Antes de sair, Eurico repassou 20% de Paulinho para empresário que é credor do Vasco

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br

O Vasco começou a perder os direitos econômicos de Paulinho antes mesmo da transação com o Bayer Leverkusen. Em janeiro, ainda na gestão de Eurico Miranda, o clube repassou 20% (dos 85% que tinha) ao empresário do atleta, Carlos Leite. Desde então, a joia da base vascaína passou a ser 65% do clube, 20% do agente e 15% do próprio atleta. 

O acerto com o clube alemão foi noticiado pela repórter Débora Gares no fim da manhã desta quarta-feira. Carlos Leite não só tinha 20% do jogador, como vai receber R$ 10 milhões como pagamento do empréstimo que fez a atual gestão, de Alexandre Campello, no início do ano. 

Esta foi uma exigência do agente. Que quando se concretizasse a venda do jogador, ele recebesse a quantia de volta. O assunto foi debatido na noite desta terça-feira, no Conselho Deliberativo do clube, quando o atual presidente levou as condições do empréstimo para aprovação dos membros do conselho. 

De acordo com matéria publicada no portal UOL, Leite emprestou a quantia com uma taxa de juros de 1,2% ao mês. Valor que seria menor do que o negociado em empréstimo ao Corinthians, que 1,9%. 

Paulinho recebendo prêmio de revelação do Carioca
Paulinho recebendo prêmio de revelação do Carioca Gazeta Press

Paulinho preferiu clube de médio porte 

Muitos clubes haviam feito sondagens por Paulinho neste ano, entre eles, Juventus, Bayern de Munique e Barcelona, mas o atleta não queria ir para um clube tão grande quanto os três, pois temia ser emprestado a clubes menores, como aconteceu com Douglas que foi para o Manchester City e atualmente está cedido ao espanhol Girona. 

O valor da transferência ainda não foi confirmado. O contrato do jogador previa multa de 30 milhões de euros, mas não se sabe se foi diminuída pela contusão do atleta. 

Aproveitando-se dessa situação, um outro clube estrangeiro, cujo nome o blog não conseguiu confirmar, tentou contratar o atacante recentemente por pouco mais de 20 milhões de euros, mas o Vasco não aceitou negociar. 

 

Siga o blog no Facebook 

Comentários

Antes de sair, Eurico repassou 20% de Paulinho para empresário que é credor do Vasco

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Vizeu diz que levou golpe de empresário e entra na Justiça contra agentes

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter da ESPN.com.br
Felipe Vizeu se emociono depois de gol marcado pelo Flamengo, em 2017
Felipe Vizeu se emociono depois de gol marcado pelo Flamengo, em 2017 Gazeta Press

Negociado por cerca de R$ 20 milhões para a Itália, o atacante Vizeu não ficou com um centavo da transação. Que o atleta não receberia a maior parte do pagamento, ele já sabia, pois 60% eram do Flamengo e 30% de empresários. Mas o jogador esperava receber os 10% restantes no pacote. A surpresa, no entanto, veio após a finalização da venda: quando o atacante descobriu que os 10% que achava serem seus, estavam nas mãos de um de seus principais empresários, havia quase dois anos. 

Vizeu não acreditou quando encontrou em casa um documento que dizia exatamente isso: que ele havia cedido os direitos do restante de seu passe, por R$ 102 mil, para a empresa que administrava sua carreira, a Brazil Football LTDA. 

Um restante que passou a valer R$ 2 milhões com a venda para a Udinese e pelos quais o jogador está entrando na Justiça para tentar reconquistar. 

Essa história é contada por ele num processo aberto no último dia 9 contra a empresa, na 7ª Vara Cível da Barra da Tijuca, ao qual a reportagem teve acesso. 

O blog entrou em contato com os advogados da empresa, mas eles disseram que não iriam se pronunciar. 

Para entender 

Na inicial, Vizeu alega ter sido "ludibriado" pelo seu próprio agente que o teria enganado fazendo-o assinar a cessão de seus direitos em meio a diversos outros documentos. 

Para tentar comprovar a situação, alguns elementos foram incluídos, mas um deles, o principal. No mesmo dia em que assinou o documento, Vizeu vendeu, de fato, outros 10% para uma empresa que foi trazida para o negócio justamente pela Brazil Football, a HW Sports. No entanto, enquanto a primeira pagou os R$ 102 mil, a segunda, pagou R$ 519 mil, valor considerado justo e que não é contestado pelo atacante. 

Embora estivesse assinando uma "cessão de direitos" - que Vizeu alega não ter sido explicada - o atleta achava que o documento era a formalização de uma ajuda de custo e auxílio moradia que seu agente lhe transferia quando ele ainda não tinha condições de se sustentar com o futebol.

"Ademais, como se comprova pelos documentos em anexo, o atleta receia mensalmente os valores do Réu desde muito antes de ter sido induzido a ceder 10% de seus direitos econômicos, SENDO CERTO QUE O RÉU SE APROVEITOU DESTE ACERTO VERBAL PARA PARECER QUE O QUE PAGAVA, AO INVÉS DE AJUDA DE CUSTO, REFERIA-SE À CESSÃO DOS DIREITOS ECONÔMICOS, O QUE NÃO É VERDADE!" (grifos do processo), escreveram os advogados do escritório Bittencourt e Barbosa, que representa o jogador, na ação.  
 

Vizeu também lembra que neste mesmo dia estava comprando seu primeiro apartamento, no Recreio dos Bandeirantes. E o dinheiro desta venda que ele reconhece (R$ 519 mil) foi usado imediatamente para adquirir o imóvel. 

A defesa do atleta afirma que a compra do imóvel e as assinaturas dos documentos em série ocorreram no dia 30 de março de 2016. No entanto, ao vasculhar os papéis que têm consigo, agora, Vizeu percebeu que embora tenha assinado tudo na mesma data, o contrato da cessão dos 10% foi feito com data retroativa, de 1º de janeiro de 2016. 

O dia 1º está bem nítido na memória de Vizeu, pois foi a data em que embarcou com o Flamengo para a Copa São Paulo de Futebol Júnior, competição que acabaria vencendo, recebendo também o título de melhor jogador. E ele afirma não ter assinado nada neste dia. 

