Croácia deve ser adversária do Brasil na preparação para a Copa

Gustavo Hofman, para o ESPN.com.br
Getty Images
Brasil deve se reencontrar com os croatas na preparação para 2018
Brasil deve se reencontrar com os croatas na preparação para 2018

A Seleção Brasileira pretende disputar três amistosos antes da Copa do Mundo. A ideia da comissão técnica é atuar nos dias 27 de maio, ainda no Rio de Janeiro, e depois em 3 e 10 de junho, já na Inglaterra. O segundo adversário deve ser a Croácia.

Nesta semana a imprensa de Liverpool noticiou que a segunda partida pode acontecer em Anfield, justamente contra os croatas. Destacou, inclusive, o possível retorno de Philippe Coutinho ao estádio e o confronto contra Dejan Lovren.

Tite quer três partidas aos domingos, e se a federação croata concordar em jogar nesse dia específico, o amistoso tem grandes chances de acontecer. Há negociação entre as duas seleções.

A Croácia emularia o terceiro adversário do Brasil na Copa, no caso, outra seleção dos Balcãs, a Sérvia. Além disso, Tite é enorme admirador do futebol jogado por Luka Modric.

A apresentação dos jogadores convocados para o início de preparação para a Copa está prevista para 21 de maio. Antes disso, haverá ainda uma penúltima convocação, no próximo dia 2, para os amistosos contra Rússia e Alemanha em Moscou e Berlim, respectivamente nos dias 23 e 27 de março.

O início da preparação final acontecerá em Teresópolis e posteriormente no Centro de Treinamentos do Tottenham, em Londres, com chegada na capital inglesa prevista para 28 de maio. A Seleção desembarca em Sochi em 11 de junho e quatro dias depois viaja a Rostov, onde estreia contra a Suíça no dia 17.

Sabe qual é o time de futebol mais caro do mundo?

Gustavo Hofman

Laurence Griffiths/Getty Images
Kevin de Bruyne custou cerca de 75 milhões de euros em 2015
Kevin de Bruyne custou cerca de 75 milhões de euros em 2015

Por tudo que foi investido nas últimas janelas de transferências não é difícil acertar a resposta. O Manchester City tem o elenco mais caro do futebol mundial. Para formar a atual equipe, os Citizens gastaram 878 milhões de euros.

Na sequência do ranking aparecem Paris Saint-Germain (805 milhões), Manchester United (747 milhões), Barcelona (725 milhões) e Chelsea (592 milhões). É curioso que no top 5 apareçam clubes que tiveram seu treinadores, nos últimos meses, reclamando por motivos diversos sobre a falta de investimento dos seus clubes em reforços.

O levantamento foi feito pelo CIES Football Observatory e divulgado nesta semana. Ele apresenta também a média por clube na formação do plantel: Premier League (291 milhões), La Liga (131 milhões), Serie A (124 milhões), Bundesliga (113 milhões) e Ligue 1 (97 milhões).

Esses números geram algumas distorções, já que no caso da França, por exemplo, o PSG sobe bem a média para cima - na parte de baixo, cinco dos dez últimos colocados são representantes franceses. Apenas as cinco grandes ligas europeias foram analisadas.

De qualquer modo, fica ainda mais evidente a disparidade financeira que existe do futebol inglês com os demais. Entre os dez primeiros da lista, cinco são oriundos da terra da Rainha. Outros exemplos são clubes medianos colocados à frente de gigantes do continente.

Southampton e Crystal Palace aparecem em 18º e 19º com investimentos de 229 milhões e 225 milhões, respectivamente. A Internazionale é a próxima com 217 milhões; O líder da Serie A, Napoli, é o 21º com 204 milhões.

Um bom exemplo de formação de atletas, que gera custo baixo para montar um time é o RB Leipzig. Vice-campeão alemão em sua temporada de estreia na elite, nesta se mantém competitivo e vai lutar pelo vice-campeonato mais uma vez. Tudo isso com gastos de 118 milhões com os jogadores atuais.

