No Dia da Consciência Negra, cinco ídolos brasileiros que fortaleceram a minha paixão pelo esporte!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Barbosa: o goleiro da seleção brasileira na Copa de 1950, ensinou como o ser humano pode ser cruel por uma fatalidade. Ele morreu meio século depois com o peso de ter sido acusado de um erro que não era sua culpa. A derrota por 2 a 1 para o Uruguai, no Maracanã, na final do Mundial, foi atribuída a ele por causa do segundo gol do uruguaio Ghigghia. Barbosa fez história e foi multicampeão no Vasco da Gama, o primeiro clube a aceitar negros no clube. Ainda me emociono quando vejo uma entrevista dele, na década de 1990, sobre a tristeza que carregava como legado. “No Brasil, a pena máxima (de prisão) é de 30 anos, mas pago há 40 por um crime que não cometi”, disse emocionado. Barbosa mostrou como julgamentos e linchamentos públicos podem acabar com uma vida. Graças a Deus, ele não viveu a era das redes sociais. O considero um ídolo, pela força de sobreviver a tantos massacres em um país que não respeita as nossas próprias raízes.

Barbosa defende um chute de um jogador uruguaio na final de 1950
Barbosa defende um chute de um jogador uruguaio na final de 1950 GazetaPress

João do Paulo: um atleta inesquecível do salto e que me levava às alturas nas competições. João Carlos de Oliveira carregou por 41 anos o recorde mundial do salto triplo conquistado nos Jogos Pan-americanos da cidade do México, em 1975. João do Pulo é um dos maiores personagens da história do nosso atletismo. Ele conquistou duas medalhas de bronze, no salto triplo, em dois Jogos Olímpicos: Montreal (1976) e Moscou (1980). Em Jogos Pan-Americanos foram quatro medalhas de ouro: Cidade do México (1975), salto triplo e salto em distância, e San Juan (1979), salto triplo e salto em distância. João do Pulo virou minha referência no atletismo. Na infância, pratiquei a modalidade na escola. Quis o destino que a carreira do atleta fosse brutalmente interrompida aos 27 anos de idade. João do Pulo perdeu uma perna em um acidente automobilístico. Ele morreu em 1999 aos 45 anos.

João do Pulo foi homenageado em quadro
João do Pulo foi homenageado em quadro Divulgação

Marta: o que ela fez e faz pelo futebol feminino no Brasil mereceria todas as honrarias possíveis. A atacante Marta Vieira da Silva é uma craque dentro e fora de campo. A alagoana já foi escolhida como a melhor futebolista do mundo por seis vezes, sendo cinco de forma consecutiva. Um recorde não apenas entre mulheres, mas também entre homens. Vencer em um país preconceituoso, onde futebol não era coisa de menina, faz dela uma mulher gigante. Marta, a Rainha do futebol, é sem dúvida um ídolo que presto todas as reverências e está no meu álbum das grandes personalidades da história do esporte.

Atacante brasileira Marta durante premiação da Fifa
Atacante brasileira Marta durante premiação da Fifa EFE

Gérson: um craque do basquete! Gérson Victalino era o representante negro na histórica vitória brasileira contra os Estados Unidos nos Jogos Pan-Americanos em 1987. Na competição, o pivô fez 62 pontos e foi um dos personagens fundamentais para o ouro mais importante da história do nosso basquete. Gérson estreou na seleção com 20 anos e esteve em três Olimpíadas: Los Angeles 1984, Seul 1988 e Barcelona 1992. Gérson é o maior recordista de jogos pelo Brasil com 63 partidas. Além do ouro em 1987, faturou a medalha de prata no Pan de 1983. Na minha adolescência, não perdia um único jogo do timaço brasileiro e Gérson era um dos meus ídolos. O atleta mineiro morreu em abril aos 60 anos.

Gérson em ação pela seleção brasileira
Gérson em ação pela seleção brasileira Gazeta Press

Janeth: outro talento do basquete brasileiro está entre os meus ídolos. Janeth Arcain era uma craque das quadras. Ela fez história ao lado da dupla Hortência e Paula. Como ala-armadora, ela fazia um estrago nos adversários e jogava muito. Com garra e energia, Janeth foi campeã Mundial na Austrália, em 1994, e vencedora de duas medalhas olímpicas: prata (Atlanta, 1996) e bronze (Sidney, 2000). Em Pan-Americanos, conquistou mais três medalhas: ouro (Havana, 1991), prata (Indianápolis, 1987 e Rio de Janeiro 2007). Janeth é a terceira maior pontuadora da história da seleção, tendo anotado 2.247 pontos em 138 jogos oficiais, média de 16,3 pontos por jogo. A cada cesta dela vibrava com a maior emoção que o esporte nos proporciona.

Janeth se destacou na seleção brasileira e na WNBA
Janeth se destacou na seleção brasileira e na WNBA Getty

Fonte: Carlos Sartori

Comentários

No Dia da Consciência Negra, cinco ídolos brasileiros que fortaleceram a minha paixão pelo esporte!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Rogério Ceni não encaixou no Flamengo e a vergonha só aumenta

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Rogério Ceni é um cara muito corajoso! Teve peito de assumir o Flamengo, atual campeão da Libertadores e do Brasileirão, depois da passagem de dois técnicos europeus. E ambos foram melhores do que ele. 

O time rubro-negro desmoronou em seu comando. A derrota para o Ceará por 2 a 0 neste domingo (10), no Maracanã, foi vergonhosa sem desmerecer o Ceará que subiu duas posições na tabela e agora é o nono colocado.

O Flamengo empacou na quarta posição com 49 pontos, ao lado do Galo, que ainda entra em campo nessa 29ª rodada contra o Red Bull Bragantino, em Bragança Paulista. 

Se tivesse vencido o Fluminense e o Ceará, ambos no Maracanã, o Flamengo poderia ter ficado a um ponto do São Paulo ao final dessa jornada no Campeonato Brasileiro.

Em 12 jogos, foram quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas. Muito pouco para o elenco milionário.

A pressão sobre o treinador do Flamengo é gigante, do tamanho da maior torcida do país.

Rogério Ceni vive momento difícil no comando do Flamengo
Rogério Ceni vive momento difícil no comando do Flamengo Alexandre Vidal / Flamengo

Esse foi o terceiro jogo seguido do time carioca sem vitória e pode ter sido o último dele como treinador. Se não for, os dirigentes do Flamengo são corajosos. 

E pra piorar, o líder São Paulo perdeu a segunda seguida no Brasileirão para o time reserva do Santos por 1 a 0, em pleno estádio do Morumbi. Chance como essa para faturar o bicampeonato, o Flamengo não terá novamente. 

Rogério Ceni não encaixou, os jogadores estão sapateando e o Flamengo não mete mais medo em ninguém! 

Assim é o futebol! 

Com um gol no começo e outro no fim, Ceará vence Flamengo no Maracanã; veja


Comentários

Rogério Ceni não encaixou no Flamengo e a vergonha só aumenta

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Arrascaeta é o único jogador do Flamengo envergonhado?

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O atual campeão Flamengo não aproveitou a derrota do São Paulo para diminuir para quatro pontos a diferença que é de sete.

No clássico carioca, válido pela 27ª rodada do Brasileirão, tomou uma virada espetacular do Fluminense por 2 a 1, quando vencia por 1 a 0, e segue em terceiro na tabela.

Se vencesse, e com um jogo a menos, o único objetivo do clube na temporada ficaria mais fácil de atingir.

Autor do gol do Flamengo, o uruguaio De Arrascaeta criticou a atuação do time no segundo tempo e se disse envergonhado.

"A gente começou bem, criou situações. Tomamos um gol de novo. No segundo tempo não tenho muita palavra. A gente tem que sair com vergonha hoje porque a gente está perdendo os jogos. Tem hora que... Assim, a gente não merece ser campeão", desabafou o uruguaio.

Arrascaeta abriu o placar no clássico Fla-Flu
Arrascaeta abriu o placar no clássico Fla-Flu Alexandre Vidal / Flamengo

A pergunta que fica: só ele está envergonhado?

O que acontece com aquele time poderoso que aniquilava os adversários e era o melhor do Brasil?

A verdade é que os jogadores estão perdidos no passado e o técnico Rogério Ceni perdido no presente.

Dizer que os gols sofridos pelo Flamengo "não são treináveis" foi a entrevista coletiva mais ridícula que ouvi nos últimos tempos,

Algo a mais acontece nos bastidores do Flamengo.

Não vejo longa vida do técnico no comando do rubro-negro.

Estaria na hora dele retornar ao Fortaleza que demitiu o técnico Marcelo Chamusca?

As piadas e memes já invadiram as redes sociais!

Mas Ceni não vai cair, a diretoria entende que os jogadores estão devendo e estão acomodados.

Enquanto isso, só o uruguaio colocou a cara pra bater.

Quem mais se sente envergonhado?

Carrasco do Flamengo, Ailton sente 'gosto especial' por vitória no Fla-Flu e diz: 'Nossa meta é a Libertadores'


Comentários

Arrascaeta é o único jogador do Flamengo envergonhado?

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Boca 0 x 0 Santos: Em noite de lambança do VAR, times de Maradona e Pelé empatam sem gols na Libertadores!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

"Pênalti claríssimo, Santos prejudicado em uma lance capital". assim definiu o comentarista de arbitragem Carlos Eugênio Simon do FOX Sports e ESPN.

O lance que poderia ter mudado a história do duelo de ida da semifinal, em La Bombonera, Buenos Aires, na noite desta quarta-feira (6), aconteceu aos 29 minutos do segundo tempo. Marinho roubou a bola da zaga do Boca e foi claramente derrubado pelo zagueiro Izquierdoz. 

O árbitro Roberto Tobar que teve uma ótima atuação com a disciplina, e aplicou apenas um cartão amarelo no jogo, não foi nem ver o lance na tela do VAR, deixou o árbitro de vídeo decidir. Um erro crucial e que prejudicou o clube brasileiro.

Ao final do jogo, Marinho declarou que também não entendeu porque o árbitro não foi consultar o lance polêmico.

Talvez se o atacante se jogasse menos no chão, a decisão do VAR teria sido diferente.

Árbitro sul-americano acha que brasileiro faz muita encenação.