Reconhecimento de firma 

Os advogados de Vizeu apontam para um detalhe importante. Embora os empresários acusados tenham juntado um contrato assinado em 1º de janeiro, o mesmo que o jogador afirma ter assinado em 30 de março, os documentos (incluindo a venda dos R$ 519 mil que ele reconhece) foram todos reconhecidos em cartório no dia 4 de abril. 

"Por fim, a própria identidade gráfica e de conteúdo dos contratos de cessão de direitos econômicos firmados com o Réu e com a HW Sports demonstram que ambos foram confeccionados - e assinados - na mesma época, sendo este mais um elemento que corrobora com a afirmação", apontam os advogados na ação. 

No processo, a defesa pede a anulação da transação, alegando que o atleta fora enganado pelos agentes. A primeira audiência está marcada para dia 15 do mês que vem.

Comunicação ao Flamengo 

Um segundo documento referente aos 10% também foi juntado ao processo, a comunicação ao Flamengo, assinada por Vizeu, de que a Brazil Football estava adquirindo o percentual. Este documento também foi assinado e datado do dia 30 de março de 2016, o que engrossa a tese de que tudo foi feito num só dia, afirma a defesa. 

"apesar de datado de 1º de janeiro de 2016, a "declaração e autorização" informando o CR Flamengo das supostas cessões somente foi datado em 30 de março". 

Brazil Football aciona o Flamengo

Em paralelo, a Brazil Football também entrou com uma ação contra o Flamengo. A reportagem também teve acesso a esta ação, que corre na 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca. 

Nela, a empresa não entra no mérito da compra dos direitos de Vizeu. O processo visa somente fazer com que o Flamengo deposite nas contas da empresa, os 10% (cerca de R$ 2 milhões) que serão pagos pela Udinese.  

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Vizeu diz que levou golpe de empresário e entra na Justiça contra agentes

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Por falta de "malandragem", Vasco barra mulheres como gandulas

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br
Jogadores do Vasco durante vitória sobre o Atlético-MG
Jogadores do Vasco durante vitória sobre o Atlético-MG Gazeta Press

Em meio ao momento de luta contra o preconceito em relação ao trabalho da mulher no futebol, o Vasco tomou uma decisão que vai na direção contrária. Excluiu as gandulas mulheres de seus jogos. A decisão, tomada nas vésperas da final do campeonato carioca, na semana passada, foi ratificada na estreia do time no Brasileiro neste domingo. 

Apenas homens estavam trabalhando na partida contra o Atlético-MG, em São Januário. A decisão não foi explicada em detalhes para as gandulas. A elas, na véspera da final, apenas foi dito que havia sido uma decisão do departamento de futebol, que considerava as meninas pouco "malandras" para atuarem na final. 

Por meio da assessoria de imprensa, o clube informou ao blog que "foi uma decisão estritamente técnica do departamento de futebol, mas que não significa que mais à frente não possa ser mudada novamente". 

Em conversas com as meninas, alguns exemplos de "malandragem" chegaram a ser citados, como os gandulas tricolores na semi-final que atrasavam, segundo o departamento de futebol do Vasco, para repor a bola no jogo contra o cruzmaltino. 

Critérios para trabalhar 

A decisão radical de excluir as meninas por questões técnicas expõe os critérios _ considerados equivocados até por quem faz parte do grupo_  de contratação das gandulas. 

Isso porque, em conversas com quem trabalha no setor, constata-se que entre as meninas, há quem tenha bastante familiaridade com o esporte e são fãs de futebol e outras, nem tanto. 

Algumas foram contratadas meramente por critérios estéticos, com convites sendo feitos por análise de fotos no Facebook. Já outras, por terem vontade de trabalhar em jogos do time que torcem. 

Atualmente, o grupo tem 90 mulheres cadastradas. Algumas com mais de 10 anos de experiência. 

Às gandulas, foi dito pelo setor que cuida do assunto que a ideia é diminuir a quantidade de cadastradas (baixando de 90 para 35) para deixar o perfil das gandulas, de fato, mais adequado à função. 

A estratégia, no entanto, não foi confirmada oficialmente pelo clube. 

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Por falta de "malandragem", Vasco barra mulheres como gandulas

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Arbitragem paulista exclui mulheres de orientações para o Brasileiro

Gabriela Moreira
Dionísio Roberto Domingos, de óculos, em reconhecimento do gramado antes da final entre Palmeiras e Corinthians
Dionísio Roberto Domingos, de óculos, em reconhecimento do gramado antes da final entre Palmeiras e Corinthians Gazeta Press

As polêmicas envolvendo o diretor de arbitragem da Federação Paulista de Futebol, Dionísio Domingues, acusado de ter interferido externamente na final do Paulista, começou um pouco antes. Desde a última quinta-feira, CBF e corpo de arbitragem do estado questionam uma decisão do diretor de não convocar árbitras e assistentes, mulheres, para a reunião de instrução do campeonato Brasileiro, realizada na sede da entidade nesta data.

Na teoria, uma mulher foi convidada, Tatiane Sacilotti (FIFA), mas a assistente estava fora do país, no Chile, atuando na Copa América Feminina e não poderia comparecer. As outras 11 profissionais, que fazem parte do atual quadro da CBF foram descartadas da reunião. Esta é a primeira vez que as mulheres deixam de participar da reunião instrutiva do campeonato, desde que começaram atuar em competições da CBF, no início dos anos 2000. 

O caso provocou questionamentos por parte das profissionais e de seus colegas homens, também. No dia da reunião, a comissão não conseguiu explicar porque elas não haviam sido convocadas. Temendo que a decisão pudesse ter sido da CBF, profissionais questionaram a entidade nacional, que negou qualquer orientação nesse sentido. 

"A CBF não deu qualquer orientação nesse sentido. Em todos os estados, as mulheres participaram. A FPF nos informou que não fez a reunião com as mulheres porque algumas estavam escaladas para jogos do sub-20 no mesmo dia", informou a CBF ao blog. 

