<
>

Melhor brasileira, Joziane valoriza resultado e elogia São Silvestre

O décimo lugar na 93ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre, como melhor colocação de uma brasileira na elite feminina, encerrou com chave de ouro o 2017 de Joziane Silva Cardoso. Após a prova, realizada na manhã deste domingo, a fundista comemorou o resultado, apesar de ter ficado de fora do pódio, e prestou elogios à organização.

Além de falar sobre o evento desta manhã, Joziane também se disse contente com o ano de uma maneira geral. A corredora conquistou alguns pódios em provas nacionais e ressaltou a motivação para voltar aos trabalhos no calendário de 2018.

“Feliz pela décima colocação, primeira brasileira. Graças a Deus, eu tenho feito boas provas neste ano, obtido pódio nas principais provas do Brasil e sido a primeira brasileira em todas elas. Foi bom fechar a São Silvestre sendo décima e primeira brasileira. Dedicar no ano que vem para que consiga estar entre as cinco. Organização impecável. Quero agradecer a todos e desejar bom 2018 para todo o mundo”, avaliou.

Sobre a corrida pelo pelotão de elite, Joziane fez questão de exaltar o sucesso das quenianas, que tiveram uma representante em primeiro lugar e outra fechando o pódio, em quinto: Flomena Cheyech e Paiskalia Chepkorir. A brasileira explicou que as africanas têm um tempo maior de preparação exclusiva para a São Silvestre, mas não quis usar este fato como justificativa para não buscar o título.

“Quenianas treinam só para a São Silvestre. Chegamos com uma carga bem grande de competições. Não é justificativa, mas elas estão à frente da gente. Se priorizar mais, fazer trabalho de altitude, vamos conseguir correr com elas e quebrar a hegemonia”, destacou.