Técnico jovem, reforços veteranos e marcação alta: conheça o adversário do Vasco na Libertadores

Gustavo Hofman

Divulgação
Histórico Vasco, campeão da Libertadores de 1998
Histórico Vasco, campeão da Libertadores de 1998

No mesmo ano em que o Vasco da Gama conquistou de maneira brilhante a Libertadores da América, um pequeno clube chamado Universidad de Concepción disputava sua primeira competição profissional no Chile. Quatro anos antes, em 1994, enquanto Romário, um dos maiores ídolos da história vascaína, dava o título da Copa ao Brasil, o agora adversário do cruz-maltino pela principal competição do continente era fundado.

Fatos e dados históricos para deixar evidente a diferença de tamanho entre os clubes. No entanto, por mais pesada que a camisa seja, toda tradição e glória vascaínas não vão garantir a classificação diante da equipe chilena pela segunda fase preliminar da Libertadores. Ainda mais com um dos piores momentos históricos do Vasco ainda em andamento.

Resta a Zé Ricardo, à comissão técnica e ao grupo de jogadores trabalharem muito forte e deixarem de lado toda essa desorganização. Contra um adversário que, se não tem a mesma envergadura, já mostrou recentemente qualidade para triunfar.

Desde novembro de 2016 o time é comandado por Francisco Bozán, de apenas 31 anos atualmente. O jovem profissional é formado pelo INAF - Instituto Nacional del Fútbol com a maior nota média da instituição em todos os tempos e começou a carreira aos 25 anos. Em 2014, no comando do Barnechea, se tornou o mais jovem treinador a comandar uma equipe na elite chilena. Não satisfeito, tem formação universitária em Psicologia e tirou a licença Pro da Uefa para treinadores. Antes, jogou futebol. Na base, atuou em equipes menores do Chile e também no Bournemouth, no período em que viveu na Inglaterra, até desistir da carreira de jogador.

"Há uma qualidade muito própria da juventude, que é quere engolir o mundo, e isso resulta em algo atrativo, mas também é necessário o equilíbrio que os maiores adquirem com a vivência. Sinto que as pessoas que saem hoje do INAF são técnicos muito bem preparados. Eu estudei e tive aulas ali e posso assegurar que se trabalha com eles de grandes maneiras e saem muito aptos para a alta competência. Se dão oportunidades a técnicos chilenos, vão encontrar profissionais muito preparados", afirmou Bozán, em recente entrevista ao Diário de Concepción.

Comanda um time que se classificou para esta fase prévia da Libertadores por ter sido primeiro quem melhor se colocou no Clausura de 2017 sem conquistar a vaga direta, o que o levou posteriormente aos playoffs com o Unión Española. Teve, contando Apertura, Clausura e Transición na temporada 2016-17 no Chile média de 49.1% de posse de bola em 13 vitórias, 16 empates e 16 derrotas, com 47 gols pró e 53 contra. Cometeu 797 faltas, sofreu 723; Seus jogadores foram amarelados em 123 ocasiões e expulsos em outras 12, além de terem se colocado em impedimento uma centena de vezes.

Mudou parte do elenco e se reforçou em busca da segunda classificação em sua história para a fase de grupos da Libertadores. Trouxe e apresentou nesta semana Juan Pablo Abarzúa (ex-Deportes Puerto Montt), Jean Paul Pineda (Santiago Wanderers), Santiago Silva-URU (América de Cali-COL), Hans Martínez (Audax Italiano), Luis Pedro Figueroa (Colo Colo) e Pedro Morales, além de ter confirmado o empréstimo do atacante Álvaro Salazar, oriundo do Colo Colo. Pineda e Figueroa já passaram pelo futebol brasileiro, Vitória 2017 e Palmeiras 2009-10, respectivamente, mas o mais conhecido é o veterano Morales, de 32 anos, de boa passagem pelo Vancouver Whitecaps na Major League Soccer.