A alegação, no entanto, contradiz alguns fatos, entre eles o de que havia no curso homens que também estavam escalados para o dia e conseguiram conciliar, além do fato de a única mulher convidada, Sacilotti, sabidamente não estar no Brasil, de forma que a reunião não era exclusiva para quem não estava na escala naquele dia. 

Falta de espaço

A reportagem também falou com a FPF, na última terça-feira, já com o caso tendo provocado discussões internas. A entidade negou que a comissão esteja promovendo qualquer tipo de boicote às mulheres. Disse que elas apenas foram deixadas para um segundo momento, por falta de espaço para a realização de todos os profissionais conjuntamente. 

Árbitros ouvidos pela reportagem disseram que a sala onde foi realizado o curso tinha lugares vazios. E, além disso, rebateram a falta de espaço, uma vez que outas reuniões da arbitragem paulista costumam ocorrer no salão nobre da entidade, onde cabem cerca de 100 pessoas. 

A FPF respondeu ainda que uma segunda data seria marcada, mas ainda não informou quando. Também na última terça, foi criado um grupo no WhatsApp por onde elas vêm recebendo as orientações para atuarem na competição. 

O curso em questão visa passar ao corpo de arbitragem as instruções e normas técnicas que estarão válidas para o Brasileiro. 


Veja quem são as árbitras e assistentes CBF e FIFA em São Paulo: 

Árbitras: Regildenia Moura (FIFA), Katiucia Lima, Adeli Monteiro, Fernanda Ignacio

Assistentes: Tatiane Sacilotti (FIFA), Renata Ruel, Fabrini Costa, Marcela Almeida, Leandra Aires, Patrícia de Oliveira, Amanda Matias, Veridiana Bisco
 

Confira a íntegra da resposta da FPF: 

- Por que a FPF não chamou as mulheres?

Devido à limitação de espaço físico na FPF, e ao pouco tempo hábil para organizar o encontro a partir do comunicado enviado pela CBF, optou-se por, em um primeiro momento, reunir os 20 árbitros, 20 assistentes e 12 avaliadores de arbitragem mais bem avaliados na última temporada. Importante frisar que o teste físico da CBF aos árbitros paulistas foi adiado por uma semana, a pedido da FPF, por conta das finais do Estadual, e será realizado nesta sexta (13). Portanto, apenas os árbitros e assistentes Fifa do quadro paulista, por terem realizado testes físicos na Conmebol, têm atualmente a aprovação para atuarem nas competições profissionais do Campeonato Brasileiro. Por conta disso, nenhum árbitro ou assistente do quadro paulista está escalado para a rodada inicial do Campeonato Brasileiro. A FPF já entrou em contato com a CBF, que respaldou a aplicação do mesmo conteúdo, nos próximos dias, ao quadro masculino e feminino que não participou do primeiro encontro. Não houve nenhum tipo de discriminação.

- O trabalho dessas profissionais será comprometido no Brasileiro? Isto é, elas não poderão ser escaladas para atuar no campeonato?

Nenhum trabalho será comprometido. Somente após o teste físico da CBF será conhecido o quadro paulista completo, masculino e feminino, apto a atuar nas competições profissionais de 2018.

- No ano passado, a reunião se deu no mesmo lugar (hotel) e não haveria problema de serem todos juntos. O que mudou neste ano?

Devido ao pouco tempo hábil para a reserva do espaço, optou-se, sempre em contato com a CBF, utilizar um espaço na própria FPF, evitando despesas extras, dividindo em dias separados, sem qualquer prejuízo à preparação paulista para a arbitragem no Brasileiro.

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Arbitragem paulista exclui mulheres de orientações para o Brasileiro

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Flamengo e Santa Fé será no Maracanã, com treino aberto à torcida na véspera

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br
Diego, do Flamengo, na final da Copa Sul-Americana contra o Independiente-ARG no Maracanã
Diego, do Flamengo, na final da Copa Sul-Americana contra o Independiente-ARG no Maracanã Getty

O jogo da próxima quarta-feira, do Flamengo na Libertadores, contra o Santa Fé, será no Maracanã. A partida vai ser realizada sem a presença da torcida, em cumprimento à punição pelos acontecimentos na final da Sul-Americana. A informação adiantada pelo blog teve sua confirmação na manhã desta quarta-feira por parte da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol). Mas o treino de véspera também ocorrerá no estádio e, desta vez, aberto à torcida. 

No fim do dia desta terça-feira, o clube conseguiu autorização da entidade e encaminhou acordo com a concessionária que administra o estádio, a Odebrecht. A ideia é que o rubro-negro pague somente os custos operacionais do estádio, sem cobrança de aluguel. 

Inicialmente, o jogo havia sido marcado para o Nilton Santos, após as diretorias do Flamengo e do Botafogo se acertarem pelo uso, mas com a possibilidade de se fazer um treino com a presença da torcida, a diretoria rubro-negra optou pelo Maracanã. 

O blog ainda não tem informações de como será o acesso aos ingressos para o treino, nem qual será a carga de bilhetes disponível. A reportagem também não conseguiu checar com a Polícia Militar se há autorização para a atividade aberta aos torcedores.

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Flamengo e Santa Fé será no Maracanã, com treino aberto à torcida na véspera

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Flamengo não vai efetivar Barbieri agora e cria 'blindagem' para seu futuro no clube

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br

O Flamengo não vai efetivar Maurício Barbieri neste momento. Mas isso não significa que ele não será o técnico do rubro-negro pelas próximas semanas. Ele será o comandante até que o departamento de futebol encontre o nome ideal para a função. E isso pode demorar. Situação parecida com a vivida por Zé Ricardo, quando ele passou 11 rodadas como interino em 2016 após a saída de Muricy Ramalho. 

No entanto, o restante do filme passado com Zé Ricardo é o que o clube quer evitar que se repita. O treinador foi efetivado depois do período da interinidade e acabou sendo demitido pouco mais de um ano depois. O departamento de futebol não quer o mesmo destino para Barbieri, ou seja, que ele seja condenado por maus resultados e, consequentemente, seja demitido da função num futuro próximo. Independentemente do resultado dele em campo, o clube quer mantê-lo como parte da comissão técnica permanente, função para a qual ele foi originalmente contratado. 