Foi ou não foi pênalti? Marinho é derrubado na área, árbitro dá só tiro de meta e o VAR também manda seguir


O Santos teve uma ótima atuação no primeiro tempo e poderia ter saído com uma vitória. Com um esquema defensivo forte, o time de Cuca anulou o Boca Juniors que quase abriu o placar nos primeiros minutos de jogo com uma bela jogada de Tevez e Villa que acertou o travessão de John. O lance mais perigoso dos argentinos estava impedido.

O pequeno gigante Soteldo deu trabalho para os defensores do Boca, mas o time brasileiro pecou nas finalizações.

O supersticioso técnico Cuca manteve o time em campo e não foi para o vestiário. Isso aconteceu em 1995, 2015 e 2018. A primeira vez que fez isso foi contra o Fluminense, no histórico 5 a 2. Depois, na final do Paulista contra o Palmeiras. E recentemente, na Libertadores. 

No segundo tempo, o Boca foi melhor, e o duelo dos técnicos com mudanças nas duas equipes deu equilíbrio ao jogo.

Os números mostraram isso: posse de bola: (45% x 55%), finalizações: (9 x 10), finalizações no gol: (2 x 2), grandes chances: (0 x 0) e passes certos: (288 x 357).

Marinho - que apanhou muito em campo - foi eleito o melhor da partida pela Conmebol.

Marinho foi eleito o melhor em campo e sofreu um pênalti claríssimo, não marcado!
Marinho foi eleito o melhor em campo e sofreu um pênalti claríssimo, não marcado! Ivan Storti/Santos FC

Decisão em aberto para a Vila Belmiro, na próxima quarta-feira (13). O Santos mostrou que é um time maduro e poderá chegar à final no Maracanã. no dia 30 de janeiro.

Quem vencer, se classificará. Empate com gols dará a vaga ao Boca. Na Libertadores vale a regra do gol fora de casa. Um novo 0 a 0 levará a decisão para os pênaltis.

O time santista segue invicto fora de casa. Em seis jogos como visitante, foram quatro vitórias e dois empates. 

O Peixe de Cuca sonha com o tetracampeonato da Libertadores.  

E pode ser o primeiro time brasileiro a conquistar o tetra!

Marinho revela papo com árbitro e aviso que foi tocado na área: ‘Não sei porque ele não foi ver na câmera’

Comentários

Boca 0 x 0 Santos: Em noite de lambança do VAR, times de Maradona e Pelé empatam sem gols na Libertadores!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

River Plate 0 x 3 Palmeiras: Invicto, Verdão deixa tetracampeão atordoado e segue como melhor time da Libertadores!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Uma noite de terça-feira (5) digna de semifinal de Libertadores, em Avellaneda, Buenos Aires, na Argentina.

O Palmeiras teve um dia épico e que será lembrado por muito tempo. Uma vitória gigante contra o tetracampeão River Plate por 3 a 0 com gols de Rony, Luiz Adriano e Matías Viña.

O triunfo manteve o time verde invicto em 11 jogos: nove vitórias e dois empates. Fora de casa: quatro vitórias e dois empates.

O Verdão mostrou porque tem o melhor ataque da competição sul-americana com 33 gols, a melhor defesa com apenas quatro gols sofridos e um goleiro gigante. Weverton foi fundamental no triunfo verde com defesas salvadoras. A principal delas nos primeiros minutos de jogo em chute de Carrascal, o Neymar colombiano.

O primeiro tempo teve domínio absoluto de números do time argentino: posse de bola (72% x 28), finalizações (5 x 3), escanteios (2 x 0) e passes (311 x 117).

Mas o Palmeiras foi objetivo no que importa, o resultado, e fez 1 a 0 com Rony. Ele chegou ao quinto gol na Libertadores. Uma jogada iniciada por Patrick de Paula. Ele deu um passe mágico para Gabriel Menino na direita, que cruzou rasteiro para Luiz Adriano. O goleiro Armani saiu errado, de carrinho, e Rony acertou uma bomba!

Ele foi eleito novamente pela Conmebol o melhor jogador em campo.

Rony abriu o placar contra o River e fez o quinto gol na Libertadores
Rony abriu o placar contra o River e fez o quinto gol na Libertadores Cesar Greco / Palmeiras

A surpreendente escalação do técnico Abel Ferreira com três garotos crias da base no meio campo, Danilo, Patrick de Paula, Gabriel Menino, e Gustavo Scarpa aberto na ponta esquerda, deu folego e velocidade ao time.

O River, sempre perigoso, assustou com uma bola no travessão em cobrança de falta de Nacho Fernández.

O Palmeiras ainda marcou um golaço com Gustavo Scarpa, anulado pelo VAR por causa de um impedimento de Luiz Adriano.

Na segunda etapa, o Palmeiras ampliou logo no primeiro minuto. Um golaço de Luiz Adriano. O camisa 10 recebeu de Danilo, girou em cima de Rojas e arrancou para tocar com categoria no gol de Armani.  O atacante é o artilheiro do Verdão na temporada com 18 gols.

Oito minutos depois, o garoto Patrick de Paula, que tinha tomado o terceiro cartão amarelo no primeiro tempo e está fora do próximo jogo, acertou uma bomba que exigiu grande defesa de Armani.

Aos 14 minutos de jogo, o Palmeiras recebeu um presente para facilitar o jogo. O colombiano Carrascal, de 22 anos, foi expulso por acertar um chute desleal o Menino do Verdão.

O irreconhecível River Plate sentiu e tomou o terceiro gol, algo inacreditável para quem acreditava na vitória do time argentino.

O lateral uruguaio recebeu o cruzamento na grande área e fez de cabeça.

Palmeiras 'engole' River Plate na Argentina, faz 3 a 0 e fica perto da final da Libertadores; veja os gols


Uma vitória gigante do Palmeiras fora de casa. O mesmo placar de 1999, último confronto que colocou o Verdão na final do único título conquistado de Libertadores.

A terceira pior derrota do River Plate na história da competição. O time argentino não sofria três gols como mandante desde o dia 29/06/2005 contra o São Paulo.

Além disso, o River não perdia em casa no torneio há 13 jogos, desde o dia 23/10/2018, quando foi derrotado pelo Grêmio. (fonte: @SofaScoreBR)

Mas como futebol é imprevisível, o Palmeiras deu um grande passo e não pode vacilar na volta, na próxima terça, dia 12, no Allianz Parque. 

A equipe argentina precisará vencer por três gols de diferença para se classificar. Se vencer por 3 a 0, levará a decisão para os pênaltis.

É claro que o torcedor alviverde já pode sonhar com a final no Maracanã no dia 30 de janeiro.

E Abel Ferreira merece todo o respeito. O treinador português anulou o esquema tático de Marcelo Gallardo, melhor técnico sul-americano.

Comentários

River Plate 0 x 3 Palmeiras: Invicto, Verdão deixa tetracampeão atordoado e segue como melhor time da Libertadores!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

"Isso está fazendo a diferença", titulares do Palmeiras apontam fator determinante para sucesso do time comandado por Abel Ferreira!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Fechado com o elenco! É assim que o treinador português Abel Ferreira tem conquistado sucesso no comando do Palmeiras.

Na Libertadores, o Verdão disputou 10 jogos e está invicto com oito vitórias e dois empates. 

O time alviverde tem o segundo melhor ataque da competição com 29 gols, atrás apenas do River Plate (31) e a melhor defesa da competição, quatro gols sofridos.

Nas palavras de três jogadores titulares do elenco alviverde, Weverton, Gabriel Menino e Rony, méritos do técnico que exige apenas o foco dentro de campo e cuida de tudo fora dele. Em entrevista para a Conmebol, o trio revelou bastidores do trabalho de Abel Ferreira. 

"O Abel tem sido um cara muito especial pra gente. Um treinador com filosofia diferente, filosofias novas com aquilo que a gente está acostumado a viver aqui dentro do Brasil. Um treinador que tem acrescentado muito em questão de organização, ensina os atletas a serem mais organizados, mais focados nas tarefas em campo, não se preocupar com o externo, não se preocupar com a arbitragem. Tem passado isso dia a dia. Tem uma forma de trabalhar muito especial, onde trabalha todo o elenco , não tem 11 titular só pra ele. Os 11 titulares só aparecem duas horas antes do jogo, na hora realmente que vai jogar. Isso traz motivação para todo elenco porque deixa todo mundo pronto, preparado pra jogar e isso tem sido muito bom. Tem trazido competitividade entre a gente e estamos muitos satisfeitos com o trabalho dele" revelou o goleiro titular Weverton.

Abel Ferreira comanda o Palmeiras invicto na Libetadores
Abel Ferreira comanda o Palmeiras invicto na Libetadores Cesar Greco / Palmeiras

"Ele é um treinador muito inteligente e tem experiência no futebol. Ele conversa muito com a gente e deixa a gente tranquilo. A gente só tem que entrar e fazer o que ele quer. Isso fica muito mais fácil pra nós, a gente tem na consciência o que tem que fazer e só executa", disse o polivalente Gabriel Menino. 

"É lógico que tem a filosofia dele jogar e a gente acatou isso muito bem, está todo mundo empenhado pra fazer um só papel. Eu acredito que isso está fazendo a diferença e também a confiança que ele passa pra gente dentro de campo é surreal. Então, todo jogo a gente entra para dar o nosso melhor, pra correr um pelo outro, todo mundo empenhado pelo título", afirmou o atacante Rony.

"A gente espera que tenha uma grande temporada para coroar esse grande trabalho que ele (Abel) vem fazendo aqui junto com a gente", finalizou o goleiro Weverton.  

Sormani diz que o Palmeiras tem time pra vencer o River Plate e critica Abel Ferreira 'Reclamar desse elenco é pecado'



Nesta terça-feira (5), em Avellaneda, Buenos Aires, o Verdão enfrentará o River Plate no primeiro duelo da semifinal da Libertadores!

Jogo dificílimo para ver se os ensinamentos do treinador português serão seguidos à risca pelos jogadores do Palmeiras. 

Comentários

"Isso está fazendo a diferença", titulares do Palmeiras apontam fator determinante para sucesso do time comandado por Abel Ferreira!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

River x Palmeiras: Experiência europeia de Abel Ferreira poderá surpreender Marcelo Galhardo, o melhor técnico sul-americano?

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Sempre li e ouvi que os treinadores europeus consideravam os jogadores brasileiros a melhor matéria-prima do futebol mundial. Sorte a deles terem em seus clubes os melhores para buscarem vitórias e títulos. 

