<
>

André Brasil, medalhista paralímpico, é considerado inelegível para esporte: '14 anos jogados fora'

André Brasil, medalhista paralímpico. Divulgação

O nadador André Brasil passou por uma reclassificação nesta quarta-feira (24) que o considerou inapto para a prática paralímpica. Com a decisão, o brasileiro não poderá participar de nenhuma competição oficial à partir deste dia.

Representando o país por 14 anos, o brasileiro já disputou três Jogos Paralímpicos, cinco Campeonatos Mundiais e três Jogos ParaPan-Americanos. Além disso, já bateu quatro recordes mundiais nas piscinas e acumulou sete medalhas de ouro paralímpicas.

“ O que me deixa triste é ver que foram 14 anos jogados fora, como se passassem uma borracha em cima da minha história. Não somos tratados como seres humanos, e sim números de pontos na classificação”, disse André, através de assessoria.

Aos três meses de vida, o brasileiro teve poliomielite que deixou uma diferença de cinco centímetros de uma perna para a outra, além de perda de sensibilidade, força e equilíbrio na perna esquerda.

Os laudos médicos, que confirmam lesão e falta de mobilidade, não foram considerados válidos pela avaliação para a atuação profissional do atleta.

Anteriormente, o nadador já tinha passado por três testes que não apontaram inelegibilidade.

Seu técnico, Felipe Domingues, se revoltou com a decisão: “O sistema é falho. Não é justo, quatro pessoas definirem a vida de um atleta. Parece que o que foi feito anteriormente não valeu de nada, o esporte paralímpico perde muito a sua credibilidade por isso”.

Após cirurgia no ombro esquerdo em 2018, André se preparava para a Open Internacional, competição que começa nesta quinta-feira (25) em São Paulo. Essa seria a oportunidade para o atleta se classificar para os Jogos ParaPan-Americano e Mundial de 2019.