Efetivar publicamente e, porventura demitir na sequência, seria muito ruim para o clube e para o profissional, entende a diretoria. Os dirigentes já conversaram com Barbieri sobre esta situação e deram liberdade a ele para agir dentro de campo. 

Busca no mercado 

O clube afirma que está trabalhando na procura de um novo técnico. Por trabalhar, entende-se: está discutindo o perfil e estudando o mercado brasileiro e do exterior para encontrar alguém que se encaixe. Nenhuma proposta formal, até agora, foi feita a qualquer profissional. 

Renato Gaúcho foi o treinador com o qual os dirigentes rubro-negros mais avançaram nas conversas. 

Maurício Barbieri é o técnico interino do Flamengo
Maurício Barbieri é o técnico interino do Flamengo Gilvan de Souza/ Flamengo

Siga o blog no Facebook

Comentários

Flamengo não vai efetivar Barbieri agora e cria 'blindagem' para seu futuro no clube

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Barração de argentino herói do título incomodava companheiros no Botafogo

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br

O gol do zagueiro Joel Carli, que abriu caminho para o título do Botafogo, teve para o vestiário um significado ainda mais especial. Visto como um líder pelos companheiros, a não convocação do argentino na maior parte dos jogos desta temporada não era bem entendida pelo grupo. 

Chamado no bastidor de "capitão de verdade", Carli foi titular em 50 jogos do ano passado e, sem explicações técnicas, entendem os jogadores, deixou de ser utilizado. O problema já era observado desde o comando do técnico anterior, Felipe Conceição, e continuou com Alberto Valentim. 

O assunto já era motivo de conversas internas, além de pressão da torcida, e ficou mais evidente desde a sua volta à equipe, no jogo contra o Flamengo, quando o alvinegro eliminou o rival na semifinal. A volta do jogador não foi somente por pressão da torcida, mas teve a participação direta da diretoria do alvinegro ao ver o vestiário incomodado. 

Joel Carli fez o gol que levou a partida para os pênaltis na final do estadual
Joel Carli fez o gol que levou a partida para os pênaltis na final do estadual Gazeta Press

Em coletiva nos dias seguintes à partida, Jefferson foi bastante claro ao falar do colega: 

"É um exemplo. Cara que saiu, perdeu a posição, continuou treinando, respeitou seus companheiros e não abriu a boca. Isso no futebol é raro. A gente tem que respeitar e dar crédito a um jogador como esse. Voltou com mérito. Esse tipo de jogador tem meu respeito", disse o goleiro aos jornalistas.

Carli foi um dos jogadores que falou na sala de coletivas. 

"A gente está comemorando porque merecemos. O Botafogo está fazendo as coisas corretas, da diretoria até a rouparia", disse o argentino que recebeu o microfone das mãos do técnico Alberto Valentim.  

A respeito da alteração no posicionamento do jogador, que fez com que ele "abandonasse" a defesa e subisse ao ataque, faltando cerca de cinco minutos para o fim do jogo, o treinador informou que foi uma decisão sua: 

"Faltando cinco minutos eu pedi ao Pimpão que avisasse a ele que deveria subir ao ataque. E o Pimpão deu o recado", disse o treinador à ESPN. 

O zagueiro está no Botafogo desde 2015 e tem contrato com o clube até dezembro deste ano. 

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Barração de argentino herói do título incomodava companheiros no Botafogo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

O pedágio do lateral Fabrício

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br

Você está passando por um pedágio e ao procurar a carteira para pagar a taxa descobre que está sem dinheiro. O constrangimento já seria ruim. E a burocracia para pagar a quantia, também. 

Mas tudo está resolvido se você tem por perto o lateral do Vasco Fabrício. O jogador, que recentemente surpreendeu ao reconhecer que não estava nos seus melhores dias declarando que "amassou a bola" _ mesmo fazendo o gol que deu ao Vasco a classificação para a final do Carioca _ não é só sincero. Ele é, também, solidário e generoso com o próximo. 

Foi o que contou ao blog um advogado de Piraí (RJ), de 39 anos, que foi ajudado pelo jogador recentemente. Conta ele que em janeiro, estava passando pelo pedágio de Seropédica, no Rio de Janeiro, quando foi pagar a taxa e percebeu que a carteira estava vazia. 

Fabrício, que estava chegando ao Rio para acertar sua contratação pelo Vasco, não deixou o desconhecido sozinho. Pagou o pedágio do advogado, sem sequer conhecê-lo. 

O motorista não reconheceu o jogador imediatamente, mas ao chegar em casa se deu conta de quem era e fez questão de agradecer o atleta. 

"Não sou de me expor, nem tenho redes sociais, mas fiz questão de procurá-lo para agradecer. Foi uma atitude que me impressionou. É bom mostrar esse lado dos jogadores, também", disse ele, que é torcedor do Fluminense, justamente o time cujo gol de Fabrício foi eliminado, de virada, da competição: 

"Confesso que xinguei ele um pouco, mas não vou esquecer o gesto dele", brinca o advogado. 

Veja abaixo parte da mensagem enviada ao jogador: 

Troca de mensagens com Fabricio
Troca de mensagens com Fabricio Reprodução

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

O pedágio do lateral Fabrício

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Indiciado por fraude em eleição, diretor de informática de Eurico continua trabalhando no clube

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br
Eleições do clube tiveram urnas impugnadas por constatação de fraude em cadastro de eleitores
Eleições do clube tiveram urnas impugnadas por constatação de fraude em cadastro de eleitores Caio Blois/ESPN.com.br

Diferentemente do que vem sendo publicado pela imprensa, Sérgio Murilo Paranhos, diretor do Vasco indiciado por estelionato e falsidade ideológica não foi demitido. Ele continua trabalhando no mesmo departamento que trabalhou quando a fraude foi arquitetada.

Contratado por Eurico Miranda, ele não pôde ser demitido pela nova gestão, de Alexandre Campello, por ser sindicalizado e ter estabilidade garantida. O blog apurou que Sérgio, no entanto, não foi afastado de suas funções no departamento onde teriam acontecido parte das fraudes investigadas.  