O técnico português Abel Ferreira está na contramão dessa história, assim como esteve o seu compatriota Jorge Jesus no comando do Flamengo. 

Ambos vieram ao Brasil para fazerem história não só com os talentosos jogadores e sim com os grandes clubes do país. 

O que aconteceu com Jorge Jesus em 2019 todos sabem. Flamengo super campeão com um timaço de dar inveja até aos clubes europeus. Mesmo perdendo à final do Mundial contra o Liverpool, o rubro-negro mostrou força.

O título da Libertadores de virada contra o River Plate foi uma das decisões e conquistas mais emocionantes dos últimos tempos. 

Gallardo x Abel: duelo entre os melhores ataques da Libertadores!
Gallardo x Abel: duelo entre os melhores ataques da Libertadores! []

Agora chegou a vez do Palmeiras, de Abel Ferreira, medir forças com o tetracampeão River na semifinal da Libertadores. Uma equipe que disputou as últimas duas finais da competição sul-americana, com o título em 2018, diante do Boca Juniors, e o vice em 2019, contra o Flamengo.

O comandante português terá pela frente o melhor treinador sul-americano dos últimos anos, Marcelo Gallardo.

Não será fácil! El Muñeco tem tradição na Libertadores como jogador e técnico. Como meia, faturou um título em 1996 e como treinador dois, em 2015 e 2018. 

Ele faz parte de um seleto grupo de oito que alcançaram esse feito. O técnico Renato Gaúcho é o único brasileiro entre eles. 

Dos quatro técnicos na semifinal, só Abel não tem título da Libertadores. Essa é a sua primeira participação na competição. 

O elenco do Palmeiras não é melhor do que o Flamengo de 2019, mas tem condições de vencer o time argentino nesta terça-feira (5), no estádio Libertadores da América, em Avellaneda, Buenos Aires. 

Para isso, Abel Ferreira não poderá errar na escalação como tem acontecido em alguns jogos. Gabriel Menino não funciona como segundo volante. Ele precisará jogar livre mais adiantado, quase um camisa 10, e ajudar na marcação. 

Eu apostaria nos garotos como volantes: Danilo e Patrick de Paula. Zé Rafael é perigoso. Ele comete muitas faltas e toma cartões desnecessários. Ser expulso na Argentina, seria fatal! Mas Abel Ferreira gosta do jogador e pode retornar como titular. O volante treinou bem e está recuperado de uma lesão. 

Raphael Veiga não teve nenhuma boa atuação desde que contraiu a Covid-19. Não está pronto para um jogo desse nível. Além de Menino, Gustavo Scarpa também está pedindo passagem. 

A defesa do Palmeiras tem sido o ponto alto do time com apenas quatro gols sofridos. A melhor defesa da Libertadores. Gustavo Gómez e Luan formam a melhor dupla de zaga. Marcos Rocha merece continuar na lateral-direita e tem mais experiência. Matias Viña pelo lado esquerdo. 

O Palmeiras tem que atacar o River, e não ficar só no contra-ataque, se quiser sair com um resultado positivo da Argentina. Recuar, será fatal. 

Defendo essa estratégia por alguns motivos. O Palmeiras teve um tempo maior de descanso e precisa aproveitar o desgaste do River que atuou no sábado. O Palmeiras jogou na quarta-feira passada, quando se classificou para à final da Copa do Brasil. Com isso, teve dois dias de folga e dois dias de treinos. Algo que não acontecia há muito tempo.

Por causa da pandemia, o jogo na Argentina não terá torcida como manda a Conmebol. Além disso, o River jogará no campo do Independiente, e não em sua casa, o Monumental de Nuñez. O Verdão estará em campo neutro, praticamente sem pressão, tradição da Libertadores.

Árbitro do jogo do Palmeiras na Libertadores 'pendura' jogadores e foi centro de polêmica em Grêmio x River Plate; Simon analisa

Esperar o contra-ataque como fez o Boca no empate por 2 a 2 no Superclássico disputado sábado, em La Bombonera, é perigoso. 

O Boca Juniors estava muito bem na marcação e só tomou a virada, quando vencia por 1 a 0, porque teve um jogador expulso. Mas o River teve domínio absoluto da partida. 

O 4-4-2 armado por Gallardo, com um time que joga há muito tempo junto, é eficiente e gosta de ficar com a posse de bola. E quando a recupera, tem um ataque poderoso. 

O colombiano Rafael Borré é a referência do ataque com seis gols. O vice-artilheiro finalizou 25 vezes na competição e deu uma assistência.  

O também colombiano Jorge Carrascal é perigoso e quando chega na área sabe ser fatal. O meia é veloz, habilidoso e sabe chutar com as duas pernas. Ele marcou três gols na competição. 

O garçom do time é o atacante Matías Suárez com sete assistências.

Com quem o River saíra jogando, só vamos saber momentos antes da partida. Até nisso, o argentino Marcelo Gallardo é cuidadoso. Os jogadores só são comunicados apenas duas horas antes quem entra no time titular. 

No duelo dos melhores ataques, River (31) e Palmeiras (29), Abel deverá mandar a campo: Rony, Gabriel Veron e Luiz Adriano. Resta saber se o Veron estará 100%. O atacante treinou neste domingo, no Brasil, e nesta segunda (04), na Argentina.

É o melhor que o elenco alviverde pode oferecer nesse momento. Dois jogadores de velocidade pelas pontas e um finalizador na área. Willian é uma boa opção para o segundo tempo. Ele e Luiz Adriano somam 15 gols cada na temporada. 

Com 15 finalizações, Rony é o grande destaque do time com mais participações diretas em gols: quatro marcados e sete assistências. Ele é o maior garçom da Libertadores. Rony será determinante nesse duelo de ida. Por ele, o Palmeiras poderá encontrar espaços para chegar ao gol do River.

Os garotos que subiram da base também serão importantes nessa decisão. Eles marcaram nove gols na Libertadores: Gabriel Menino e Gabriel Veron (três cada), Patrick de Paula, Danilo e Wesley (um cada). O atacante Wesley segue fora lesionado. 

Para furar a marcação do River Plate, três jogadores que chutam forte de fora da área podem surpreender o goleiro Armani: Gabriel Menino, Patrick de Paula e Gustavo Scarpa. Abel deveria usar essa arma contra os argentinos. 

Se não tem título e participa pela primeira vez de uma Libertadores, o português Abel Ferreira chega com moral para enfrentar o poderoso River Plate. 

Além da melhor campanha geral na fase de grupos, o Verdão está invicto na competição com oito vitórias e dois empates. 

Fora de casa, o time alviverde também não perdeu. Em cinco jogos, três vitórias, dois empates e oito gols marcados. 

A bola está com o português. Vamos ver como ele montará o Palmeiras para superar o melhor time e técnico sul-americano. Será com a ginga e habilidade brasileira ou com o forte esquema tático europeu?

Prováveis escalações e desfalques:

RIVER PLATE: Armani; Gonzalo Montiel, Robert Rojas, Paulo Díaz (Pinola) e Casco (Pinola); Enzo Pérez, Nacho Fernández De La Cruz e Carrascal; Matías Suárez e Santos Borré.

Desfalques: Fabrízio Angileri (lesão muscular)

PALMEIRAS: Weverton, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Viña; Danilo (Patrick de Paula), Gabriel Menino (Zé Rafael) e Raphael Veiga; Gustavo Scarpa (Gabriel Veron), Rony e Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira

Desfalques: Felipe Melo, Wesley e Luan Silva (lesionados).

Comentários

River x Palmeiras: Experiência europeia de Abel Ferreira poderá surpreender Marcelo Galhardo, o melhor técnico sul-americano?

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

River x Palmeiras: no duelo dos melhores ataques, Rony é peça fundamental do Verdão na decisão da Libertadores!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

De criticado pela torcida a solução do ataque do Palmeiras. Rony virou um dos jogadores mais importantes no esquema do técnico português Abel Ferreira. 

Antes do sucesso, o atacante viveu um drama e teve que acompanhar piadas de torcedores do seu clube e rivais com o seu jejum de gols pelas redes sociais. 

E a primeira bola na rede de Rony aconteceu no torneio que ele é hoje o principal personagem do time alviverde. Foi na goleada por 5 a 0 contra o Bolívar, no Allianz Parque, depois de 22 jogos pelo Verdão.

Na Libertadores, o camisa 11 tem mostrado que valeu a pena o clube investir em sua contratação, a principal da temporada. O Palmeiras pagou pelo jogador do Athletico-PR, em fevereiro deste ano, 6 milhões de euros (cerca de R$ 28 milhões) por 50% dos direitos econômicos do atacante de 24 anos. 

Rony se tornou o jogador com maior participação direta em gols (11) na competição sul-americana. 

Em oito jogos, o atacante do Verdão marcou quatro gols e deu sete assistências. Foram 15 finalizações e 17 dribles. 

Na próxima terça-feira (5), no duelo de ida contra o River Plate, em Buenos Aires, o Palmeiras entrará no estádio Libertadores de América, em Avellaneda, como um visitante incômodo e  invicto. 

Em cinco jogos, foram três vitórias e dois empates com oito gols marcados fora de casa. O Verdão anotou até o momento 29 gols e o River Plate, 31. Os dois times de melhor ataque na competição. 

O Palmeiras está atrás do seu recorde de bolas nas redes. No vice-campeonato em 2002, foram 32 gols marcados. Faltam apenas três. 

Pelos pés de Rony, o Verdão poderá abrir caminho para furar a forte marcação do River, quatro vezes campeão da Libertadores. 

Comandado por Marcelo Galhardo, o River chegou em três finais nos quatro mata-matas desta fase: Guarani (2015), Grêmio (2018) e Boca (2019). 

Boca Juniors e River Plate ficam no empate em jogaço na La Bombonera; VEJA os gols!


Essa é oitava vez que o Palmeiras disputa uma semifinal. O alviverde esteve em quatro finais e conquistou apenas um título em 1999. 

Por coincidência, o Palmeiras chegou à final daquele ano ao bater o River Plate no jogo de volta por 3 a 0, no antigo Palestra Itália.  Último encontro das duas equipes em Libertadores. Na ida, o River venceu por 1 a 0, em Buenos Aires.

O camisa 10 Alex deu show na vitória por 3 a 0 e marcou dois gols. Ele abriu e fechou o placar com dois golaços. O zagueiro Roque Júnior fez o segundo. 

