<
>

Real Madrid quer R$ 746 milhões por ano da Adidas para superar Barcelona e Manchester United

Segundo o jornal As, o Real Madrid está muito insatisfeito com o que recebe atualmente da Adidas, sua fornecedora de material esportivo, e prepara-se para endurecer as negociações com a empresa alemã no ano que vem.

A história começa em 2011/12, quando os merengues assinaram acordo de 40 milhões de euros (R$ 175,5 milhões, na cotação atual) por ano, até 2020, com a empresa alemã - um contrato bastante vigoroso para a época.

No entanto, com o passar das temporadas, o valor tornou-se extremamente defasado.

Exemplos disso são os acordos entre Manchester United e Adidas, (75 milhões de libras, ou R$ 377,83 milhões, por ano), feito em 2015, e o entre Barcelona e Nike (100 milhões de euros fixos, ou 438,76 milhões, por temporada, podendo chegar a 155 milhões de euros, ou 680 milhões, com as variáveis estipuladas), assinado em 2018.

Além disso, o Real agora ficou atrás até do Arsenal, que trocará a Puma pela Adidas em um contrato de 66 milhões de euros (R$ 289,58 milhões) por temporada - bem acima do que os blancos faturam atualmente.

O Manchester City é outro que acertou recentemente por boa quantia, mudando de Nike para Puma por 65 milhões de libras (R$ 330,12 milhões) por ano, no 2º maior contrato da Premier League - atrás somente do Manchester United.

Por isso, segundo o As, o Madrid exigirá da Adidas ao menos 100 milhões de euros (R$ 507,87 milhões) fixos por ano, mais uma porcentagem dos produtos vendidos pela empresa usando a marca merengue.

Com isso, o montante total pode chegar a 170 milhões de euros (R$ 745,89 milhões) por temporada com as variáveis, de acordo com a conta feita pelo jornal.

"Sem dúvida, seria um respiro econômico para a entidade, que agora está 'afogada' em dívidas com a reforma do Santiago Bernabéu e as grandes contratações que planeja fazer na próxima janela", destaca o veículo.

Vale lembrar que o Real é atualmente o clube mais rico do mundo, com um orçamento anual de 750,9 milhões de euros (R$ 3,248 bilhões).