Contratado durante a gestão de Eurico Miranda e, segundo as investigações, ele foi um dos responsáveis pela adulteração das datas de associação de pelo menos 335 sócios do Vasco, para que eles estivessem aptos a votar nas eleições ocorridas no fim do ano passado. 

O resultado das investigações foi revelado pela TV Globo na última quinta-feira. Segundo a reportagem, as fraudes foram identificadas na perícia do Instituto de Criminalística da Polícia Civil em HD apreendido no clube. O indiciamento ainda será analisado pelo Ministério Público. 

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Indiciado por fraude em eleição, diretor de informática de Eurico continua trabalhando no clube

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Flamengo afasta solução caseira e vai atrás de medalhão

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br

A ideia inicial da diretoria do Flamengo de efetivar o interino Maurício Barbieri, que assumiu o cargo de técnico após a demissão de Paulo César Carpegiani, foi afastada. Pelo menos por enquanto. 

Na manhã desta quarta-feira o diretor-geral do clube, Fred luz, viajou para negociar pessoalmente a contratação de um treinador que tenha respaldo tanto da diretoria quanto da torcida. 

Com exceção do presidente, Eduardo Bandeira de Mello, e do novo diretor de futebol Carlos Noval, ninguém mais no clube sabe o destino do executivo. 

Presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello é a favor de um técnico medalhão
Presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello é a favor de um técnico medalhão Gazeta Press

A equipe que trabalha diretamente com Renato Gaúcho continua afirmando que ele não quer ouvir qualquer proposta até o jogo de domingo quando o Grêmio faz a final do estadual. Mas não se pode descartar que ele tenha autorizado os seus empresários a ouvir a proposta do rubro-negro. 

O amistoso que o Flamengo fará no próximo sábado contra o Atlético Goianiense será sob o comando de Maurício Barbieri. Se até lá os dirigentes não tiverem conseguido contratar um técnico com o perfil desejado os planos podem voltar a ser uma solução caseira.

 

Comentários

Flamengo afasta solução caseira e vai atrás de medalhão

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Proposta do Flamengo? Renato Gaúcho pode até ouvir, mas só depois da final do Gaúcho

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br


Se o Flamengo quiser contratar o técnico do Grêmio, Renato Gaúcho, terá de esperar até domingo, quando ele comanda o jogo que pode dar mais um título ao Tricolor Gaúcho, o campeonato estadual, diante do Brasil (RS). 

E até agora, o clube carioca não fez qualquer contato com a equipe que trabalha para o treinador. 

Mesmo que tivesse feito, Renato não teria tido conhecimento, porque vetou que qualquer pessoa leve até ele qualquer proposta nesta semana. Renato não quer ter a atenção e foco divididos com mais nada esta semana, que não sejam os jogos de quarta-feira pela Libertadores (contra o Monagas) e a final do gauchão.  

Treinar o Flamengo é um sonho antigo de Renato, mas as condições desejadas pelo técnico vão além de salário, passam mais por projetos de longo prazo, situação que a atual diretoria do rubro-negro por estar em ano de eleições e troca de comando, não tem como garantir. 

Após domingo, se o clube segurar até lá, conversas podem acontecer. Não antes disso, garantem fontes ouvidas pelo blog.

 

Comentários

Proposta do Flamengo? Renato Gaúcho pode até ouvir, mas só depois da final do Gaúcho

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

No Flamengo, Geuvânio foi decisivo para abalar a relação entre Carpegiani e jogadores; entenda

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, do ESPN.com.br

Além do desempenho do time como um todo, pesou na decisão de demitir o técnico Carpegiani a constatação de que o ele e o grupo não estavam muito afinados. Uma ocasião, segundo pessoas ouvidas pelo blog, teve influência direta nessa questão. Uma atitude tomada pelo treinador em relação ao atacante Geuvânio.

Reserva, mas sendo relacionado para a maior parte dos jogos da temporada, o jogador teve sua atuação muito comemorada na partida contra a Portuguesa. Autor de dois belos gols, ajudou o time a vencer por 4 a 0. 

No entanto, ele foi cortado da partida seguinte, contra o Fluminense, no Engenhão. 

Não necessariamente o corte, mas a forma como foi. Geuvânio ficou sabendo que não ficaria nem no banco momentos antes de a escalação ser divulgada, sendo substituído por Vizeu.  O atleta já calçava as chuteiras e se preparava para subir no gramado.

Geuvânio, em partida do Flamengo pela Taça Rio de 2018
Geuvânio, em partida do Flamengo pela Taça Rio de 2018 Gazeta Press

A partir daí, o grupo, como se diz no futebol, passou a enxergar o treinador de outra forma. 

E foi justamente Geuvânio o escolhido para entrar no intervalo da partida em que o rubro-negro foi eliminado pelo Botafogo. Mais uma atitude que os dirigentes não entenderam. 

Além da demissão do cargo de treinador, Carpegiani deixa a Gávea contrariando o que havia sido pensado na época de sua efetivação, de que ele se continuaria com função estratégica no futebol rubro-negro, mesmo se não continuasse como técnico. 

Comentários

No Flamengo, Geuvânio foi decisivo para abalar a relação entre Carpegiani e jogadores; entenda

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Em decisão inédita no país, cartolas do Taekwondo são condenados por fraude em licitação e estelionato

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br

A Justiça Federal do Rio de Janeiro condenou nesta sexta-feira dois empresários, o ex-presidente da Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD), Carlos Luiz Pinto Fernandes, e dois ex-funcionários da entidade por fraude em licitação e estelionato. Eles foram acusados de irregularidades num convênio, de R$ 3.082,350 milhões com o Ministério do Esporte para compra de materiais esportivos com dinheiro público. Esta é a primeira vez que um dirigente esportivo é condenado no país por mau uso de dinheiro público no comando de uma confederação esportiva. 

Assista abaixo à matéria que revelou investigações

Fraudes e superfaturamentos tirou milhões de atletas olímpicos; entenda o esquema criminoso

Carlos Fernandes e Sérgio Borges foram apontados no esquema como autores intelectuais da fraude e receberam as penas mais altas. Os dois foram condenados a seis anos e quatro meses, inicialmente de reclusão, mas convertidos ao regime semi-aberto, isto é, poderão sair da prisão para trabalhar, diariamente, devendo voltar até 18h ao presídio. 

