<
>

Mo Farah e Gebrselassie, lendas do atletismo, trocam acusações dias antes da Maratona de Londres  

Uma história repleta de contradições está dando o que falar no mundo do atletismo nesta semana e tem como personagens dois dos maiores fundistas que já existiram no esporte.

Tudo aconteceu na Etiópia, no hotel de Haile Gebrselassie, vencedor de duas medalhas de ouro nas Olímpiadas de 1996 e 2000, onde o inglês Mo Farah, tetracampeão olímpico, alega ter sido roubado.

Indagado sobre o caso pelo jornal inglês The Guardian, porém, Gebrselassie disse que, na verdade, Farah chutou e socou um casal que estava utilizando a academia de seu hotel e que ele havia salvado o britânico de ser preso por causa disso.

“Farah disse ao homem: ‘Por que você está me seguindo? ”, afirmou o queniano. “O cara disse que não estava fazendo isso e que ele estava apenas realizando o seu trabalho. Imediatamente, o inglês começou a bater neles, especialmente no marido. Ele não pode negar porque havia muitas pessoas que viram a cena”, completa.

“Sempre quando ele faz algo de errado ou qualquer outra coisa, nós cuidamos dele porque ele é um grande nome. Eu conversei com a polícia para não o prenderem. Os soldados até me perguntaram o motivo de eu estar fazendo aquilo, já que Farah estava agindo como um criminoso. Eu disse: ‘Por favor, por favor, deixe tudo como está’. Ele escapou da polícia sem ser interrogado. Saiu da Etiópia sem ser questionado”.

Esta história contada por Haile Gebrselassie para o jornal britânico, no entanto, não condiz com o que fontes próximas a Mo Farah lembram sobre aquele dia.

Elas dizem que o queniano só estava espalhando a história do ataque ao casal para tirar o foco do roubo que havia acontecido em seu hotel.

Além disso, afirmaram que o incidente na academia ocorreu, pois tanto o homem quanto a mulher estavam copiando os exercícios que Mo estava fazendo, o levando a um estado de fúria.

“A testemunha afirma que a esposa veio atacar Farah com pesos e halteres- então o britânico precisou se defender. Eles também questionam o motivo de Gebrselassie estar revelando esta história só agora”, disse pessoas próximas ao britânico ao The Guardian.

“Relatórios da polícia confirmam o incidente e o hotel admitiu a responsabilidade e estava em contato com o assessor legal de Mo. O hotel até se ofereceu para pagar a ele a quantia roubada. Mas retiraram a oferta quando ele saiu prematuramente de lá para outro alojamento, devido as preocupações com a segurança”

Haile Gebrselassie desmentiu as acusações feitas pelas fontes ligadas a Mo. E ainda disse estar arrependido de ter defendido o britânico, ao invés dos funcionários do seu hotel.

“Cinco pessoas estavam lá na época. Todos elas foram levadas pela polícia, que as prendeu por três semanas. Isso aconteceria na Inglaterra? De jeito nenhum. Não poderia ter deixado isso acontecer”, afirma o atleta.

"Se é verdade que ele perdeu tanto dinheiro, então lamento por ele não levar isso ao tribunal", acrescentou Gebrselassie. “A única coisa que ele pode fazer é destruir meu nome e meu hotel. ”, completa.

Toda esta troca de farpas, via imprensa, ocorre apenas há três dias da Maratona de Londres, uma das mais importantes do calendário do atletismo de longa distância do mundo e que será transmitida pela ESPN2 e pelo WatchESPN no próximo domingo (28), às 5h (horário de Brasília).

*Mo Farah leva dois tombaços em evento promocional para a Maratona de Londres

Farah participará da corrida e procura vencê-la pela primeira vez. O seu objetivo é conseguir derrotar o queniano Eliud Kipchoge, que conquistou a primeira posição no evento nas últimas três vezes que a disputou, em 2015, 2016 e 2018.