Como em 1999, o Palmeiras fará a partida de volta em casa. Quem sabe Rony não vire um Alex e decida a partida. 

Rony se prepara para a tradicional cambalhota após marcar contra o América-MG
Rony se prepara para a tradicional cambalhota após marcar contra o América-MG Cesar Greco / Palmeiras

O atacante foi o cara na vitória do Palmeiras sobre o América-MG por 2 a 0, com uma assistência e um gol, na classificação à final da Copa do Brasil. 

No último jogo do Verdão em 2020, Rony foi o melhor em campo no segundo tempo, depois de um péssimo primeiro tempo. Abel Ferreira manteve ele em campo e o jogador fez o que se esperava dele.

Em 39 jogos pelo Palmeiras, Rony foi titular em 30, marcou nove gols e deu oito assistências.

Com seus dribles, finalizações, gols e assistências, Rony é a esperança verde em 2021! 

Comentários

River x Palmeiras: no duelo dos melhores ataques, Rony é peça fundamental do Verdão na decisão da Libertadores!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Boca 2 x 2 River: Telespectador teve experiência emocionante no primeiro Superclássico sem torcida da história!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Foi diferente e emocionante acompanhar o primeiro Superclássico da história entre Boca Juniors e River Plate sem torcida, nesta noite de sábado (2).

A transmissão da ESPN valorizou o som ambiente com uma captação de áudio que dava para escutar o que acontecia dentro de campo. Os microfones espalhados no estádio nos deixaram mais próximos dessa rivalidade que é considerada por muitos como o grande clássico do mundo.

Teve de tudo nesse jogaço que não era disputado desde outubro de 2019, na semifinal da Libertadores. Virada do River com dois gols em três minutos, duas expulsões, empate do Boca Juniors nos minutos finais e quatro gols. 

Empate entre Boca e River foi disputado e com duas expulsões
Empate entre Boca e River foi disputado e com duas expulsões Twitter Conmebol

No centésimo Superclássico disputado em La Bombonera, o River Plate parecia o dono da casa e em oito minutos finalizou duas vezes contra o goleiro Andrada. 

Na primeira delas, logo aos dois minutos, o Boca errou a saída de bola e Borré acertou um bomba. Andrada fez grande defesa. 

Quando o River era mais objetivo, o Boca em uma jogada iniciada no seu campo, abriu o placar com um gol de camisa 9. Ábila recebeu um belo cruzamento de Más nas costas da zaga e tocou no gol de Armani. 1 a 0 aos 10 minutos de jogo. 

O River partiu ao ataque e quase Beltrán empatou em um lance dentro da área. E no primeiro escanteio da partida, Carrascal acertou uma pancada na trave. Dois lances perigosos na sequência de dois minutos: 15 e 16 de jogo. 

O Boca respondeu cinco minutos depois com uma bomba de Capaldo e a bela defesa de Armani. 

'Braçada' na nuca e entrada violenta: as expulsões de Pérez e Campuzano em Boca x River



Comum nesse duelo, as jogadas mais violentas eram percebidas nos gritos e na pressão sobre o árbitro. Reclamação dos dois lados em lances polêmicos e doloridos como a cotovelada do volante Campuzano na garganta do jovem driblador do River, Carrascal. 

Aos poucos, o Boca foi entrando no jogo e apostava nos contra-ataques. O River perdeu a intensidade, mas mesmo perdendo por 1 a 0 se arriscou mais e não conseguiu furar a forte marcação do Boca no bem armado 4-4-2 do técnico Miguel Ángel Russo. 

Visitante, o time de Marcelo Gallardo dominou a partida no primeiro tempo: 71% de posse de bola e mais finalizações (4 a 3). 

47 minutos emocionantes de um futebol com velocidade e boas opções para os dois lados.  

Na segunda etapa, Campuzano deu emoção no duelo ao ser expulso, aos 13 minutos, e deixar o Boca com um a menos. 

Com um a mais e com a proposta de buscar o gol adversário desde o primeiro minuto de jogo, o River empatou aos 29 minutos. Montiel deu um lançamento preciso na cabeça de Girotti.

Três minutos depois, o artilheiro Borré também usou a cabeça pra marcar o gol da virada do River Plate, dentro da casa do Boca. 

E teve mais expulsão! Enzo Perez entrou com força em Capaldo e tomou o segundo amarelo. 10 para cada lado. 

A expulsão deu ânimo ao Boca que foi buscar o empate aos 41 minutos. Tevez deixou Villa na cara do gol para tocar por cobertura na saída do goleiro: 2 a 2 placar final. 

O Superclássico foi de alto nível e quente com oito cartões amarelos. Boca e River seguem com oito pontos, empatados na liderança do Grupo A da segunda fase da Copa Diego Armando Maradona.

Boca Juniors e River Plate ficam no empate em jogaço na La Bombonera; VEJA os gols!



O líder do Grupo B é o Banfield. Os dois primeiros colocados se enfrentarão na decisão, e o campeão se classificará à Libertadores de 2021. Xeneizes e Millonarios já estão garantidos no torneio continental.

Os dois rivais agora miram o foco para os duelos de ida da semifinal da Libertadores. 

Nesta terça-feira (5), o Palmeiras visitará o River em Avellaneda, às 21h30. 

Na quarta-feira (6), o Santos enfrentará o Boca, também em Buenos Aires, em La Bombonera.

Os brasileiros que se cuidem. Boca e River deram mostras que estão afinados para surpreenderem os brasileiros.

E como disse Carlitos Tevez ao final da partida: "Entre Boca e River não tem um favorito para uma suposta final de Libertadores".

Comentários

Boca 2 x 2 River: Telespectador teve experiência emocionante no primeiro Superclássico sem torcida da história!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Superclássico entre Boca e River é aperitivo para confronto entre brasileiros e argentinos na Libertadores

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Clássico de gigantes argentinos neste sábado (2), em La Bombonera, na belíssima Buenos Aires. 10 títulos da Libertadores em campo: Boca Juniors (6) e River Plate (4). 

O duelo entre os maiores rivais e um dos clássicos mais admirados do mundo, será bom para brasileiro ver, especialmente os torcedores santistas e palmeirenses. Semana que vem eles serão os  adversários na semifinal da Libertadores: Boca x Santos, na Argentina, e Palmeiras x River Plate, também em Buenos Aires 

As duas equipes não pouparão jogadores no confronto válido pela quarta rodada da fase campeã do Argentino 2020/21. Briga pela liderança do Grupo A no torneio que recebeu o nome de Copa Diego Maradona. Quem vencer poderá garantir vaga na decisão. 

Boca x River na Bombonera
Boca x River na Bombonera Getty Images

Isso é bom para os times brasileiros. Duelo complicado com essa tradição sempre desgasta os jogadores. O Boca terá três dias para descansar e treinar antes de encarar o Santos na quarta-feira (6), na Bombonera. Já o River, terá um dia a menos para pegar o Palmeiras, em Avellaneda.

O Boca é o líder do Argentino com sete pontos e vem de três vitórias seguidas. Entre elas, a classificação à semifinal contra o rival Racing (2 a 0), depois de ter perdido o primeiro jogo na casa do adversário (1 a 0).

O River também soma sete pontos e conquistou três vitórias nos três últimos jogos. Um dos triunfos foi a goleada histórica contra o Nacional, no Uruguai, por 6 a 2, na Libertadores. 

Zé Elias vê River como favorito contra o Palmeiras, mas destaca que Abel Ferreira pode fazer a diferença: 'Lembra o Jorge Jesus'


Os números desse clássico são bem equilibrados. A vantagem do Boca sobre o River é pequena com seis vitórias a mais em 98 jogos (37 x 28) e 34 empates. Marcou 112 gols e sofreu 105.

Nas últimas cinco partidas, foram três empates e uma vitória para cada lado. O nome desse confronto “Superclássico” ajuda a dar mais peso na rivalidade e cria expectativa nos torcedores e amantes de futebol. 

O River Plate comandado por Marcelo Gallardo é perigoso. Teve o seu momento glorioso como o futebol mais bem jogado da América do Sul ao vencer a Libertadores em 2018 batendo o Boca, na Espanha. 

Esteve presente em três finais da competição nos últimos cinco anos e venceu duas (2015 e 2018). Foi vice em 2019 ao ser derrotado pelo Flamengo. 

Outro destaque desse clássico será o duelo dos artilheiros da Libertadores com seis gols cada: o atacante Borré do River e o meia Salvio do Boca.  

Gosto do Boca Juniors por causa da garra que o time sempre teve. Sem torcida, La Bombonera não influencia na decisão. Perder essa força é muito ruim. Bom para o River e Santos. 

Jogo com pinta de um placar cheio de gols, mas com igualdade: 2 a 2. 

Comentários

Superclássico entre Boca e River é aperitivo para confronto entre brasileiros e argentinos na Libertadores

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

A malandragem carioca e os ensinamentos de Renato Gaúcho

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Renato Gaúcho já foi considerado o rei do Rio quando era um atacante polêmico e goleador. Ele conquistou uma dezena de títulos por diferentes clubes cariocas.

Aos 58 anos, o hoje técnico nascido na cidade de Guaporé, Rio Grande do Sul, está mais calmo. Na carreira de jogador, Renato defendeu grande clubes do Rio de Janeiro: Flamengo, Botafogo, Fluminense e o Bangu.

Como técnico, treinou o Fluminense em quatro oportunidades, o Vasco da Gama por duas vezes, e iniciou no Madureira.

Renato Portaluppi ou melhor Renato Gaúcho, tem a cara da cidade maravilhosa.

É no Rio de Janeiro que ele se sente em casa jogando o seu futevôlei com os amigos na praia.

Renato Gaúcho pode igualar conquistas de Felipão e Marcelo Oliveira na Copa do Brasil
Renato Gaúcho pode igualar conquistas de Felipão e Marcelo Oliveira na Copa do Brasil LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Com a classificação do Grêmio à final da Copa do Brasil, Renato foi premiado e ganhou alguns dias para comemorar no Rio.

E logo após o jogo, soltou frases de efeito para explicar o gostinho da classificação e da folga. Com a ironia de sempre, Renato falou como será a comemoração especial na passagem de ano.

"Eu não gosto de champanhe, é muito cara. Está feia a coisa pra todo mundo. Vou tomar chope, pode ter certeza. Já falei com o presidente, e ele me deu quatro dias. Vou para o Rio", disse Renato feliz da vida.