"Por meio dele (Sérgio Borges), foi transferida vultosa quantia, superior a três milhões de reais.  Tais documentos deram aparência de legalidade à escolha da SB MARKETING quando, na verdade, já se sabia, desde o início, que se sagraria vencedora no certame.", escreveu o juiz Alexandre Libonati de Abreu, da 2ª Vara Federal. 

Também foram condenados o empresário Harlei Azevedo, a ex-funcionária e integrante da comissão de licitação da entidade Maria Lúcia Ferracioli e Eduardo Guerra, ex-diretor técnico e financeiro. Os três tiveram pena convertida em prestação de serviços por dois anos, a ser determinado pela Vara de Execuções Penais. Todos negaram em juízo terem participado da fraude. Eles poderão recorrer em liberdade.    

Sérgio Borges começou no vôlei 

Carlos foi presidente da CBTKD de 2010 a 2016, quando foi afastado pela Justiça estadual por irregularidades na eleição. Já o empresário, começou suas relações no esporte na Confederação Brasileira de Vôlei. Além do Taekwondo, ele também venceu licitações em diversas entidades desportivas. 

O grupo é acusado de ter falsificado documentos para simular cotação de preços na compra de tatames, meias, equipamentos esportivos e câmeras de vídeo no período pré-olimpíada de 2015. As empresas utilizadas na fraude, segundo as investigações, foram a SB Marketing e Promoções, do empresário Sérgio Luiz Borges, e Renascer Atacadista, ligada ao empresário Harlei Azevedo. De acordo com as investigações, os empresários ganhavam a falsa concorrência, em licitações que já estavam combinadas.  

O grupo foi absolvido da acusação feita pelo Ministério Público Federal de apropriação do dinheiro público e associação criminosa. De acordo com a Justiça, os elementos apresentados como prova não foram suficientes.  

O grupo ainda responde apropriação indébita e tem contas e bens bloqueados por determinação da Justiça.  

Carlos Fernandes (esq), ex-presidente da Confederação Brasileira de Taekwondo, ao lado de Carlos Arthur Nuzman
Carlos Fernandes (esq), ex-presidente da Confederação Brasileira de Taekwondo, ao lado de Carlos Arthur Nuzman Divulgação

O esquema foi investigado pela Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal do Rio. A existência dessas investigação foi reveladas pela ESPN, em 2016, em matéria que pode ser acessada aqui

Toda investigação, no entanto, começou depois que a ESPN publicou, em 2012, suspeitas de que as prestações de contas da CBTKD estavam sendo fraudadas. Com base em gravações telefônicas entre o superintendente da entidade, Valdemir José de Medeiros, e uma testemunha não identificada - revelados pela reportagem - fica clara a intenção de se acobertar as irregularidades.

A reportagem está tentando entrar em contato com os advogados dos citados na reportagem. 

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Em decisão inédita no país, cartolas do Taekwondo são condenados por fraude em licitação e estelionato

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Contratação de mais uma auditoria provoca tensão na relação entre Campello e Eurico no Vasco

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br
Empresa foi contratada para refazer o balanço financeiro que será publicado
Empresa foi contratada para refazer o balanço financeiro que será publicado ESPN

As finanças do Vasco não trazem problemas somente para pagar as contas, credores e salários dos funcionários e atletas do clube. O assunto está prestes a provocar um divisor de águas nas relações políticas da Colina. A bola da vez é a contratação de mais uma empresa de auditoria, o grupo Grant Thornton, com o objetivo de refazer todo o levantamento contábil do clube. 

A ideia é que o trabalho embase a publicação do tão aguardado balanço financeiro do clube, o mesmo que o ex-presidente Eurico Miranda não abre mão de fazer. O blog apurou que o ex-mandatário ficou furioso com a decisão e tem feito visitas à sala da contabilidade em São Januário. A última foi nesta terça-feira. 

Eurico perdeu o controle sobre as suas informações desde que o seu contador, Miguel Antônio Vaz, foi demitido, no início do mês. De acordo com o Conselho Regional de Contabilidade (CRC) e também pelo estatuto do clube, a responsabilidade pela publicação do balanço é do presidente que está no posto no ato da publicação, ou seja, Alexandre Campello. 

Eurico tem feito movimentos afim de angariar apoio para que a publicação do balanço seja a menos ruidosa e controlada possível. Entre os atos, convocou para esta sexta-feira uma reunião com o Conselho de Beneméritos, do qual é presidente.  

O assunto da reunião é a "discussão do balanço". O documento, no entanto, está longe de estar pronto. Dessa forma, o tom do encontro será muito mais político do que técnico. 

Vale ressaltar que durante todo o ano de 2017, a gestão do ex-presidente não apresentou um documento financeiro e contábil sequer, ao Conselho Fiscal, que é quem deve deliberar e estar ciente sobre o assunto. 

Mesmo com essa insatisfação, Eurico e Campello tem se falado com alguma frequência. No entanto, a publicação do balanço feito pela Grant Thornton e não pelas mãos de Eurico pode render. Não só na avaliação positiva do mercado, onde a empresa é bem avaliada, sendo uma das principais companhias de auditoria contábil no mundo, mas também entre os que querem saber para que lado vai andar a gestão de Campello. 

A vida não está fácil para o novo mandatário de São Januário. 

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Contratação de mais uma auditoria provoca tensão na relação entre Campello e Eurico no Vasco

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Marielle estará presente aqui também!

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br

Não conhecia Marielle pessoalmente.

Uma infeliz coincidência me colocou muito próxima (cerca de 30 metros) de sua morte e do motorista Anderson Gomes, na noite da última quarta-feira.

Algumas horas depois, ainda tentando entender por que estive tão perto e tão impotente diante desse crime nefasto, recebo uma cópia de uma postagem dela dialogando com o trabalho que a gente tenta fazer no dia a dia como repórter.  