Neste ano, a Universidad de Concepción fez parte de sua pré-temporada na Argentina. Inicialmente fez duas atividades de 30 minutos cada diante do Vélez Sarsfield: perdeu a primeira por 1 a 0 e venceu a segunda por 3 a 0, em 15 de janeiro. Três dias depois encarou um time alternativo do Boca Juniors e ganhou por 2 a 1. Por fim, contra o Temperley, mais dois jogos menores, no caso de 35 minutos cada, e empate em 0 a 0 e triunfo por 3 a 1. Todos os compromissos com portões fechados.

Nos dois jogos que analisei, contra o Unión Española pelos playoffs chilenos à Libertadores, vitórias por 1 a 0 (casa, com pouco mais de 3 mil torcedores nas arquibancadas apenas) e 2 a 1 (fora), a Universidad de Concepción atuou no 4-4-2 na fase defensiva, com a característica marcante de linhas altas. Na maior parte do tempo pressionou a saída de bola adversária em bloco, o que gerou exposição excessiva para a linha de defensores em muitos momentos. Tratou-se de uma equipe organizada e com conceito bem definido de marcação. Ponto falho: permitiu muitas finalizações de fora da área.

Já na fase ofensiva, o esquema variou de acordo com a movimentação do meia-atacante Hugo Droguett, de 35 anos. Na prática, ele foi um segundo atacante atuando ao lado do uruguaio Gonzalo Barreto (que deixou o clube, retornou ao Danubio e foi a principal perda desta temporada no elenco); Porém, com muita liberdade de movimentação. Os laterais sobem pouco e a amplitude depende dos ponteiros, que foram nos dois jogos Jean Meneses e Jonathan Benítez. Assim, é correto afirmar que o time varia entre o 4-2-3-1 e o 4-4-1-1 quando ataca, com pouca criação pelo centro.

ESPN
Movimentação de Droguett como segundo atacante, na variação tática da Universidad de Concepción
Movimentação de Droguett como segundo atacante, na variação tática da Universidad de Concepción

ESPN
Mapa de movimentação das ações com bola da Universidad de Concepción na temporada 2016-17 no Chile
Mapa de movimentação das ações com bola da Universidad de Concepción na temporada 2016-17 no Chile

Reforços entrarão nessa equipe, que parece estar mais forte do que foi em 2017. Diferentemente do Vasco da Gama, pelos mais variados motivos.


Quais são os "seis, sete, oito jogadores" que brigam por um lugar na Copa?

Gustavo Hofman

ESPN.com.br
Seleção brasileira, de Edu Gaspar e Tite, ficará em Sochi durante Copa do Mundo na Rússia
Seleção brasileira, de Edu Gaspar e Tite, ficará em Sochi durante Copa do Mundo na Rússia

Em 21 de maio a Granja Comary, em Teresópolis, receberá os 23 convocados pelo técnico Tite para a Copa do Mundo. Nesta semana, o treinador concedeu entrevista à Rádio Capital e reafirmou o que vem dizendo há alguns meses: a lista não está fechada.

"Tem seis, sete ou oito jogadores que estão competindo e buscando o espaço. Vão competir, joguem muito nos seus clubes, que nós vamos estar acompanhando", foram algumas das exatas palavras do treinador. Pois bem.

Com base na própria coerência de Tite e em todas convocações feitas, é possível chegar a esses possíveis nomes. Mais abaixo, coloco o que acredito ser a relação de quem está garantido e quem ainda terá que brigar por uma passagem para Sochi. Obviamente, surpresas podem surgir, mas acho improvável.