O técnico mais longevo da Série A, com pouco mais de quatro anos no comando do Grêmio, coleciona títulos no tricolor gaúcho. Ele faturou a Copa do Brasil (2016), Copa Libertadores da América (2017), Recopa Sul-Americana (2018), Campeonato Gaúcho (2018, 2019, 2020), Recopa Gaúcha (2019) e Taça Francisco Novelletto (2020).

O empate sem gols contra o São Paulo, no Morumbi, classificou o tricolor gaúcho. Na ida, em Porto Alegre, o Grêmio havia vencido por 1 a 0.

Renato gosta de criar casos, gerar polêmica, sempre com declarações divertidas e experiências bem vividas. A posse de bola no futebol, por exemplo, foi comparada a um  relacionamento amoroso desastrado. 

"Vou explicar a posse de bola. Imagine um homem que levou uma mulher bonita pra jantar, depois ficou até 5h da manhã com ela na boate. Gastou saliva pra caramba... aí chegou um amigo meu, e em 15 minutos a levou pro motel. Ganhou o jogo", disse o divertido técnico do Grêmio.

Renato Gaúcho faz comparação aleatória e dá resposta para lá de inesperada sobre 'posse de bola'



Renato Gaúcho tem história na Copa do Brasil. Como técnico, ele participou de 11 edições e foi campeão duas vezes: Fluminense (2007) e Grêmio (2016).

Ele chegou pela quarta vez em uma final da competição e está empatado com dois medalhões: Levir Culpi e Mano Menezes. Só fica atrás de Felipão e Marcelo Oliveira com cinco decisões cada. 

A tradição do Grêmio poderá ajudar Renato a levantar mais um caneco. O tricolor gaúcho é o time com maior número de participações: nove vezes. 

Com cinco títulos na Copa do Brasil e três vices, o Grêmio só fica atrás do Cruzeiro em números de conquistas. O time mineiro faturou a taça seis vezes. 

O Adversário do tricolor gaúcho será o tricampeão Palmeiras que avançou ao vencer o América-MG por 2 a 0, em Belo Horizonte.

Os dois finalistas foram as equipes que mais atuaram na temporada: Grêmio (60 jogos) e Palmeiras (58).  

As duas partidas decisivas da Copa do Brasil serão nos dias 3 e 10 de fevereiro. Os mandos de campo serão definidos por sorteio, no dia 14 de janeiro.

Até lá, Renato poderá curar a ressaca para buscar mais um título com o Grêmio.

E com certeza, mesmo de folga, ele será notícia nas praias cariocas.

Os paparazzis estarão de olho nele!

Comentários

A malandragem carioca e os ensinamentos de Renato Gaúcho

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Inadmissível a atitude de alguns torcedores do São Paulo no Morumbi!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Não me calo e deixo claro: gosto de festas, mas na hora certa!

Não era dia de aglomeração em meio a uma pandemia.

As cenas de torcedores são-paulinos na porta do Morumbi, nesta quarta-feira (30), e sem máscaras, é de um descaso total.

Torcida do São Paulo faz festa em frente ao Morumbi e aguarda chegada de ônibus dos atletas


Imagine quantas famílias poderão ser afetadas caso alguém presente no local esteja com Covid-19?

É só fazer um raciocínio rápido. Cada torcedor em média deve viver com quatro pessoas em casa: pais, avôs e irmãos.

A festa tinha muita gente, aproximadamente 1500 torcedores antes do duelo de volta da Copa do Brasil contra o Grêmio.

Cenas assustadoras no dia em que o Brasil registrou 1.224 mortes por Covid em 24 horas, maior marca desde 20 de agosto.

O total chega a 193,9 mil mortes.

7.619.970 casos da doença desde o início da pandemia.

Torcida do São Paulo em frente ao Morumbi
Torcida do São Paulo em frente ao Morumbi REPRODUÇÃO

Uma pisada na bola da torcida tricolor.

Lembro que outras torcidas também repetiram o ato neste ano tão difícil.

Lamentável!


Comentários

Inadmissível a atitude de alguns torcedores do São Paulo no Morumbi!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Com 10 jogos em dezembro, Palmeiras é premiado e chega à final da Copa do Brasil!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O desgastado time do Palmeiras está na quinta final da Copa do Brasil. A vitória suada por 1 a 0 contra o América-MG no estádio Independência, em Belo Horizonte, nesta quarta-feira (30), só foi merecida pelo esforço dos jogadores que enfrentaram um surto de covid-19 e disputaram 10 jogos em dezembro. Quase desumano. Média de um jogo a cada três dias. O América-MG disputou nove partidas. 

O excesso de jogos refletiu no primeiro tempo: horroroso. Os dois times não produziram nada. Deu sono. Um jogo muito chato. Até na várzea teria mais emoção.

E sorte que o técnico Abel Ferreira não substituiu dois jogadores que não fizeram nada  do que se esperava deles em campo: Luiz Adriano e Rony.

No segundo tempo, o time mineiro, vice-líder da Série B, e comandado por Lisca, foi para cima do Palmeiras. Em 10 minutos, o América quase abriu o placar. O time paulista tomou um sufoco.

Inteligente, o técnico Abel Ferreira mudou o time e colocou três jogadores de uma vez: Lucas Lima  no lugar de Raphael Veiga, Gustavo Scarpa substituiu Willian e Patrick de Paula na vaga de Gabriel Menino.

O Palmeiras melhorou e pensou mais no jogo e Luiz Adriano que se arrastava em campo mudou a história da partida. O camisa 10 do Verdão recebeu uma boa bola de Rony na entrada da área, e relembrando o centroavante Evair, chutou com categoria no canto e abriu o placar. O segundo gol dele na Copa do Brasil. O 17º na temporada igualando Willian na artilharia. Luiz Adriano foi eleito pela CBF o melhor jogador da partida.

Luiz Adriano foi eleito o melhor em campo
Luiz Adriano foi eleito o melhor em campo Cesar Greco / Palmeiras

O então organizado América ficou assustado, e mesmo com melhor forma física, não conseguiu se recuperar.

Rony que tinha errado vários passes e era criticado pelos torcedores nas redes sociais, voltou diferente para o segundo tempo. O atacante aproveitou um rebote, após bela cabeçada de Mayke, que substituiu Luiz Adriano, e fez o segundo do Verdão de peixinho. Ele teve energia para comemorar com a cambalhota tradicional. Rony foi o melhor jogador em campo e calou os críticos.

Depois foi só o Verdão administrar o resultado e comemorar a classificação.

Com os dois gols da vitória, o Palmeiras chegou ao 101º gol na temporada: 37 gols foram pelo Campeonato Brasileiro, 29 pela Libertadores, 21 pelo Paulista, 12 pela Copa do Brasil e outros dois pela Florida Cup.  

O Palmeiras agora vai buscar o tetracampeonato da Copa do Brasil. O Verdão foi campeão em 1998, 2012 e 2015. 

O adversário será o Grêmio que eliminou o São Paulo, no Morumbi, após empate por 0 a 0. O tricolor gaúcho é o segundo time com mais títulos da competição: cinco. 

Será uma parada dura para o Verdão enfrentar o tricolor gaúcho, time que mais vezes chegou à final da Copa do Brasil: nove vezes.

O técnico Abel Ferreira mostra que tem o elenco na mão ao conseguir levar o Palmeiras à final. O único time que sobreviveu a três competições: Copa do Brasil, Libertadores e Brasileirão. 

O português é o segundo técnico estrangeiro a chegar em uma final da Copa do Brasil. Em 2017, o colombiano Reinaldo Rueda foi vice-campeão comandando o Flamengo.

Luiz Adriano faz belo gol, Rony também marca, Palmeiras vence América-MG e vai à final da Copa do Brasil

Experiente, Renato Gaúcho fará a quarta final da competição.

Os times que mais jogaram após a retomada do futebol agora merecem descanso.

O Grêmio disputou no ano 60 jogos, o Palmeiras 58. 

As duas equipes que mais atuaram na temporada estão na final.

Futebol, só o ano que vem! Nos dias 3 e 10 de fevereiro. 

A ordem dos mandos de campo será sorteada pela CBF no próximo dia 14 de janeiro.

Feliz ano novo e muita saúde!

Comentários

Com 10 jogos em dezembro, Palmeiras é premiado e chega à final da Copa do Brasil!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Recorde negativo e perigoso: Clubes cariocas são os líderes em trocar técnicos. Veja os números!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O futebol carioca passa por um momento delicado. Dois times lutam para não cair para à Série B do Brasileirão: Botafogo e Vasco. 

Para piorar, o time de São Januário demitiu o seu treinador, o português Ricardo Sá Pinto. O profissional europeu trabalhou sem receber salários e inconformado por não concluir o seu projeto.

O Fluminense vinha bem, mas perdeu o comandante que tinha colocado o tricolor nos trilhos. Odair Hellmann preferiu ganhar uma fortuna nos Emirados Árabes, antes que o jogo virasse e fosse demitido.  Desde a sua saída, o Flu ainda não venceu.

Até o Flamengo, super campeão de 2019, mandou embora o catalão Domènec Torrent e trouxe o jovem Rogério Ceni para o seu lugar. 

O time piorou sem o auxiliar de Pep Guardiola. Foi eliminado da Libertadores e Copa do Brasil no prazo de 20 dias. E está a sete pontos do líder São Paulo no Brasileirão. Com o treinador europeu, a diferença era menor, apenas um ponto. 

Conhecido por sua "excelência" de organização, o Flamengo ainda mantém Dome em sua folha salarial. Motivo: ele tem contrato com o Flamengo, porque o clube não pagou a multa rescisória. 

Demitir o treinador catalão ainda vai custar caro, dentro e fora de campo. Domènec foi desligado no dia 9 de novembro. Se ele assinasse a rescisão no dia seguinte, a multa seria de 1,8 milhões de euros (cerca de R$ 11,4 milhões). Ela é referente ao tempo que falta para o contrato dele acabar. O Flamengo negocia o parcelamento dessa dívida, ou seja, o técnico catalão segue recebendo o salário normalmente.  

Enquanto isso, o país do futebol vai ficando com o nome sujo na Europa, a falta de palavra virou a bola da vez. 