Foi em 2015, ela ainda não era vereadora, eu entrevistava um torcedor que acabara de ser preconceituoso diante do microfone que eu empunhava. Escolha minha colocá-lo na casa de quem assistia, obrigação minha tentar contornar a propagação do preconceito. 

Trazer luz e luta contra qualquer violação aos Direitos Humanos eram seus ideais. Dela e creio que de grande parte de muitos de nós. 

Meu trabalho (e de tantos outros colegas) estava em suas postagens pessoais, um amigo me mostrava. Paro diante do celular e consigo entender a mensagem. Que honra e que bom perceber que é dessa forma que Marielle Franco continuará presente em nossa sociedade, sim! 

Em cada matéria, entrevista, pauta, apuração que continuaremos fazendo, a defesa dos Direitos Humanos permanecerá viva. Incansável e irredutível. 

E assim, Marielle estará presente aqui. E tenho certeza que no trabalho de muitos e muitos outros companheiros de reportagem. 

Que pena não tê-la encontrado... Teríamos tido um belo papo, imagino. 

Reprodução
Reprodução GABI

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Marielle estará presente aqui também!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Risco que Corinthians assume fez Flamengo desistir de Zeca

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br
Zeca mostra sua medalha de ouro dos Jogos do Rio 2016
Zeca mostra sua medalha de ouro dos Jogos do Rio 2016 Ivan Storti/Santos FC

A saída jurídica proposta pelo Corinthians no caso Zeca não foi sequer cogitada pelo Flamengo na negociação que acabou frustrada. Não que a solução não tenha sido discutida, mas pelo entendimento do clube, de acordo com a lei, o atleta já é solidário (co-responsável) por este pagamento. E mesmo que tenham compromissos firmados com terceiros, responsabilizando os empresários, como quer fazer o Corinthians, o clube continuaria sendo responsável pela contratação.  

Sendo assim, entre cobrar uma pessoa física (Zeca) ou a empresa de seus representantes (OTB Sports) e cobrar um clube, o credor, no caso o Santos, não teria dúvidas em ir atrás do Flamengo para buscar seus direitos. 

Neste caso, o clube poderia ainda correr atrás de seu prejuízo junto aos empresários, mas os valores envolvidos não convidavam a tanta incerteza. 

Se a multa a ser paga - caso a Justiça dê ganho de causa ao Santos - fosse menor esta saída jurídica talvez pudesse ter sido levada adiante. Algo que beirasse R$ 5 milhões, não teria sido empecilho. Mas na visão dos rubro-negros, R$ 50 milhões é um custo muito alto para as finanças do clube. 

Tudo ficou mais arriscado, pelo fato de ser um processo, que segundo avaliou o corpo jurídico do rubro-negro, de alto risco de ser perdido pelo atleta. Ou seja, o Santos tem grandes chances de vencer a disputa judicial. O fato de o jogador ter perdido a ação em duas instâncias e só ter conseguido uma decisão favorável no TST (Tribunal Superior do Trabalho), em caráter liminar, pesou de forma considerável para aumentar o risco da transação.


A primeira audiência no TST sequer aconteceu, está marcada para o mês que vem. É quando o Tribunal passará a avaliar o mérito do pedido do jogador, negado nas instâncias anteriores.   

 

Comentários

Risco que Corinthians assume fez Flamengo desistir de Zeca

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Flamengo não sabe, e não entende, por que Vizeu pediu dispensa de jogo da Libertadores

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br
Felipe Vizeu ainda não explicou porquê pediu para não viajar para o Equador
Felipe Vizeu ainda não explicou porquê pediu para não viajar para o Equador ESPN

Notícia atualizada com a manifestação do jogador, nas redes sociais, após a publicação.

O pedido de dispensa de Felipe Vizeu da partida contra o Emelec, no Equador, surpreendeu o departamento de futebol do Flamengo. Mais do que isso, o clube ainda não compreendeu os motivos para a ausência. Ainda sem saber da comemoração de aniversário que foi publicada na internet ao fim do dia, dirigentes ouvidos pelo blog disseram que estavam "surpresos" com o pedido de liberação do jogo da Libertadores.

O jogador pediu ao clube a liberação ainda no domingo, quando o grupo estava de folga após o retorno da viagem à Macaé. Aos chefes, ele disse que tinha de resolver "problemas pessoais" e não deu mais detalhes. 

O atacante, que completou 21 anos nesta segunda-feira e comemorou com a família, ainda não se manifestou. O blog tenta desde a noite desta segunda-feira um retorno, mas ainda não obteve resposta. 

Pouco antes das 13h desta terça, o jogador publicou em uma de suas redes sociais uma foto da mãe que está hospitalizada e agora em recuperação, segundo a assessoria do atleta. Ele não teria dado detalhes ao clube, por entender que o assunto é particular. 

Vizeu postou em suas redes sociais uma foto da mãe em tratamento de saúde
Vizeu postou em suas redes sociais uma foto da mãe em tratamento de saúde Reprodução

Dourado resfriado 

A ausência do atacante, que despertou interesse da Udinese após a boa Sul-Americana será sentida caso Henrique Dourado não se recupere por completo de um resfriado contra o qual seguiu para o Equador tomando remédios para aliviar os sintomas. 

De acordo com o clube, não há pendências na contratação do jogador pelos italianos. A negociação foi firmada em fevereiro e ele irá para a Itália em junho, em definitivo. 

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Flamengo não sabe, e não entende, por que Vizeu pediu dispensa de jogo da Libertadores

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Vasco contrata empresa de auditoria para analisar contas de Eurico

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br
Alexandre Campello, atual presidente do Vasco
Alexandre Campello, atual presidente do Vasco Divulgação

O Vasco pretende anunciar ao longo da semana a contratação de empresas de autoria e consultoria  que vão trabalhar para buscar informações e tentar entender as contas do clube na gestão passada. Uma das já contratadas é a BDO, "big five" do mercado de auditoria. 

A empresa não terá vida fácil em São Januário, uma vez que poucos são os registros contábeis à disposição após o fim do mandato de Eurico Miranda. O balanço financeiro referente ao ano retrasado (2016) só foi entregue no fim do ano passado e ao longo de 2017, o Conselho Fiscal afirma não ter visto um documento sequer. 

