mais complicados. O Inter vai a Salvador pegar o Vitória (que só perdeu uma no Barradão, justamente para o São Paulo), enquanto que na quarta-feira que vem, no fechamento da rodada, o Palmeiras, líder, enfrenta o Cruzeiro no Mineirão. Parada indigesta.

JORGE WAGNER ESTÁ GARANTIDO NO MEIO DE CAMPO DO SÃO PAULO EM RIBEIRÂO PRETO.
JORGE WAGNER ESTÁ GARANTIDO NO MEIO DE CAMPO DO SÃO PAULO EM RIBEIRÂO PRETO.
Crédito da imagem: VIPCOMM


Comentários

São Paulo tem duvida no meio de campo para pegar o Santo André

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

mais postsLoading