Zé Elias rasga elogios a trabalho de Lisca no América-MG, mas alerta: 'Não pode jogar de igual para igual com o Palmeiras'



Demitir técnico virou a fórmula mágica dos desorganizados e incompetentes dirigentes cariocas para fazer o time jogar bola. Eles estão na contramão do verdadeiro futebol. 

Dois times não demitiram treinadores e estão colhendo frutos. Casos do Grêmio com Renato Gaúcho, o treinador mais longevo da elite do futebol brasileiro, e do São Paulo de Fernando Diniz, o segundo técnico com mais tempo comandando um clube. 

Mas depois desses exemplos positivos, voltemos ao tema deste Blog. Até a 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, 23 técnicos foram trocados pelos principais clubes da Série A.

O recorde na era de pontos corridos (2003-2020), nesse período de 27 jogos, foi de 31 treinadores desligados em 2003. Com certeza, alto nos dois torneios. 

Entre 2011 até agora em 2020, o Vasco foi o clube que mais trocou de técnico: 21 vezes com 18 treinadores. Por coincidência já tomou um não de Zé Ricardo, treinador que comandou o clube recentemente. Ação e reação. Além da pressão, quem quer ficar sem receber salários em clubes com péssima administração?

Ainda nesta década, o Flamengo foi o segundo time com 20 mudanças e 18 treinadores. 

Rogério Ceni não é mais unanimidade no Flamengo
Rogério Ceni não é mais unanimidade no Flamengo Alexandre Vidal / Flamengo

Outro carioca, o Botafogo, ocupa a terceira posição em números de trocas: 20 vezes com 16 técnicos. 

O Fluminense ocupa a quinta posição, à frente do Inter, com 17 mudanças e 15 treinadores. 

Grêmio e Corinthians foram os clubes com menor número de trocas: 10 mudanças com oito técnicos. 

Se analisarmos as trocas de comandantes no século XXI, veremos apenas mudanças na ordem dos clubes, mas com os cariocas no topo da lista. 

No período de 2001 até hoje, 30 de dezembro de 2020, o Flamengo é o recordista de mudanças de treinadores. O time rubro-negro trocou 45 vezes com 29 técnicos diferentes.

O Vasco é o segundo da lista com 44 trocas e 29 treinadores.

O Fluminense ocupa a terceira posição com 40 mudanças e 28 técnicos. 

O Botafogo é o quinto, atrás do Atlético-MG, com o mesmo número de trocas (38) e mais opções de treinadores (34 a 28). 

Presidente do Grêmio fala sobre manutenção de Renato Gaúcho no comando da equipe: ‘Acredito na longevidade dos processos’


O Grêmio também foi o clube que menos trocou de treinador no século XXI. Foram 24 mudanças com 21 técnicos diferentes. 

Os mais de quatro anos de Renato Portaluppi no comando do tricolor gaúcho, está desde setembro de 2016, ajudou o Grêmio a evitar demissões e perder dinheiro. 

Nesse período, o time conquistou vários títulos (Copa do Brasil de 2016, Copa Libertadores de 2017, Recopa Sul-Americana de 2018 e tricampeão gaúcho 2018, 2019 e 2020) e revelou jogadores importantes. No mês passado, o técnico renovou o seu contrato até fevereiro de 2021 quando termina a temporada. 

Os dirigentes do futebol carioca poderiam seguir esse exemplo e evitar gastar dinheiro com rescisões contratuais caríssimas com às demissões de técnicos. Usar o capital para reforçar o time. Apostar em um treinador com o perfil, tradição do clube e ir até o fim.  

Pelos números apresentados, está provado de que na maioria das vezes trocar de treinador não muda nada. Apenas disfarça por alguns dias, meses, os erros de gestões amadoras. 

Os clubes cariocas são gigantes e merecem muito mais do que isso! 

Comentários

Recorde negativo e perigoso: Clubes cariocas são os líderes em trocar técnicos. Veja os números!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Zagueiro e capitão, paraguaio Gustavo Gómez é esperança de gol e classificação do Palmeiras na Copa do Brasil

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O zagueiro paraguaio e capitão  Gustavo Gómez virou sinônimo de garra e força no time do Palmeiras. Um líder nato. Dá gosto ver ele em campo comandando o Verdão. 

Mais do que isso, o jogador de 27 anos incorporou no seu estilo de atuar um trecho importante do hino do clube: “Defesa que ninguém passa, linha atacante de raça...”

O zagueirão de 1,88m se desdobra na defesa e tem feito gols importantes na área adversária. A cabeçada fatal é o seu maior ataque.

E foi assim no duelo de ida da semifinal da Copa do Brasil contra o América-MG, no Allianz Parque, na semana passada. 

O seu companheiro de zaga, Emerson Santos, falhou feio e deu um gol de presente ao time mineiro. O capitão foi lá na defesa adversária reparar o erro e usou a cabeça para deixar o placar igual: 1 a 1.

Gol salvador no critério da Copa do Brasil. A derrota em casa poderia ter complicado a vida do Verdão. Novo empate leva a decisão para as penalidades. Quem vencer avançará à final. 

Gustavo Gómez comemora gol do empate contra o América-MG
Gustavo Gómez comemora gol do empate contra o América-MG Cesar Greco / Palmeiras

Fazia tempo que o Palmeiras não tinha um zagueiro à altura da tradição do clube. Hoje, sem dúvida, o melhor jogador do elenco verde. 

Para ter o cobiçado zagueiro, o Palmeiras superou três gigantes do futebol: Flamengo, Corinthians e o argentino Boca Juniors. Sorte do Verdão! 

Dos 105 jogos em que atuou pelo Palmeiras, desde a sua chegada em agosto de 2018, Gómez foi titular em 102. O defensor marcou 13 gols e deu uma assistência. 

Só em 2020, ele foi titular em 45 jogos de 46 disputados. Foram cinco gols e uma assistência. 

El Mariscal, como é conhecido Gustavo Gómez, é o 12º paraguaio a defender o Palmeiras em 106 anos de história. O quarto zagueiro. Além dele, Adalberto Román, Gamarra e Rivarola passaram pelo Verdão.

Zagueiro do Palmeiras quer classificação em cima do América-MG por 'gostinho especial' na Copa do Brasil


Até agora foram três títulos pelo Palmeiras: Campeonato Brasileiro (2018), Florida Cup e Campeonato Paulista (2020).

Nesta noite de quarta-feira (30), o paraguaio Gustavo Gómez poderá dar mais um passo para buscar outra taça, a da Copa do Brasil. 

A esperança de evitar e fazer gol passa por ele. Um jogador dois em um! 

Números de Gustavo Gómez no Palmeiras

Geral 
105 Jogos (102 como titular)
13 gols e 1 assistência 

2020 
46 jogos (45 como titular)
5 gols e 1 assistência 

Brasileirão 2020
17 jogos (17 como titular)
1 gol e 1 assistência 

Libertadores 2020
10 jogos (10 como titular)
2 gols 

Copa do Brasil 
4 jogos (3 como titular)
1 gol 

Comentários

Zagueiro e capitão, paraguaio Gustavo Gómez é esperança de gol e classificação do Palmeiras na Copa do Brasil

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

São Paulo x Grêmio: Sem título da Copa do Brasil, Morumbi e jovem craque são trunfos para tricolor paulista chegar a segunda final

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Mesmo sem o apoio da sua apaixonada torcida e no último jogo de 2020, o São Paulo aposta no estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, como um amuleto para dar sorte no duelo de volta da semifinal contra o Grêmio, nesta quarta-feira (30). 

Sem conquistar um título há oito anos, o tricolor paulista comandado por Fernando Diniz vive bom momento. É líder do Brasileirão e está invicto há 18 jogos em sua casa: 12 vitórias e seis empates. 

Só que apenas um triunfo com dois gols de diferença colocará o São Paulo na final da Copa do Brasil. 

Com cinco títulos, o Grêmio leva vantagem e poderá avançar com um empate por ter vencido a partida de ida, em Porto Alegre, pelo placar mínimo, gol de Diego Souza. 

Caso o tricolor paulista repita o resultado do primeiro jogo (1 a 0), a vaga será decidida nas penalidades. 

Vale lembrar que o São Paulo eliminou o Fortaleza, do eterno ídolo Rogério Ceni, nos pênaltis pelo placar de 10 a 9. O goleiro Tiago Volpi pegou a décima cobrança. 

Fernando Diniz vibra em vitória do São Paulo contra o Flamengo no Morumbi
Fernando Diniz vibra em vitória do São Paulo contra o Flamengo no Morumbi Miguel Schincariol / saopaulofc.net

Outro trunfo do São Paulo é o atacante Brenner. Dos 22 gols marcados por ele este ano, 11 foram feitos no Morumbi. 

O jovem de 20 anos lidera a artilharia da Copa do Brasil com seis gols, ao lado de três jogadores: Rodolfo (América-MG), Léo Gamalho (CRB) e Nenê (Fluminense). 

Será o centésimo jogo entre São Paulo e Grêmio na história do confronto. O que dará uma pitada a mais de emoção nessa decisão. 

Se avançar na Copa do Brasil, essa será a segunda vez que o tricolor do Morumbi chegará à final da competição.  

Na primeira decisão, em 2000, contra o Cruzeiro, o São Paulo levou a pior. No primeiro duelo, no Morumbi, empate sem gols. 

Na volta, no Mineirão, a Raposa venceu por 2 a 1 e conquistou o troféu. O Cruzeiro é o time mais vezes campeão da Copa do Brasil com seis títulos. 

O São Paulo é um dos clubes mais vencedores do país, mas não tem a importante taça que dá ao campeão o prêmio de R$ 54 milhões.  

Arbitragem preocupa para ‘decisão’ contra o São Paulo pela Copa do Brasil? Presidente do Grêmio relembra fatos e fala sobre ‘desconfiança’



Antes terá que passar pelo Grêmio, segundo time mais vezes campeão da competição, para tentar conquistar o feito inédito. 

Quem se classificar à final, enfrentará o vencedor de América-MG ou Palmeiras. 

O sessentão Morumbi terá uma noite inesquecível para um dos tricolores, paulista ou gaúcho! 

Em quem você aposta torcedor? 

Comentários

São Paulo x Grêmio: Sem título da Copa do Brasil, Morumbi e jovem craque são trunfos para tricolor paulista chegar a segunda final

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Coelho não será presa fácil para o Palmeiras na decisão da Copa do Brasil

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Na base da pressão, velocidade, contra-ataques e no erro do Palmeiras, o América-MG conquistou um ótimo empate por 1 a 1 na casa do Verdão, o Allianz Parque, no duelo de ida da semifinal.

