<
>

Isaiah Thomas revela quase volta aos Celtics e desabafa após 'pior ano da carreira': 'Eu sou humano'

A vida dos atletas é uma verdadeira gangorra. Você pode estar em seu auge, brilhando em sua modalidade e, de repente, tudo despenca e você passa a ser criticado por tudo que faz. E foi exatamente isso que aconteceu com Isaiah Thomas. O armador, que na temporada 2016/2017 teve um desempenho de altíssimo nível pelo Boston Celtics, sendo eleito o quinto melhor jogador da NBA na eleição para MVP, acaba de fechar um contrato de 2 milhões de dólares para defender o Denver Nuggets por um ano, algo bem diferente do que ele imaginava.

Isso porque, pouco mais de um ano atrás, ainda como estrela dos Celtics e principal responsável por levar a equipe até a final da Conferência Leste, ele disse que "seria necessário um carro forte" para pagar seu salários a partir de 2018, quando seu outro vínculo chegaria ao fim.

De uma hora para outra, porém, tudo mudou. Ele machucou gravemente o quadril, foi envolvido em uma troca com o Cleveland Cavaliers e, alguns meses depois, foi novamente envolvido em uma negociação, terminando a temporada no Los Angeles Lakers.

Tudo isso ainda não foi bem digerido pelo atleta, que concedeu uma entrevista exclusiva à ESPN e admitiu sua mágoa com tudo que tem passado recentemente. Você sempre pode passar por isso, mas cara, eu já passei por isso muitas vezes. Eu sou humano. É claro que penso sobre isso. As pessoas estão com medo do meu quadril agora. Eu só tinha que ser verdadeiro comigo mesmo. Eu tenho que mostrar às pessoas que eu posso voltar a jogar em alto nível. E eu vou fazer isso".

Talvez a grande frustração para Isaiah Thomas seja que ele "deu a vida" pelos Celtics, superando até mesmo uma tragédia familiar para defender a equipe. "Eu havia acabado de perder minha irmã, uma das pessoas mais próximas a mim. O basquete seria a única coisa que poderia me ajudar. Essa não seria uma boa decisão se estivesse falando de longo prazo, mas eu estava pensando no agora", disse ele, que se machucou dias depois de decidir voltar às quadras.

Como se não bastasse a lesão, os Celtics o trataram como moeda de troca, utilizando-o para conseguir a contratação de Kyrie Irving. Para ele, o pior de tudo foi não conseguir dar uma resposta dentro das quadras. "Eles provavelmente teriam me negociado de qualquer maneira. Mas eu poderia mostrar o meu valor e no ano passado, após a lesão, eu não consegui fazer isso. Eu voltei muito cedo. Isso foi um erro. Eu deveria ter esperado até a parada para o All-Star", desabafou.

A volta adiantada, aliás, fez com que ele passasse por outra cirurgia, em fevereiro, pouco depois de chegar aos Lakers, o que praticamente o impossibilitou de entrar em quadra pelo time.

A temporada acabou e chegou então o verão norte-americano, época em que as negociações acontecem e Isaiah era um agente livre, com o seu outro contrato chegando ao fim. E ele, que outrora brilhou na NBA, recebeu apenas uma proposta, o que ele considera um desrespeito.

"Eu entendo, mas não aceito. Muitas outras pessoas se machucam e têm a chance de dar a volta por cima. Elas ganham muito dinheiro, não importa se estão machucadas. No meu caso, isso não aconteceu. Você nunca viu um cara pequeno como eu receber muito dinheiro. Isso nunca aconteceu na NBA", disse ele, que tem apenas 1,75m de altura, sendo um dos menores jogadores da história da liga.

"Meu quadril não é normal, eu entendo isso. Mas isso não significa que eu não posso jogar em alto nível. Isso é o que eu tenho que mostrar e estou disposto a isso. Nada do que eu fiz no passado pode ser usado para conseguir um novo contrato. Todo mundo pode, mas eu não. Essa tem sido a minha história. Essa é a realidade e não posso controlar isso, mas posso aproveitar a oportunidade e mostrar que ainda posso jogar em alto nível", confia ele.

Porém, a proposta que chegou foi do Denver Nuggets, onde o armador terá a oportunidade de trabalhar novamente com Michael Malone, seu ex-comandante no Sacramento Kings e tudo aconteceu "às claras", como ele mesmo explica. "Eu queria falar com o presidente olho no olho. Que ele sentisse minha paixão pelo basquete", comentou, citando que Tim Connelly ligou para dirigentes dos Celtics, Cavaliers e Lakers antes de contratá-lo.

A negociação foi tão aberta, que Isaiah Thomas até mesmo ouviu que não será titular, já que os Nuggets apostam suas fichas em Jamal Murray. "O Malone me disse: 'Quero que você saiba que Jamal Murray é nosso titular agora e se você está querendo uma oportunidade de ser titular, isso não vai acontecer aqui'. Mas não estou preocupado em ser titular agora. Estou preocupado em jogar bem e mostrar ao mundo que me recuperei. Uma vez que eu mostrar isso, ninguém poderá me negar dinheiro no próximo verão".

E o jogador de 29 anos chega para dar experiência em um time considerado bastante jovem, mas que, ao mesmo tempo, possui bastante talento. "Temos um vestiário silencioso. Não será ruim para nós ter sua personalidade lá. Quero que Isaiah seja Isaiah", comentou Michael Malone na ocasião da contratação.

JOGADOR QUASE VOLTOU AOS CELTICS

Apesar de não negar que se considerou injustiçado no Boston Celtics, nesse meio de ano, vendo seu "mundo desabar", Isaiah cogitou voltar à equipe e até mesmo conversou com Danny Ainge, chefe de operações da equipe 18 vezes campeã da NBA. "Se a oportunidade existir, eu gostaria de voltar. Eu não tenho rancor", citou o jogador, sobre o bate-papo.

Porém, apesar do dirigente ter mostrado interesse, o negócio acabou esfriando. Isso porque ele disse que a prioridade do Boston àquela altura seria renovar com Marcus Smart e que mais para frente eles poderiam negociar. Nesse meio tempo, porém, Thomas assinou com o Denver.