Alisson
Éderson
Cássio
Daniel Alves
Danilo (Fágner)
Marcelo
Filipe Luís (Alex Sandro)
Marquinhos
Miranda
Thiago Silva
Jémerson (Rodrigo Caio/Gil/Pedro Geromel)
Casemiro
Fernandinho
Renato Augusto
Paulinho
Giuliano (Arthur)
Diego (Arthur/Lucas Lima/Luan)
Philippe Coutinho
Neymar
Willian
Taison (Douglas Costa)
Gabriel Jesus
Roberto Firmino

Tite analisa grupo do Brasil na Copa e diz que pode ter novidades na convocação para 2018

A Seleção está muito bem organizada no 4-1-4-1, mas Tite tem uma variação que já funcionou e o deixa muito em dúvida, principalmente pelo ótimo rendimento de Willian. A mudança para o 4-2-3-1, com a retirada de Renato Augusto da formação titular e a entrada do meia-atacante do Chelsea agrada muito. Com isso, Coutinho sai da direita e trabalha por dentro.

Outra variação, muito citada pelo técnico, tem Fernandinho na formação inicial ao lado de Casemiro, com um meio-campo mais marcador - imagino ser algo mais circunstancial. De qualquer modo, já há boa definição sobre o grupo que buscará o sexto título mundial do Brasil.  As maiores dúvidas estão no quarto zagueiro, nos reservas dos laterais e nas duas ou três vagas do meio para a frente. 

A Seleção terá apenas mais uma convocação, para os amistosos contra Alemanha e Rússia, em março, antes da lista final para a Copa. Depois da apresentação e de uma semana de treinamentos em Teresópolis, talvez com uma partida de despedida no Rio de Janeiro, a Seleção embarca para Londres, onde dará sequência na preparação com mais um ou dois amistosos. Deve chegar na Rússia em 11 de junho e seis dias depois estreia contra a Suíça, em Rostov.

Mesmo sem ser negociado, atacante deixa o Orlando City e já treina com o Besiktas

Gustavo Hofman

Getty
Cyle Larin é atacante do Orlando City, ao menos oficialmente
Cyle Larin é atacante do Orlando City, ao menos oficialmente

Nesta segunda-feira, os jogadores do Orlando City se apresentaram para iniciar a pré-temporada da Major League Soccer. A vida segue na Flórida sem Kaká, e os reforços como o veterano Sacha Kljestan e o jovem meia paraguaio Josué Colmán já estavam à disposição do técnico Jason Kreis. Havia uma ausência bastante sentida, porém esperada: Cyle Larin.

O ótimo atacante canadense de 22 anos, primeira escolha no SuperDraft de 2015, é o melhor jogador do Orlando desde então e liderou o time em gols em todas temporadas. Ele é também o protagonista de um dos imbróglios mais bizarros desta janela de transferências no futebol internacional.

No último dia 13, o Besiktas divulgou em seu Twitter fotos do jogador posando com a camisa do time e no texto, em turco, informou que "Cyle Christopher Larin, com quem começamos as entrevistas para transferência, passou nos exames médicos". A imprensa turca rapidamente noticiou como fechado o negócio, mas horas depois o clube norte-americano negou qualquer acordo.


No contrato de Larin com o Orlando, assinado em 2015, há uma cláusula que previa a renovação por dois anos ao final de 2017. De acordo com a equipe da Flórida, isso aconteceu oficialmente em maio e com o consentimento prévio do atleta. Em entrevista ao Orlando Sentinel, em outubro, Larin já tinha indicado o desejo de se transferir para o futebol europeu. Disse à época, também, que seu contrato terminaria no final de 2017.

O Orlando, que pertence ao empresário brasileiro Flavio Augusto da Silva, contratou o advogado Marcos Motta para cuidar do caso. O clube está tranquilo e totalmente amparado no contrato que tem, no entanto, internamente, não há expectativa sobre o retorno e reintegração de Larin. O mais provável é que aconteça uma transferência - para o Besiktas ou não - e o clube interessado pague por isso ou em último caso a decisão seja levada para o Tribunal Arbitral do Esporte, na Suíça.

Mesmo com tudo isso, Larin e o Besiktas parecem não temer punições. Prova disso foi o que aconteceu nesta terça-feira: o atacante treinou com o elenco do time turco.

Jogador e staff estão forçando a saída por entenderem que ele é free agent, mas no final das contas o caminho escolhido pode prejudicar o próprio Cyle Larin.

mais postsLoading