Agora quem vencer, por qualquer placar, ficará com a vaga na final da Copa do Brasil. Outro empate, levará a decisão para os pênaltis. 

O duelo de volta nesta quarta-feira (30), não será fácil para o Palmeiras considerado o melhor time. 

Na Copa do Brasil, isso não existe. O jogo será decidido nos detalhes. Quem errar menos, sairá classificado. 

O técnico Lisca leva vantagem por entender e conhecer melhor essa competição do que o adversário português Abel Ferreira. 

Além de jogar em casa, no estádio Independência, em Belo Horizonte, o Coelho vem com moral por ter feito uma ótima campanha no torneio. 

O time mineiro eliminou gigantes na fase de mata-mata: Inter nas quartas de final e Corinthians nas oitavas. 

O América-MG também faz bonito na Série B do Brasileirão com a segunda melhor campanha. 

O Coelho está a apenas dois pontos da líder Chapecoense (62 a 60) e com o mesmo número de vitórias (17) em 31 jogos. 

No ataque, uma preocupação para o Palmeiras. O atacante Rodolfo é o artilheiro da Copa do Brasil com seis gols. 

Ademir, autor do gol na ida, é veloz e poderá ser novamente um tormento para a defesa do Verdão. 

Um dos pontos altos do time de Lisca é a forte marcação na defesa e meio campo. Uma equipe bem organizada e disposta a fazer história. 

Rony disputa lance com Anderson no empate por 1 a 1 no duelo de ida da Copa do Brasil
Rony disputa lance com Anderson no empate por 1 a 1 no duelo de ida da Copa do Brasil Cesar Greco / Palmeiras

Esse é o tipo de decisão que Abel Ferreira não poderá escalar o time errado como fez na ida. O Palmeiras precisará colocar em campo o que tem de melhor. 

O comandante português tem reclamado da falta de treinos e que o time está no limite. Ele tem razão, mas sorte a dele ter um elenco compatível com a grandeza do clube. 

Desde a retomada do futebol, durante a pandemia, o time paulista disputou 45 jogos, média de três partidas a cada cinco dias. Só fica um jogo atrás do Grêmio. 

O Verdão é o único clube do país que participa de três competições: Copa do Brasil, Libertadores e Brasileirão. 

Destaque do Palmeiras, Rony foi poupado na vitória por 1 a 0 contra o Red Bull Bragantino, gol de Luiz Adriano, neste domingo (27), pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

O novo xodó da torcida alviverde com certeza será o titular. Gosto do estilo de jogo montado por Abel Ferreira, mesmo quando ele erra a mão e faz improvisos. 

Entendo também que o fato de não acompanharmos os treinos, devido a pandemia, dificulta uma análise mais profunda. Mas do que tenho observado do elenco alviverde nos jogos, apostaria em um time diferente para enfrentar o América-MG. 

Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matias Viña; Danilo, Patrick de Paula e Gabriel Menino; Gustavo Scarpa, Rony e Luiz Adriano. 

Abel Ferreira lamenta lesão de Veron, mas avisa: 'Tenho 23 jogadores preparados para jogar'



Não escalaria o Zé Rafael nesse jogo como titular. O volante é um bom jogador, mas o excesso de faltas e cartões atrapalha o time. 

Raphael Veiga, depois que teve covid-19, não recuperou o seu bom futebol. Pode esperar e ser opção para um segundo tempo.

Lucas Lima também perdeu a chance e voltou a ser o mesmo de sempre. Falta objetividade, mais doação em campo e vontade de vencer. 

Gabriel Menino na lateral-direita é um desperdício. Marcos Rocha pode cumprir bem esse papel. 

Gosto do trio de meninos no meio de campo: Danilo, Patrick de Paula e Gabriel Menino. 

As viradas de bola longas de Patrick mudam o ritmo do jogo e abrem espaços. 

A habilidade de Menino e os passes em direção ao gol fazem a diferença. Não pode ser segundo volante, precisa jogar mais avançado, solto e ajudar na marcação.

Gustavo Scarpa jogando o fino pela esquerda como um ala, com chutes de fora da área e nas bolas paradas viraram uma arma para o Verdão. 

Aliás, poucos times tem três jogadores que sabem chutar tão bem de fora da área como Scarpa, Menino e Patrick. O Verdão precisa apostar mais nessas finalizações.

No ataque, Rony se tornou um cara imprescindível para os gols e assistências. Ele virou um furacão na defesa adversária. O atacante sabe se mexer e abrir espaços em velocidade.

Luiz Adriano é um atacante que sabe fazer gols e tem sorte. O jogador como referência na área, atuando como pivô, aumenta as chances de finalizações e segura a defesa adversária.

Ele e o capitão Gustavo Gómez de cabeça poderão ser fatais dentro da área.

Alan Empereur conta como foi 'negociação relâmpago' com o Palmeiras e por que decidiu retornar ao Brasil



Com Abel Ferreira, o Palmeiras aprendeu a jogar pelas laterais e linhas de fundo. Na esquerda, com Viña e Scarpa e na direita com Marcos Rocha e Gustavo Veron. 

Um grande defeito desse time é a falta de pontaria nos passes e nas finalizações. Incrível como os jogadores erram lances fáceis. 

Não seria só falta de treino como cobra o treinador. Percebo que o Palmeiras é uma equipe abalada, que ainda não aprendeu a digerir as cobranças. Time grande é assim. E em decisão, o psicológico conta muito.  

Tricampeão da Copa do Brasil (1998, 2012 e 2015), se avançar à final, o Verdão enfrentará o vencedor de São Paulo ou Grêmio. 

A decisão entre os tricolores também será na quarta-feira, às 21h30, no estádio do Morumbi. 

No duelo de ida, em Porto Alegre, o Grêmio venceu o São Paulo por 1 a 0, gol de Diego Souza. 

O tricolor gaúcho comandado por Renato é a segunda equipe com mais títulos na história da competição: cinco. 

O São Paulo de Fernando Diniz busca o título inédito da Copa do Brasil. Assim como o América. 

Emoção é o que não faltará na noite de quarta-feira! 

Comentários

Coelho não será presa fácil para o Palmeiras na decisão da Copa do Brasil

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Honda dará adeus melancólico ao Botafogo e deixará apenas um legado: a educação!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O educado japonês Keisuke Honda está com as malas prontas para abandonar o futebol brasileiro o mais rápido possível. 

O meia não ficará para ver a tragédia desenhada do Botafogo. O camisa quatro comunicou à diretoria que deseja a rescisão contratual.  

Honda chegou como um rei e sairá sem realizar o que os torcedores esperavam dele: a conquista de um título. Mais um sonho que se tornou ilusão para o time da estrela solitária. 

Compreensível e esperado. O que um veterano poderia fazer por um time fadado ao fracasso pela desorganização de seus dirigentes? Nada!

Honda é apresentado à torcida do Botafogo
Honda é apresentado à torcida do Botafogo Vítor Silva/Botafogo

Além de motivos familiares, e propostas do futebol europeu, pesa na decisão a lesão que o jogador sofreu na coxa esquerda na partida contra o Coritiba pela 26ª rodada do Brasileirão. Honda ficaria de fora de boa parte do campeonato. O jogador tem vínculo com o Botafogo até 28 de janeiro de 2021.

A péssima campanha do Botafogo no Brasileirão, com a penúltima posição, também incomoda o jogador. Mas ele não veio para ajudar o time?

O meia japonês não deixará saudades ao torcedor. Recebido no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, em fevereiro deste ano, por dois mil torcedores como o salvador da pátria, Honda marcou apenas três gols em 27 jogos.

A apresentação dele, no Estádio Nilton Santos, teve mais de 10 mil pessoas. O único contato que o jogador teve com o torcedor do Botafogo.

Não é qualquer estrangeiro que consegue vencer em nosso quente, perigoso e desorganizado futebol.

Honda não será lembrado pelo seu futebol e sim pela educação.

Das suas atuações, a melhor que eu vi, foi ele recolhendo o lixo após um treinamento no clube de General Severiano.

Parece pouco, mas será um legado importante que nós brasileiros ainda precisamos aprender.

Comentários

Honda dará adeus melancólico ao Botafogo e deixará apenas um legado: a educação!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Campanha do Grêmio é mais consistente do que a do São Paulo na Copa do Brasil, mas...

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Não existe moleza na fase de mata-mata da Copa do Brasil. 

Há quem diga que o Grêmio teve mais facilidade ao encarar o Juventude nas oitavas de final e Cuiabá nas quartas.

Não concordo. O tricolor gaúcho mostrou porque é cinco vezes campeão da competição e fez valer a força nas quatro vitórias: Grêmio 1 x 0 Juventude, Juventude 0 x 1 Grêmio, Cuiabá 1 x 2 Grêmio e Grêmio 2 x 0 Cuiabá, 

Eliminado da Libertadores pelo Santos, o time gaúcho é um dos melhores do país nesse momento e prova isso no Brasileirão com 12 jogos de invencibilidade.

O Grêmio dará trabalho ao líder São Paulo no duelo decisivo da Copa do Brasil nesta quarta-feira (30), no Morumbi.

A vitória por 1 a 0 no duelo de ida, em Porto Alegre, gol de Diego Souza, não decidiu o jogo, mas deixou o tricolor gaúcho com a vantagem do empate.

O veterano, de 35 anos, soma 22 gols em 2020.

Renato prevê São Paulo x Grêmio e compara Diego Souza e Brenner: 'Felizes os clubes que têm os jogadores com mais gols na temporada'


O tricolor paulista precisará vencer por dois gols de diferença para chegar à final.

Se vencer por um gol, a decisão da vaga será nos pênaltis. E nesse quesito, o São Paulo foi positivo em uma das fases de mata-matas.

Nas oitavas de final, empatou o primeiro jogo contra o Fortaleza, de Rogério Ceni, por 3 a 3, no Castelão, e por 2 a 2, no Morumbi.

Nas penalidades, venceu por 10 a 9. A classificação passou raspando e só veio graças a defesa de Tiago Volpi na 10ª cobrança do tricolor nordestino.

Nas quartas de final, um adversário mais difícil: o Flamengo do novo técnico Rogério Ceni. E duas vitórias gigantes do tricolor: 2 a 1, no Maracanã, e 3 a 0, no Morumbi.