Balanço gera tensão 

Entre as atitudes que deixaram o grupo do ex-presidente descontente, está a demissão do ex-contador de Eurico, Miguel Antonio Vaz, no início do mês, conforme noticiou o jornal O Globo no fim de semana. 

A ideia da antiga gestão era que Vaz fizesse o balanço do último ano, que deve ser apresentado até dia 30 de abril. Mas quem assinaria o documento, ou seja, quem se responsabilizaria pelas informações seria Eurico ou Alexandre Campello, o novo presidente? O assunto gera debates internos. Na próxima quarta-feira, o Conselho Fiscal vai se reunir e esta será uma das pautas. 

 

Siga o blog no Facebook

Comentários

Vasco contrata empresa de auditoria para analisar contas de Eurico

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Aumento de recursos para federações e mais vagas de vice seduziram cartolas a fechar com candidato de Del Nero

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br

Marco Polo Del Nero conseguiu nesta sexta-feira as assinaturas que faltavam para impedir a candidatura de oposição de Reinaldo Caneiro Bastos, presidente da Federação Paulista. No pacote de convencimento para emplacar seu sucessor, Rogério Caboclo, a entidade prometeu mais recursos para os estados, novas competições e criou mais três cargos de vice-presidentes. Em discussões reservadas, cartolas se mostraram preocupados com a manutenção da mesada de R$ 75 mil que a CBF distribui, caso houvesse descontinuidade do atual comando. Das 27 federações, apenas Rio apoiou a candidatura de oposição. 

A promessa de mais recursos foi vinculada à necessidade de melhoria dos sistemas de gestão das federações, isto é, a CBF disse que pretende auxiliar na compra de computadores e demais equipamentos de tecnologia, além de treinamento para melhorar a administração das entidades. 

"O que eles conseguiram fazer com a Copa do Brasil, onde dão R$ 320 milhões de premiação, foi uma maravilha. E isso pode ser feito com outras competições em estados que precisam. O investimento na gestão é uma decisão muito acertada, eu mesmo briguei muito por isso e era a minha proposta há quatro anos", disse Francisco Noveletto Neto, presidente da Federação do Rio Grande do Sul. 

O dirigente, que chegou a fazer parte da tentativa de montar chapa de oposição a Del Nero na última eleição, é um dos novos vice-presidentes criados nesta campanha. Além dele, dois nomes serão anunciados e se juntarão aos quatro que já existem: Antônio Carlos Nunes de Lima (presidente interino), Fernando Sarney, Gustavo Feijó (prefeito licenciado de Boca da Mata-AL) e Marcus Vicente (deputado pelo PP-ES). 

Baixas  

Para emplacar uma chapa de oposição, Reinaldo precisaria de oito federações e pelo menos cinco clubes da série A. Os estados do Norte e do Nordeste sempre estiveram alinhados com Marco Polo. As surpresas lamentadas pela oposição foram Minas Gerais, Goiás e Rio Grande do Sul, que acenavam com a possibilidade de fazer parte de uma chapa nova. 

"O Reinaldo é um grande amigo, mas a maioria entendeu que o Rogério seria melhor agora, porque o trabalho atual da CBF está muito bom, então eu preferi ir com a maioria, porque temos este compromisso de união", disse André Luiz Pitta Pires, presidente da Federação de Goiás. 

Para o presidente de Tocantins, Leomar Quintanilha, Del Nero revolucionou o futebol: 

"A CBF está muito bem administrada. O Marco Polo fez uma revolução na administração, em termos de governança e transparência. O futebol é uma das coisas que mais funcionam nesse país, não vejo necessidade de mudar", disse ele que é ex-senador.  

Todos os dirigentes ouvidos pelo blog disseram não ver problemas na idade de Caboclo (43 anos) para assumir um posto tão alto do futebol: 

"Não vejo problema em termos um presidente de 43 anos e que nunca foi cartola. O Ricardo Teixeira também nunca tinha sido cartola", disse Hélio Cury, presidente da Federação Paranaense.

Del Nero no bastidor 

Afastado, o dirigente não atuou presencialmente nas reuniões para convencimento dos cartolas. As assinaturas foram recolhidas pelo vices Gustavo Feijó, que teve o apoio de Fernando Sarney na conversa com os dirigentes.  

Pressa por punição

A eleição da CBF deve ocorrer em meados de abril, início do prazo de um ano para acontecimento do pleito. Foi antencipada pelo risco de Del Nero ser punido pela FIFA. A suspensão inicial de 90 dias recebida pelo cartola vence no próximo dia 14, data em que ele pode receber mais 45 dias de afastamento ou ainda uma punição em caráter definitivo pela federação internacional. 

Sendo eleito, Caboclo assume somente daqui um ano. 

 

Siga a página no Facebook

Comentários

Aumento de recursos para federações e mais vagas de vice seduziram cartolas a fechar com candidato de Del Nero

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Presidente da Federação Paulista não consegue assinaturas o suficiente e descarta concorrer ao comando da CBF

Gabriela Moreira
Gabriela Moreira

O presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Reinaldo Carneiro de Bastos, não irá concorrer ao comando da CBF. A candidatura foi descartada pelo fato de ele não ter conseguido o suficiente de assinaturas de presidentes de outras federações. 

Atual presidente da CBF, Marco Polo del Nero está afastado de forma provisória do futebol pela Fifa. Há a informação de uma articulação nos bastidores para que Rogério Caboclo, atual diretor executivo de gestão da CBF, seja candidato à presidência da confederação.

Carneiro de Bastos aparecia como nome com maior apoio dos clubes. Contudo, após mudanças no estatuto da CBF, o voto das federações tem maior peso.

Houve uma reunião nesta quinta-feira na sede da CBF, no Rio de Janeiro, quanto ao futuro da entidade. O presidente da FPF não foi convidado, mas viajou até o Rio.

“Não é hora de falar”, disse Carneiro Bastos no fim da tarde, que não quis atender a imprensa para falar sobre o encontro ocorrido na sede da CBF.

Comentários

Presidente da Federação Paulista não consegue assinaturas o suficiente e descarta concorrer ao comando da CBF

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

mais postsLoading