<
>

Campeã mundial e única estrangeira tetra da WNBA, Janeth se junta a Hortência e Paula e entra no Hall da Fama do basquete

A brasileira Janeth Arcain entrou para o Hall da Fama da FIBA (Federação Internacional de Basquetebol), e agora o Brasil tem seis atletas homenageados com tal honraria.

Título mundial com a seleção brasileira em 1994, prata nos Jogos Olímpicos de Atlanta-1996 e bronze em Sidney-2000, ouro nos Jogos Pan-Americanos em Havana-1991, quatro títulos da WNBA pelo Houston Comets (1997, 1998, 1999 e 2000) e muito mais.

Janeth foi uma das mais icônicas atletas da história do Brasil, e é a terceira maior cestinha de nossa seleção em todos os tempos.

Dentro de quadra, marcou época ao lado de Hortência e 'Magic' Paula, e hoje segue sendo importante fora das quadras. Após se aposentar em 2007, com a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, foi treinadora, assistente, e hoje é Membra do Conselho Executivo do Comitê Olímpico Brasileiro.

Ainda comanda o “Instituto Janeth”, que existe desde 1999 e está presente em cinco cidades do Brasil: Santo André, Atibaia, Bragança Paulista, Cubatão e João Pessoa (Paraíba), e recentemente falou com o ESPNW sobre suas expectativas para as Olimpíadas de 2020, em Tóquio.

Nesta terça-feira, a lenda do basquete brasileira recebeu a grata notícia que agora está no Hall da Fama da FIBA. O Brasil já contava com sete representantes: Hortência e 'Magic' Paula no basquete feminino, Amaury Pasos, Bira Maciel e Oscar Schmidt no basquete masculino, Kanela entre os treinadores e Renato Righetto como árbitro.

Ao lado de Janeth, outros nove nomes do basquete foram indicados para o Hall da Fama:

Atletas

  • Janeth Arcain (Brasil)

  • Margo Dydek (Polônia)

  • Atanas Golomeev (Bulgaria)

  • Alonzo Mourning (EUA)

  • Fabricio Oberto (Argentina)

  • Jose "Piculin" Ortiz (Porto Rico)

  • Mohsen Medhat Warda (Egíto)

  • Jiri Zidek (Republica Tcheca)

Treinadores

  • Natalia Hejkova (Eslováquia)

  • Bogdan Tanjevic (Montenegro)

  • Mou Zuoyun (China)