Em seu estádio, o São Paulo poderá reverter o resultado negativo do duelo de ida da semifinal.

O trunfo está nos pés de Brenner. Jogando em casa, o jovem atacante anotou 11 gols, de 22, em 2020. Ele é o artilheiro da Copa do Brasil com seis gols.

Com Luciano, forma a melhor dupla de goleadores da Série A com 23 gols: Luciano (12) e Brenner (11).

Duelo de gerações: Brenner e Diego Souza anotaram 22 gols cada em 2020!
Duelo de gerações: Brenner e Diego Souza anotaram 22 gols cada em 2020! []

O duelo está aberto nesta decisão e o Grêmio leva uma ligeira vantagem por ter vencido o primeiro jogo.

Mas se o time de Renato Gaúcho for apático, como foi contra o Santos na Libertadores, corre o risco de tomar uma goleada histórica.

Esse é o mérito do São Paulo de Fernando Diniz. Um time mais ligado e interessado no jogo, ainda mais quando se busca o primeiro título do ano e da história da Copa do Brasil. 

Quem passar, enfrentará o vencedor de América-MG ou Palmeiras. Na ida, na casa do Verdão, empate por 1 a 1.

A CBF ainda não anunciou as duas datas para os duelos decisivos da final da Copa do Brasil em 2021.

Renato critica: 'Ninguém quer saber que o Grêmio não teve semana cheia para treinar; as pessoas gostam de cobrar'


Comentários

Campanha do Grêmio é mais consistente do que a do São Paulo na Copa do Brasil, mas...

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Corinthians passa Flamengo e Furacão seria G-4 com números do 2º turno. Veja resumo do Brasileirão!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O Campeonato Brasileiro só retornará no dia 6 de janeiro e terminou 2020 com novidades.

No geral, o G-4 continua com os mesmos quatro clubes brigando pelo título: São Paulo (49 pontos), Atlético-MG (49), Flamengo (49) e Internacional (47).

Mas se analisarmos o segundo turno do Brasileirão, temos um novo olhar e que fará a diferença nas 11 rodadas que ainda faltam com 33 pontos em jogo.

Em oito rodadas do returno, o G-4 teria duas mudanças relevantes. Palmeiras, em sexto no geral, e Athletico-PR, que lutava para não cair, desbancariam Flamengo e Inter.

O Palmeiras somou 16 pontos e o Furacão, 15. Melhor do que eles, apenas o líder São Paulo com 19 e Atlético-MG com 17. 

Empatados com 15 pontos, Grêmio e Corinthians, seriam o quinto e sexto, respectivamente. O tricolor gaúcho ocupa a mesma posição do geral com 45 pontos.

A ressureição do Corinthians de Vagner Mancini é o ponto alto dessa nova fase. Invicto há seis jogos, o time alvinegro se manteve na nona posição com 39 pontos e virou uma realidade para a briga do G-6. Aproveitamento do Corinthians no Brasileirão desde a 16ª rodada com Mancini é de 66,7%. Números de vice-líder.

Eugenio Leal diz que Corinthians tem mostrado evolução e fala em 'ano da carreira' de Mancini

O Grêmio de Renato Gaúcho, time com 12 jogos de invencibilidade no Brasileirão, pode surpreender se manter o ritmo e contar com deslizes dos líderes. O sonho matemático ainda é possível. Ao lado do São Paulo, o tricolor gaúcho tem a melhor defesa do campeonato com 22 gols sofridos.

Mesmo com seis jogos de invencibilidade, o atual campeão Flamengo que já esteve a um ponto do líder São Paulo, faz um segundo turno de altos e baixos. É só o sétimo atrás de Corinthians e Grêmio.

A 27ª rodada do Brasileirão teve apenas 20 gols com média de dois por partida. O placar mais elástico foi conquistado pelo Furacão sobre o Vasco: 3 a 0.

Apenas uma partida terminou empatada sem gols: Fortaleza e Flamengo. Outro empate da rodada: Santos 1 x 1 Ceará.

Três visitantes venceram fora de casa: Fluminense 1 x 2 São Paulo, Botafogo 0 x 2 Corinthians e Bahia 1 x 2 Inter.

E cinco mandantes venceram em seu território.

Corinthians cresce no Brasileirão e cola no G-6
Corinthians cresce no Brasileirão e cola no G-6 Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Fluminense (7º) e Santos (8º) se desgrudaram dos líderes no segundo turno e agora seriam 13º (Flu) e 14º Peixe) na tabela.

O artilheiro Thiago Galhardo desencantou e marcou um gol depois de 10 jogos sem balançar as redes. Ele e Yuri Alberto foram a segunda dupla com mais gols no Brasileirão com 21 gols: Thiago Galhardo (16) e Yuri Alberto (5).

A dupla colorada só fica atrás dos goleadores do líder São Paulo com 23 gols: Luciano (12) e Brenner (11).

O jovem atacante Brenner, de 20 anos, foi o destaque da 27ª rodada com dois gols na vitória diante do Fluminense, no Maracanã. Em três jogos no estádio, Brenner anotou cinco gols: três contra o Flamengo e dois sobre o Fluminense.

Ele igualou os 22 gols de Diego Souza, e ao lado de  Marinho (Santos) e Thiago Galhardo (Inter), são os maiores artilheiros da Série A em 2020.

O São Paulo, melhor time do Brasileirão, é também a equipe com o ataque mais poderoso da competição: 47 gols, um à frente do Galo e Fla, ambos com 46. O tricolor tem um saldo de gols avassalador: 25. Enquanto, o Atlético-MG e Palmeiras somam 12 e Flamengo 11. O Inter é o segundo com 15 e Grêmio em terceiro com 13.

No lado de baixo da tabela, Vasco (17º), Goiás (18º), Botafogo (19º) e Coritiba (20º), lutam para não cair. O Goiás foi o único que venceu na 27ª rodada.

E com números do segundo turno é o time que mais cresceu entre os enforcados.

Na próxima rodada, a 28ª, Coritiba e Goiás terão um duelo direto. Quem vencer, continuará na degola, mas o outro, estará cada vez mais com um pé na Série B.

O retorno do Brasileirão em 2021 promete ser emocionante.

Classificação do 2º turno do Brasileirão 2020 após oito jogos

1º São Paulo (19 pontos)
2º Atlético-MG (17)
3º Palmeiras (16)
4º Athletico (15)
5º Grêmio (15)
6º Corinthians (15)
7º Flamengo (14)
8º Ceará (12)
9º Bragantino (12)
10º Atlético-GO (12)
11º Inter (12)
12º Goiás (11)
13º Santos (9)
14º Fluminense (8)
15º Vasco (8)
16º Bahia (6)
17º Fortaleza (6)
18º Sport (5)
19º Botafogo (3)
20º Coritiba (2)

Comentários

Corinthians passa Flamengo e Furacão seria G-4 com números do 2º turno. Veja resumo do Brasileirão!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Um fenômeno chamado Brenner!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Brenner tem 20 anos e chegou aos 22 gols em 2020. Foi um ano atípico, poderia ter sido bem melhor, e se seguir no São Paulo no ritmo que está poderá fazer história. 

Mas mesmo em meio a uma pandemia, sem apoio da torcida e de um São Paulo de altos e baixos, o jovem atacante conquistou marcas consideráveis. 

Ele igualou os números de gols de Dagoberto (2011), Aloísio e Luís Fabiano (2013). Parece pouco, mas não é. 

Com ele em campo, o São Paulo encontrou o caminho do gol. E ter um goleador sempre foi tradição no tricolor paulista. 

Os adversários agora temem um time com um cara oportunista e que mete a bola para o fundo da rede. 

E de gol em gol, o São Paulo tem sido um terror no Brasileirão, na Copa do Brasil, e contra os times cariocas em 2020. 

Brenner marca dois gols no duelo tricolor no Maracanã
Brenner marca dois gols no duelo tricolor no Maracanã Rubens Chiri / saopaulofc.net

Em oito jogos no Rio de Janeiro, o tricolor paulista sofreu apenas uma derrota, empatou dois jogos, venceu oito vezes, marcou  20 gols e levou sete. 

E o jovem atacante Brenner tem sido o diferencial do time de Fernando Diniz. Ele até ganhou o apelido de rei do Maracanã. 

Em três jogos, fez cinco gols no templo do futebol: três contra o Flamengo e dois contra o Fluminense. 

Com um gol em cada tempo do oportunista artilheiro, a lei do ex atacou o Fluminense na vitória por 2 a 1 do líder isolado São Paulo, neste sábado (26), pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

Além da liderança com sete pontos à frente de Atlético-MG e Flamengo, ambos com 49, o São Paulo tem o melhor ataque do Brasileirão: 47 gols. O vice-líder Galo e o terceiro colocado Fla também empatam em número de bolas nas redes: 46. 

Com os dois gols em um único jogo, Brenner já fez três esse ano no Flu e chegou aos 22 na temporada. 

Na Copa do Brasil, ele é um dos artilheiros da competição com seis bolas nas redes. No Brasileirão, ele é o segundo goleador do tricolor com 11 tentos, um atrás de Luciano. Eles formam a dupla com mais gols no Campeonato Brasileiro: 23 bolas nas redes. 

Brenner e Diego Souza, do Grêmio, são os jogadores da Série A com mais gols (22) em 2020. Eles superam o artilheiro e vice do Brasileiro, Thiago Galhardo (15) e Marinho (14), que marcaram no ano 21 gols cada. 

Pedro (Flamengo) e Cano (Vasco) também fizeram 21 tentos. Gabigol (Flamengo) e Nenê (Fluminense) marcaram 20. 

Na próxima quarta-feira (30), o São Paulo precisa dos gols de Brenner para chegar à final da Copa do Brasil. 

No duelo de ida da semifinal, o tricolor paulista foi derrotado pelo Grêmio de Diego Souza, autor do único gol da decisão, em Porto Alegre.

Um detalhe importante: dos 22 gols de Brenner em 2020, 12 foram marcados no estádio do Morumbi, local da decisão.

O São Paulo precisará vencer por dois gols de diferença. O tricolor gaúcho jogará pelo empate. 

Quem tem Brenner no time, não teme! O jovem atacante virou um fenômeno no São Paulo em 2020. 

Brenner brilha, e líder São Paulo supera Fluminense em pleno Maracanã

Comentários

Um fenômeno chamado Brenner!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

mais postsLoading