<
>

MLB: Quer receber R$ 140 milhões até 2035 sem fazer nada? Conheça o melhor contrato da história do beisebol

Bobby Bonilla, o dono do melhor contrato da história do beisebol ESPN ESPN

Imagine que você receba, todo dia 1º de julho, entre 2011 e 2035, um cheque no valor de US$ 1.193.248,20, ou exatos R$ 4.627.137,17, na cotação atual. Você vai perguntar: legal, mas o que eu preciso fazer? A resposta: nada.

O dia 1º de julho ficou marcado na história do beisebol como “Bobby Bonilla Day”, já que é nesta data que ele, Bobby Bonilla, recebe esse valor sem sair de casa.

Voltamos então a janeiro de 2000. Bonilla acabara de ser dispensado pelo New York Mets, na MLB. Ele ainda tinha mais US $ 5,9 milhões a receber, pouco mais de R$ 22,8 milhões.

O agente dele, então, fez um dos melhores acordos da história. O valor não foi pago imediatamente, mas sim dividido em uma série de parcelas, que começaram a ser quitadas em 2011 e reajustadas anualmente com uma taxa de 8%.

Até hoje, foram oito pagamentos, com um total de US$ 9.545.985,6 milhões (em valores atuais). Ainda faltam mais 17 até 2035. Quando o montante for quitado, Bonilla terá transformado US$ 5,9 milhões na fortuna de US$ 29,8 milhões.

Está bom para você? Calma, tem mais!

A primeira passagem de Bonilla pelos Mets durou entre 1992 e 1995, ano em que o Baltimore Orioles o tirou da franquia. Ele ainda tinha um ano de contrato, assinado em dezembro de 1991, no valor total de US$ 29 milhões.

Para confirmar o negócio, os dois times dividiram o valor restante, de US$ 12,5 milhões, em 25 parcelas. O pagamento começou a ser feito em 2004, e Bonilla recebeu 16 parcelas, totalizando US$ 7,5 milhões, e ainda tem mais US$ 5 milhões para cair na conta até 2028.

Resumindo, Bonilla recebeu mais de US$ 17 milhões até agora e ainda vai abocanhar mais US$ 25 milhões pelos próximos 17 anos. O total supera US$ 42 milhões, ou quase R$ 163 milhões, na cotação atual. Detalhe: sem jogar ou, se preferir, sem fazer absolutamente nada.

E ainda pode ficar melhor: Bonilla mora em Sarasota, na Flórida, onde não há imposto. E agora, está bom para você?

*Daren Rovell é repórter especial do ESPN.com. Tradução livre de Ricardo Zanei.