<
>

'Borrachinha' desmente Yoel Romero e detona lutador cubano: 'Ele é um cara do mal'

play
EXCLUSIVO: Aldo revela vontade de lutar boxe após deixar UFC e não quer mordomias: 'Começar por baixo' (2:08)

Lutador tem mais duas lutas no contrato - uma delas no dia 11 de maio contra Volkanovski - e depois quer lutar boxe (2:08)

Em entrevista ao jornalista e apresentador Ariel Helwani, da ESPN, no "Ariel Helwani's MMA Show", o lutador brasileiro Paulo 'Borrachinha' Costa, invicto na carreira, negou qualquer envolvimento com substâncias proibidas.

Borrachinha seria protagonista do UFC que acontecerá neste fim de semana (27), na Flórida. No evento principal, ele enfrentaria o cubano Yoel Romero, primeiro colocado do ranking dos médios. Ele foi retirado do card por razões desconhecidas e substituído por Ronaldo 'Jacaré' Souza.

Quando essa notícia circulou, Romero contou para o mesmo Ariel Helwani que o motivo da saída de Borrachinha do card era que o brasileiro havia falhado um teste da Usada, agência antidoping dos Estados Unidos.

Ao falar pela primeira vez após o incidente, Borrachinha negou de maneira veemente qualquer envolvimento com substâncias que aumentam o desempenho.

"Não é verdade. [Yoel] Romero é um cara do mal. Ele jogou isso no ar", Borrachinha contou para Helwani na segunda-feira. "Não é verdade. Eu nunca usei esteroides na minha vida. Eu nunca usei nada para trapacear."

Borracinha disse, também, que a Usada e a Comissão Atlética de Nova York acharam uma substância presente em um medicamento que ele tomou para uma dor de barriga que teve em 2017, antes da luta contra Johnny Hendricks.

"Eu estava com o estômago ruim. Tava com dor de barriga", Costa disse. "Minha medicação estava normal. Eu não tomei para melhorar a minha performance. Mas não posso falar muito sobre isso. Preciso esperar que a Comissão Atlética de NY feche o caso primeiro."

Borrachinha (12-0-0) disse que não está suspenso e que espera lutar em maio. Ele quer enfrentar Romero, principalmente por conta das acusações.

Após ser perguntado por Helwani sobre haver um sentimento 'especial' para essa luta, o brasileiro respondeu: "Sim, claro. Se eu lutar contra ele, vou colocar mais força no soco."